quinta-feira, 3 de dezembro de 2020

PÍLULAS

Publicidade

Exame de Ordem

sexta-feira, 21 de agosto de 2015

Como Eduardo Cunha é crítico do exame de Ordem, os internautas causídicos instigavam dizendo que logo logo chegaria a hora de contratar um advogado para defendê-lo. Mas o presidente da Câmara é safo. Contratou um defensor que não fez o exame. Com efeito, já há alguns meses quem advoga seus interesses é o ex-procurador-Geral da República, discretíssimo, Antonio Fernando Barros e Silva de Souza (OAB/PR 4.931). Como era oriundo do MPF, inscreveu-se na Ordem (ou pediu sua reativação) sem prestar o exame, de modo que o discurso de Cunha se manteve de pé. A propósito do causídico, trata-se de um cearense cuja carreira se deu toda no Paraná. Formado pela UFPR, ingressou na procuradoria da República em 1975. Galgou a carreira até chegar ao sobranceiro, em 2005. Em 2010, já aposentado, passou a integrar a banca Garcia de Souza Advogados Associados.

Atualizado em: 21/8/2015 10:13