domingo, 29 de novembro de 2020

PÍLULAS

Publicidade

Baú migalheiro

quinta-feira, 7 de maio de 2015

Há 135 anos, no dia 7 de maio de 1880, morreu na fazenda de Santa Mônica o Marechal Duque de Caxias, veterano da guerra da Independência e do sítio de Montevidéu, e pacificador do Maranhão, São Paulo, Minas e Rio Grande do Sul, comandante em chefe do exército brasileiro na guerra contra os ditadores Oribe e Rosas e no período mais difícil da guerra do Paraguai. Nascera na Estrela (Rio de Janeiro), a 25 de agosto de 1803. Foi o general brasileiro que comandou forças mais numerosas, tendo sob a sua direção o maior exército que o Brasil tinha formado, a esquadra em operações, as tropas argentinas e o contingente oriental, durante o assédio das linhas de Passo Pucu e Humaitá e as campanhas do Tebicuari e do Pikisiri. O Brasil deveu-lhe muitas das suas mais brilhantes e disputadas vitórias, entre as quais avultam as do Itororó, Avaí e Lomas Valentinas. Foram troféus das suas campanhas no Paraguai 24 bandeiras e 353 canhões. Três vezes o Wellington brasileiro esteve à frente do governo de sua pátria, como presidente do Conselho de Ministros. 

Atualizado em: 5/5/2015 09:27