terça-feira, 20 de outubro de 2020

COLUNAS

Publicidade

Cenário - 27.8.18

segunda-feira, 27 de agosto de 2018

Com o início da série de entrevistas logo mais à noite, o Jornal Nacional reedita o que fez há quatro anos e impõe novo ritmo à corrida ao Planalto.

A despeito do que falaram até agora em debates e sabatinas, os candidatos sabem que deixar uma boa impressão no principal telejornal do país conta muito.

O histórico de interação no JN mostra que os presidenciáveis terão pouco espaço para meias palavras. A dinâmica é de confronto. E as perguntas desconcertantes são comuns.

Na versão de 2014 os candidatos tinham apenas 15 minutos para falar. Agora, são 25.

Tanto tempo no ar requer preparo e sangue frio. As campanhas sabem disso e submeteram os políticos a treinamentos especiais.

A ordem das entrevistas foi definida por sorteio. Ciro Gomes (PDT) será o primeiro a ocupar a bancada.

Jair Bolsonaro (PSL) será entrevistado amanhã. Na quarta-feira, será a vez de Geraldo Alckmin (PSDB) e, na quinta-feira, Marina Silva (Rede) fechará a lista.

Os presidenciáveis também serão entrevistados nos mesmos dias pelo Jornal das 10, da Globonews.

Guinada

Alckmin nas redes

As redes sociais de Geraldo Alckmin (PSDB) rejuvenesceram pelo menos 30 anos em um fim de semana.

Após a troca da coordenação, os textos padronizados e as fotos formais de campanha deram lugar a uma nova estética.

'Economês'

Vice em ação

Jair Bolsonaro (PSL) tem observado a distância as investidas do vice Hamilton Mourão.

Na semana passada, o companheiro de chapa do presidenciável testou uma plateia de gente graúda do mercado ao falar com desenvoltura sobre fundamentos, conceitos e até da "Curva de Laffer".

Memórias

O livro de Dirceu

As memórias do ex-ministro José Dirceu foram concluídas e está tudo pronto para o lançamento de seu livro.

Em razão da obra, o petista quebrará longos anos de silêncio e concederá entrevistas.

Uma delas está disponível no site do PT.

Data

Em defesa do ECA

A Comissão de Direitos Humanos e Minorias da Câmara dos Deputados convocou audiência pública para comemorar, na quarta-feira, 29, os 28 anos de existência do Estatuto da Criança e do Adolescente.

Diplomacia

Modo espera

Os futuros ocupantes das embaixadas do Brasil na Costa Rica, Guatemala, Guiné-Bissau, Namíbia, Arábia Saudita e Iêmen aguardam na fila pela aprovação de seus nomes pelo Senado.

É que o recesso branco provocado pelas eleições tem prejudicado as votações.

Agenda

Frete - O STF realiza hoje audiência pública que debaterá termos da MP que instituiu a política de preços mínimos no transporte rodoviário de cargas.

CUT - Sessão solene da Câmara homenageará os 35 anos da CUT. A solenidade também lembrará o 39º aniversário da Lei da Anistia.

Contas públicas - O Tesouro Nacional divulga o desempenho das contas do governo, tendo julho como período de referência.

Focus - O boletim com estimativas do mercado para inflação e PIB será divulgado hoje pelo Banco Central.

Nos jornais

TSE - Sob a justificativa de economizar R$ 61,4 milhões neste ano e corrigir distorções do número de eleitores, o TSE cortou 395 juízes e 395 promotores que atuariam nas eleições. (manchete Folha de S.Paulo)

Gil - Em entrevista, o cantor e ex-ministro Gilberto Gil elogia Fernando Haddad, Ciro Gomes e Marina Silva, mas defende o voto útil. Afirma que aguarda quem terá mais chances para ir ao segundo turno. "Sou Lula Livre, mas não necessariamente para votar nele". (Folha de S.Paulo)

PT 1 - O PT é acusado de fazer propaganda irregular na internet após uma série de comentários nas redes sociais e levou o Piauí a ser um dos assuntos mais relevantes do Twitter ontem. (todos os veículos)

PT 2 - A jornalista Paula Holanda, militante de esquerda e influenciadora digital com mais de 6.700 seguidores no Twitter, disse em uma sequência de tuítes, que foi convidada, em troca de dinheiro, pela agência Lajoy a promover conteúdo de esquerda. (todos os veículos)

Religiosos - Ao menos 569 dos mais de 28 mil candidatos inscritos nesta eleição usam nome religioso nas urnas. As designações preferidas são ligadas a igrejas evangélicas, como pastor, irmão e missionário e suas inflexões femininas. (Folha de S.Paulo)

Marina - Única evangélica entre os principais candidatos ao Planalto, Marina Silva (Rede) perdeu o embalo do crescimento do eleitorado dessa religião desde 2014. Hoje ela tem 12% das intenções de voto desse público, em 2014 era 43%. (O Estado de S. Paulo)

PSL - Na disputa por votos dos evangélicos, Jair Bolsonaro (PSL) segue a estratégia, exposta no debate da Band, de atrelar Marina Silva (Rede) a uma agenda "não cristã". (O Estado de S. Paulo)

Crimes - Entre 2015 e 2016, o estado do Rio registrou uma série de assassinatos de vereadores e pré-candidatos na Baixada Fluminense. Foram 13 homicídios em nove meses. De lá para cá, somente três foram esclarecidos pela polícia. (manchete O Globo)

Bancos x imóveis - Desde o início de 2014, as cinco maiores instituições financeiras do país retomaram R$ 11,5 bilhões em imóveis por falta de pagamento. O setor estima que essa cifra corresponde a cerca de 70 mil casas e apartamentos. (manchete O Estado de S. Paulo)

Câmbio - A maior desvalorização do real em relação ao dólar e uma variação em ritmo mais aproximado entre custo de produção e preços médios devem contribuir para um ganho de rentabilidade aos exportadores em 2018. (Folha de S.Paulo e Valor Econômico)

WalMart - A gestora Advent, que há dois meses comprou 80% do capital do Walmart no Brasil, vai investir R$ 1,9 bilhão na rede varejista para reestruturar e recuperar a operação da rede americana, que fracassou no país. (manchete Valor Econômico)

Tiroteio - Um ataque durante um campeonato de videogame em Jacksonville, Flórida (EUA), deixou ao menos dois mortos e 11 feridos ontem. O atirador, que se suicidou, foi identificado como David Katz, morador de Baltimore. (Folha de S.Paulo, O Estado de S. Paulo e O Globo)

Atualizado em: 27/8/2018 08:40

COORDENAÇÃO

FSB Inteligência,

Publicidade