sexta-feira, 15 de janeiro de 2021

PÍLULAS

Publicidade

Debandada no ministério da Justiça

quarta-feira, 2 de março de 2016

Com todo o respeito ao ministro José Eduardo Cardozo, pior que sua saída nas circunstâncias que se deu, foi a anunciada baixa no ministério da Justiça : Juliana Pereira, secretária nacional do Consumidor, está deixando o cargo. Ela decidiu pedir demissão com a saída de Cardozo do comando da pasta. É, sem sombra de dúvida, a mais respeitada técnica do ramo no Brasil. Séria, dedicada, estudiosa, ela mudou o Direito do Consumidor no país. A efetividade do arcabouço legal de defesa do consumidor se deve, em grande medida, a sua atuação no MJ. A propósito, em nome do meio jurídico, mesmo sem mandato para isso, fazemos aqui o agradecimento público pelos serviços prestados ao país. Formada na Faculdade de Direito de Franca, Juliana Pereira foi levada ao MJ na gestão de Márcio Thomaz Bastos e ali, graças a um trabalho incomparável, manteve-se por 12 anos, sempre na área de Direitos do Consumidor. E foi mercê dessa profícua atuação, respeitada por todos os players do mercado, que se criou, especialmente para ela, a Secretaria Nacional do Consumidor, em 2012. Era a concretização de uma ideia plantada e germinada por quase uma década. Agora, sua repentina saída do ministério, assim como a também anunciada saída de Beto Vasconcelos, indicam que há mais coisas entre o céu e a terra do que sonha nossa vã filosofia. Uma pena para o país, que perde dois profissionais dedicados, e que, sobretudo, sabiam diferenciar o público do privado, princípio comezinho que hoje em dia anda tão esquecido. Como provavelmente não serão os únicos a sair, pedimos a gentileza de que o último a passar apague as luzes.

Atualizado em: 2/3/2016 10:08