terça-feira, 24 de novembro de 2020

PÍLULAS

Publicidade

terça-feira, 24 de novembro de 2020

Baú migalheiro

(Imagem: Arte Migalhas)

Em 24 de novembro de 1861, há 159 anos, nasceu em Nossa Senhora do Desterro, atual Florianópolis, João da Cruz e Sousa, poeta e um dos pioneiros do movimento simbolista no Brasil. Ele também era chamado de Dante Negro e Cisne Negro. Com seu livro "Broquéis", publicado em 1893, deu início ao simbolismo no país. Seus poemas são marcados pela musicalidade, individualismo e pela cor branca. Filho de ex-escravos, Cruz e Sousa cresceu sob a tutela de seu ex-senhor, o Marechal Guilherme Xavier de Sousa, de quem adotou o nome de família Sousa. A esposa de Guilherme, não tinha filhos, e, por isso, passou a cuidar de Cruz e Sousa. Desta forma, ele aprendeu francês, latim e grego, matemática e ciências naturais. Morreu no dia 19 de março de 1898, em de Sítio/MG, vítima de tuberculose.

segunda-feira, 23 de novembro de 2020

Baú migalheiro

(Imagem: Arte Migalhas)

Em 23 de novembro de 1979, há 41 anos, foi realizada a primeira transfusão de sangue chamada de "plastic-blood", em Minneapolis, pelo médico frânces Jean Baptiste Denis. Investigadores da Universidade de Sheffield desenvolveram o substituto do sangue e denominaram de "sangue de plástico". Este tipo sintético poderia ser usado em situações extremas como em guerras ou desastres naturais nos quais se necessite grande quantidade. Isso por ser muito barato de fabricar e pode ser transportado com muita facilidade devido a seu baixo peso e a que não necessita de frio para conservá-lo. Este invento é considerado como um grande avanço, devido a suas vantagens para transportá-lo e por ser totalmente estéril. 

sexta-feira, 20 de novembro de 2020

Baú migalheiro

(Imagem: Arte Migalhas)

Em 20 de novembro de 1920, há 100 anos, morreu um dos maiores nomes da literatura mundial, o escritor russo Leon Tolstoi, aos 82 anos. Sua morte ocorreu por conta de uma pneumonia, contraída durante uma fuga de casa na sua tentativa de viver uma vida simples. Ele se tornou uma figura respeitada e mundialmente famosa por seus livros e pela luta pacifista. Escreveu o consagrado livro Guerra e Paz, em que descreve dezenas de diferentes personagens durante a invasão napoleônica de 1812, em que os russos incendiaram Moscou. Sua outra obra bastante conhecida é Anna Karenina, com histórias paralelas de uma mulher presa nas convenções sociais e um proprietário de terras filósofo, que tenta melhorar a vida dos seus servos.

quinta-feira, 19 de novembro de 2020

Baú migalheiro

(Imagem: Arte Migalhas)

Em 19 de novembro de 1889, há 131 anos, o dia da Bandeira foi instituída pelo Marechal Manoel Deodoro da Fonseca, então chefe do governo provisório. Com a Proclamação da República, era necessária a substituição dos símbolos nacionais que remetessem à monarquia. Sendo assim, quatro dias após a proclamação, a nova bandeira foi apresentada e, oficialmente, adotada como bandeira nacional, a partir do Decreto nº 04, assinado pelo presidente provisório. Os autores da Bandeira Nacional foram Raimundo Teixeira Mendes, Miguel Lemos, Manuel Pereira Reis e Décio Vilares.

quarta-feira, 18 de novembro de 2020

Baú migalheiro

(Imagem: Arte Migalhas)

