terça-feira, 24 de novembro de 2020

PÍLULAS

Publicidade

Baú migalheiro

segunda-feira, 15 de fevereiro de 2016

Há 146 anos, no dia 15 de fevereiro de 1870, faleceu, no RJ, o senador e conselheiro de Estado, Visconde de Jequitinhonha, nascido a 23 de março de 1794 na cidade da Bahia. Chamava-se Francisco Gomes Brandão e com esse nome formou-se em Direito na Universidade de Coimbra, acrescentando então o de Montezuma, que lhe davam os seus condiscípulos; e, por ocasião do movimento da Independência, passou a assinar-se Francisco Gê Acaiaba de Montezuma. Na Bahia, fez-se jornalista em 1822, mas a tipografia do seu periódico foi destruída, nesse mesmo ano, por oficiais e soldados portugueses. Montezuma seguiu para Cachoeira e foi secretário do governo que se instalou aí durante a guerra da Independência. Dissolvida a Constituinte, de que era membro, foi desterrado para a Europa com os Andradas, e só volveu ao Brasil em 1831. Na Câmara dos Deputados e na imprensa, tornou-se então um dos mais ardentes adversários dos vencedores de 7 de abril. Publicou por esse tempo, entre outros panfletos, "A Liberdade das repúblicas", em defesa das instituições e contra a propaganda federalista (1833). De 16 de maio a 19 de setembro de 1837, foi ministro da justiça e estrangeiros no último gabinete do regente Feijó. Combateu logo depois, até 1840, os ministérios do novo partido conservador, contribuindo para a revolução parlamentar da maioridade. Por alguns meses ocupou o cargo de ministro do Brasil em Londres. Separou-se, desde 1841, de todas as ligações partidárias, ora apoiando, ora combatendo os gabinetes dos dois grandes partidos constitucionais. Foi o primeiro orador parlamentar que, em nosso país atacou de frente os importadores de escravos africanos, e teve também a honra de ser um dos percussores da propaganda abolicionistas. Em 17 de maio de 1865 apresentou ao Senado vários projetos para a extinção gradual da escravidão: um deles declarava abolida a escravidão no fim de 10 anos para os escravos maiores de 25 e no fim de 15 anos para todos os mais.

Atualizado em: 12/2/2016 16:03