segunda-feira, 23 de novembro de 2020

COLUNAS

Publicidade

Cenário - 17.8.18

sexta-feira, 17 de agosto de 2018

Os debates que reuniram candidatos a governador, ontem, na TV Bandeirantes, não fugiram à regra: acentuaram a atmosfera bélica presente nas campanhas ao Planalto.

Quem está no cargo e busca a reeleição, no geral, sofreu bastante. Já aqueles que representam projetos políticos tradicionais também foram alvos.

Os ataques giraram em torno do que não foi feito e/ou ficou pela metade. A estratégia de passar a limpo promessas descumpridas, reproduzindo ao eleitor datas e frases marcantes, beirou quase um 'check list'.

Os efeitos da crise política, claro, impulsionaram os clichês. O diagnóstico de que o marasmo econômico não pode mais vitimar o cidadão foi outra muleta importante.

Lula e Michel Temer figuraram como cabos eleitorais às avessas.

A dinâmica dos debates mostrou que ser acusado de aliado ou se apresentar dessa forma será, ao longo da jornada eleitoral, sinônimo ataques abaixo da linha da cintura.

Replay

Para quem não viu

As íntegras dos debates de São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Paraná, Bahia, Rio Grande do Sul, Distrito Federal e Rio Grande do Norte estão no Youtube.

PT

Mais Moro, menos Haddad

Conteúdos do programa do PT na internet, por enquanto, têm mais referências indiretas ao juiz Sérgio Moro do que a Fernando Haddad.

O partido associará a ausência de Lula nas eleições ao suposto cerceamento da vontade do eleitor, resumido na frase: "Ninguém vai aprisionar a vontade do povo, se fecha com Lula, digite 13".

A intenção é estimular o voto de legenda.

MDB

PPP da Segurança

Para aumentar a sensação de segurança nas áreas urbanas, Henrique Meirelles (MDB) defende em seu programa de governo policiamento ostensivo custeado por Parcerias Público-Privadas (PPP).

Colocar a ideia em prática implica em mexer na Constituição, retirando dos governos estaduais parte da autonomia que têm hoje relacionada às PMs.

Cota

Candidatas mulheres

A ONU Mulheres tentará influenciar o debate eleitoral deste ano levantando a bandeira da participação igualitária de mulheres e homens na disputa por cargos públicos.

O organismo internacional considera que a cota de 30% dos registros não tem efeito relevante na ocupação das vagas.

Estatísticas dos registros de candidatura mostram que os partidos cumprem à risca o mínimo de inscritas - só para não sofrer sanções.

Pelas estatísticas oficiais, 30,6% dos que concorrerão nas eleições deste ano são mulheres.

Partidos

Um 'cantinho'

Sinais cada vez mais incomuns têm sido emitidos pelos partidos que, com ou sem voto, buscam ampliar suas presenças junto ao eleitor.

Um deles é a reedição (pela esquerda!) de um artifício há décadas abandonado no Brasil: a abertura de espaços para sublegendas.

Apesar do imenso espectro partidário, o PSOL decidiu reservar um 'cantinho' do partido para o Movimento Revolucionário dos Trabalhadores (MRT).

A sublegenda terá candidatos a deputado estadual e Federal, mas para votar neles será preciso apertar os números correspondentes ao PSOL na urna.

Números

Pesquisas eleitorais

A formalização do registro de candidatura de Lula à presidência da República deu novo impulso à demanda por pesquisas de intenção de voto.

Da tarde do dia 15 até hoje, 14 sondagens foram registradas no TSE.

Os interessados em antecipar os resultados da disputa presidencial são empresas de consultoria, institutos de pesquisas e entidades ligadas a estudos estatísticos e políticas econômicas.

No celular

O app das eleições

A ministra Rosa Weber, recém-chegada à presidência do TSE, lançará nos próximos dias uma versão mais afinada do Pardal, aplicativo que permitirá ao eleitor fazer denúncias de irregularidade pelo celular.

Com o app, o eleitor poderá "documentar" a irregularidade com fotos tiradas do próprio celular.

Agenda

Debate - A RedeTV! realiza hoje, às 22h, debate com os candidatos ao Planalto.

Entrevistas - A TV Brasil veicula, a partir de hoje, série de entrevistas com os presidenciáveis. O primeiro a participar é João Amoêdo, do Partido Novo.

Aumento - A Petrobras reajusta hoje o preço do litro da gasolina nas refinarias. O combustível passará a custar R$ 1,9810 - alta de 0,5%.

Nos jornais

Desemprego - Dados do IBGE mostram que, no 2º trimestre, faltou trabalho para 27,6 milhões de brasileiros. O número dos que estão há mais de dois anos procurando emprego chegou ao recorde de 3,1 milhões. (manchete da Folha de S.Paulo, O Globo e O Estado de S. Paulo)

PGR - A presidente do TSE, ministra Rosa Weber, decidiu manter o processo de registro de candidatura do ex-presidente Lula sob relatoria do ministro Luís Roberto Barroso. (todos os veículos)

Ciro - Em entrevista, o presidenciável Ciro Gomes (PDT) diz rejeitar o papel de vítima, mas afirma que candidato a presidente não tem de mostrar temperamento de "ameba". (O Globo)

Alckmin - Geraldo Alckmin (PSDB) divulgou nas redes sociais vídeo no qual rejeita a possibilidade de aliança com o PT ou com o deputado Jair Bolsonaro (PSL) no segundo turno das eleições. (O Estado de S. Paulo)

Mulheres - O número de mulheres registradas pelos partidos para as eleições deste ano ficou próximo ao mínimo exigido por lei. Dados do TSE mostram que elas representam 30,7% dos pedidos de registro para a disputa aos cargos de deputado estadual e 31,59% para as vagas de deputado Federal. (Folha de S.Paulo e O Estado de S. Paulo)

Debates - A TV Bandeirantes promoveu, na noite de ontem, debates com os candidatos a governador em oito Estados. (todos os veículos)

ANP - Com as novas regras anunciadas pela ANP para aumentar a transparência dos preços dos combustíveis, a Petrobras terá de divulgar, pela primeira vez, a fórmula de precificação. A medida é considerada um marco importante na transição para um mercado mais aberto. (manchete do Valor Econômico)

Eletrobras - O órgão especial do TRT-RJ aprovou a manutenção da liminar concedida pela 49ª vara do Trabalho do Rio, que determinou a suspensão do processo de privatização das distribuidoras da Eletrobrás. (todos os veículos)

Atualizado em: 17/8/2018 08:27