Em 18 de novembro de 1814, há 206 anos, o Brasil perdia Antônio Francisco Lisboa, conhecido como Aleijadinho, considerado um dos maiores artistas barrocos do Brasil. Nascido no dia 29 de agosto de 1730 em Vila Rica (hoje Ouro Preto), suas obras encantaram a sociedade no século XVIII. No seu trabalho, ele usava madeira e pedra-sabão, além de misturar diversos estilos barrocos. Sua vida é cercada por controvérsias, mas, acredita-se que aos 40 anos ficou doente e suspeita-se que ele tenha contraído lepra e, por isso, recebeu o famoso apelido. Por conta da doença, foi perdendo o movimento das mãos e dos pés. A limitação física, contudo, não o impediu de seguir trabalhando em igrejas e altares de Minas Gerais. A importância do seu trabalho, contudo, só foi reconhecida após a sua morte. 

quarta-feira, 18 de novembro de 2020

Pique-pique

(Imagem: STF)

Aos aniversariantes migalheiros do dia, enviamos nosso abraço. E o fazemos em nome do ministro aposentado Carlos Augusto Ayres de Freitas Britto, do STF, que assiste hoje às comemorações de seu aniversário.

terça-feira, 17 de novembro de 2020

Baú migalheiro

(Imagem: Arte Migalhas)

Em 17 de novembro de 1917, há 103 anos, morreu Auguste Rodin, considerado um dos mais influentes escultores dos movimentos do impressionismo e do simbolismo. Nascido em Paris, em 1840, conquistou a fama ao se dedicar a temas inspirados no momento da criação e na anatomia humana. Sua obra mais conhecida é "O Pensador", que retrata um homem em meditação, lutando com uma poderosa força interna. Outra obra célebre é "O Beijo", que faz parte de uma série de esculturas realizadas para a Porta do Inferno, do Museu de Artes Decorativas, de Paris. Ele levou 20 anos para concluir o trabalho e, mesmo assim, morreu sem terminar. 

segunda-feira, 16 de novembro de 2020

Baú migalheiro

(Imagem: Arte Migalhas)

Em 16 de novembro de 1922, há 98 anos, nasceu José Saramago, na cidade de Golegã, em Portugal. Ele conquistou o Nobel no dia 18 de outubro de 1998. Sobre a premiação, o júri disse que o escritor português, com parábolas portadoras de imaginação, compaixão e ironia, torna constantemente compreensível uma realidade fugidia. Autor de 20 romances, fora poesias, crônicas, contos e peças para teatro, Saramago morreu no dia 18 de junho de 2010, em sua residência em Lanzarote, nas Ilhas Canárias. Em 1991, o livro O Evangelho Segundo Jesus Cristo foi censurado pelo governo português, e Saramago decidiu exilar-se em Lanzarote. O livro Ensaio sobre a Cegueira foi transformado em filme pelo diretor brasileiro Fernando Meirelles em 2008.

sexta-feira, 13 de novembro de 2020

Pique-pique

(Imagem: Montagem Migalhas/STJ/STF)

Aos aniversariantes migalheiros do dia, enviamos nosso abraço. E o fazemos em nome do ilustre ministro Herman Benjamin, do STJ, que assiste hoje às comemorações de seu aniversário e do ilustre ministro Dias Toffoli, do STF, que assistirá no domingo às comemorações de seu aniversário.

sexta-feira, 13 de novembro de 2020

Baú migalheiro

(Imagem: Arte Migalhas)

Em 13 de novembro de 1956, há 64 anos, a Suprema Corte dos EUA decidiu que a segregação racial nos ônibus era ilegal e inconstitucional na cidade de Montgomery e no Estado do Alabama. O caso na Justiça teve início com a prisão de Rosa Parks, uma negra norte-americana presa por negar dar o seu assento no transporte público para um branco. Sua prisão, no dia 1º de dezembro de 1955, deu início a um boicote da comunidade negra ao transporte público. Os negros representavam 3/4 dos usuários. Pelas regras, os brancos se sentavam na parte da frente do ônibus, e os negros atrás. Se a parte de trás estivesse lotada e a da frente não, os negros não poderiam se sentar ali. O boicote chegou oficialmente ao fim no dia 20 de dezembro de 1956, após 381 dias.

Publicidade