sábado, 28 de novembro de 2020

COLUNAS

Publicidade

Cenário - 11.9.18

terça-feira, 11 de setembro de 2018

Em se confirmando a expectativa de que Fernando Haddad substituirá Lula como cabeça de chapa, o PT (nem de longe!) recuperará o tempo perdido.

Apesar disso, a troca - prevista para ocorrer em algum momento do dia - coincide com eventos importantes que, de alguma maneira, podem servir de alento ao ex-prefeito de São Paulo.

Pesquisas de intenção de voto começam a referendar Haddad como um dos polos de atração do eleitorado lulista.

Internamente, houve um claro reposicionamento e Haddad testou - com relativo sucesso - sua voz em redutos pró-Lula.

Por fim, as viagens que o 'vice' fez pelo país ajudaram a consolidar estratégias que a partir de agora devem ganhar relevância e escala.

Consta no planejamento ideal elaborado pelos apoiadores de Haddad testar uma espécie de pacto de não agressão direta aos colegas do chamado 'campo de esquerda'. A campanha petista espera reciprocidade de Marina Silva (Rede) e Ciro Gomes (PDT).

Tema de campanha 1

Efeito Palocci

No meio do tiroteio político, a Justiça Federal ressuscitou um assunto mais do que delicado para o PT.

Foi marcado para o dia 20/11 o depoimento do ex-ministro Antonio Palocci em um processo que investiga supostas irregularidades na compra de caças suecos durante o governo Dilma Rousseff.

Tema de campanha 2

A prisão de Richa

Não menos sensível para o PSDB, a prisão esta manhã do ex-governador do Paraná Beto Richa, candidato ao Senado, também reabre frentes desconfortáveis para os tucanos em plena campanha.

Richa é alvo de uma operação realizada pelo Ministério Público do Paraná (MP-PR) e de uma nova fase da Lava Jato.

Roteiro

Ciro e o Maranhão

No giro que faz pelo Nordeste, a previsão inicial era de que Ciro Gomes (PDT) participasse de um grande ato em São Luís/MA.

O presidenciável decidiu reavaliar a visita para não constranger o governador Flávio Dino (PCdoB), que duplicou o palanque em prol de Lula e dele, Ciro.

Internet

Excluídos digitais

O TCU recomendou ao governo Federal que, no decreto que remodelará a política de telecomunicações, não leve em consideração apenas o número de excluídos digitais por região para fomentar ações e programas de incentivo.

A ministra relatora Ana Arraes adverte que, apesar de o eixo Sul/Sudeste ter um número maior de pessoas sem acesso às tecnologias, nessas regiões a iniciativa privada tem um potencial maior de atuação do que no Norte, por exemplo, onde os serviços digitais necessitarão de aporte integral do Estado.

Vizinhança

Corredor de passagem

Um balanço da Polícia Federal mostra que os venezuelanos recorrem ao Brasil para fugir da crise, mas menos da metade fixa moradia em solo nacional.

Do fim de 2017 até este ano, 154.920 venezuelanos atravessaram a fronteira. Desses, 79.402 já deixaram o Brasil.

Jaguaribe

A verdadeira Ursal

O Brasil perdeu o cientista político e imortal da ABL Hélio Jaguaribe, mas seu pensamento continua vivo.

Jaguaribe defendeu, em 1976, durante os últimos suspiros do regime militar, a integração das Américas para superar a dependência dos grandes centros e desencadear o desenvolvimento regional.

Agenda

Presidenciáveis 1 - G1 e CBN entrevistam hoje Vera Lúcia (PSTU).

Presidenciáveis 2 - Folha, UOL e SBT sabatinam hoje Geraldo Alckmin (PSDB).

Presidenciáveis 3 - A EBC entrevista hoje, às 17h30, Ciro Gomes (PDT).

Campo - Estimativas de área plantada, área colhida, quantidade produzida e rendimento médio de produtos agrícolas de agosto serão divulgados hoje pelo IBGE.

Indústria - O IBGE também apresentará números regionais da produção física da indústria em julho.

Nos jornais

Datafolha 1 - Nova pesquisa eleitoral do Datafolha aponta que Jair Bolsonaro (PSL) manteve a liderança da corrida presidencial, com 24% das intenções de voto, após o início da propaganda eleitoral e o atentado que sofreu. (manchete em Folha de S.Paulo e O Globo)

Datafolha 2 - Quatro candidatos aparecem empatados em segundo lugar, dentro da margem de erro: Ciro Gomes (PDT) tem 13% das intenções de voto, Marina Silva (Rede) 11%, Geraldo Alckmin (PSDB) 10% e Fernando Haddad (PT) 9%. (manchete em Folha de S.Paulo e O Globo)

Bolsonaro - Os candidatos ao Planalto, apesar das manifestações de apoio e repúdio à violência, retomaram o tom crítico contra Jair Bolsonaro. (manchete de O Estado de S. Paulo)

Haddad - A pedido de Lula, Fernando Haddad vai prolongar sua estadia em Curitiba para fechar a estratégia da troca na chapa petista. O ex-prefeito de São Paulo deve oficializar a candidatura hoje. (todos os veículos)

Sabatina - Em entrevista à Folha, UOL e SBT, o candidato à presidência Álvaro Dias (Podemos), crítico dos governos petistas, afirmou que Haddad "vai carregar o ônus de ser o representante de uma organização que destruiu o país nos últimos anos". (Folha de S.Paulo e O Estado de S. Paulo)

Minas - A Justiça mineira apresentou pedido para que a PGR investigue se o governador Fernando Pimentel (PT), que tenta a reeleição, cometeu algum crime ao não repassar a instituições financeiras recursos de empréstimos consignados descontados de servidores estaduais. (Folha de S.Paulo, O Estado de S. Paulo e Valor Econômico)

Abram - O presidente Michel Temer assinou ontem MP que cria a Agência Brasileira de Museus (Abram), responsável por coordenar a reconstrução do Museu Nacional e gerenciará 27 unidades. A agência terá um orçamento inicial de R$ 200 milhões, remanejados do Sebrae. (todos os veículos)

ANTT - A Agência Nacional de Transportes Terrestres informou que estuda aplicar multa de R$ 5 mil por viagem àqueles que contratarem transporte rodoviário de carga com valor inferior ao disposto pela agência. (todos os veículos)

Mercado - O Ibovespa encerrou o dia ontem em alta de 0,02%. Já o dólar recuou e fechou a R$ 4,0940. (todos os veículos)

Salário mínimo - O próximo presidente da República terá pela frente um desafio comparável, em termos políticos, ao da reforma da Previdência: propor ao Congresso uma nova política de correção para o salário mínimo. (manchete do Valor Econômico)

Obituário - O sociólogo e cientista político Hélio Jaguaribe morreu no último domingo, no Rio de Janeiro, aos 95 anos. Ele estava em sua casa, em Copacabana, e foi vítima de falência múltipla dos órgãos. (todos os veículos)

Atualizado em: 11/9/2018 08:53