quarta-feira, 2 de dezembro de 2020

COLUNAS

Publicidade

Cenário - 28.9.18

sexta-feira, 28 de setembro de 2018

O novo Datafolha que será divulgado hoje à noite agregará pouco à estratégia dos que lideram a corrida ao Planalto.

Ainda que as taxas de Jair Bolsonaro (PSL) e Fernando Haddad (PT) se movimentem, o ajuste fino das campanhas não muda.

Independentemente da pesquisa, a ação de curtíssimo prazo definida por ambos segue até pelo menos o debate da Record - marcado para o próximo domingo (30), às 22h.

Bolsonaro - que não deverá ir à TV - e Haddad estabeleceram sistemas de defesa bastante semelhantes: o lema é resistir e rebater. E até o timing é quase idêntico.

Tal combinação faz todo o sentido nessa fase da eleição. Seus efeitos, no entanto, é que são imprevisíveis.

Principalmente quando se é alvo da mídia e do fogo amigo.

________________________________________

Bolsonaro

A vida lá fora

Mesmo ativo nas redes sociais e em contato direto com os diversos núcleos de sua campanha, Jair Bolsonaro (PSL) não tem conseguido dar o exato tom que gostaria às polêmicas que marcaram a semana.

________________________________________

Encontro

Agenda feminina

As candidatas a vice Kátia Abreu (PDT), Ana Amélia (PP), Manuela D'ávila (PCdoB) e Sônia Guajajara (PSOL) se encontrarão hoje para um debate com ares de solução ganha-ganha.

O objetivo do encontro 'Mulheres na Política' é colocar em perspectiva as propostas que estão em foco nesta eleição.

O debate será exibido nas plataformas digitais do jornal El País e do Instituto Locomotiva.

________________________________________

Judiciário

Em defesa da urna

O veto ao registro da candidatura do ex-presidente Lula não foi o maior desafio enfrentado por Rosa Weber desde que assumiu a presidência do TSE.

A ministra encara quase como uma missão o papel de defender a segurança e a legitimidade da urna eletrônica.

Minutos antes do início das votações, no dia 7 de outubro, seções eleitorais serão sorteadas aleatoriamente para uma auditoria relâmpago.

Tudo em tempo real e sob os olhares dos eleitores, de representantes de partidos, da OAB e do Ministério Público.

________________________________________

Investigação

A seca e suas mazelas

A Justiça Eleitoral mandou parar as obras do Departamento Nacional de Obras Contra as Secas (Dnocs) no Ceará por denúncias de abuso de poder.

Veja aqui a íntegra da decisão.

________________________________________

Congresso

Pós-eleições

O Senado pretende concluir a votação do projeto de conversão que mantém benefícios de renegociação de dívidas para a agricultura familiar.

Lideranças já avisaram também que manterão o piso para os agentes comunitários de saúde e os combatentes de endemias.

________________________________________

Questão de ordem

Foro

A PEC que põe fim ao foro privilegiado saiu da gaveta, voltou para lá de novo e agora repousa no Congresso.

Enquanto isso, a decisão do STF de restringir a interpretação da prerrogativa começa a dar frutos nas instâncias de acesso.

Um exemplo é o caso - que corre em segredo - de um juiz do Trabalho que agrediu a mulher e pretendia ser julgado pela Justiça Federal de segunda instância, conforme o foro.

O TRF da 3ª Região mandou o assunto para a Justiça comum.

________________________________________

Agenda

Contas públicas - O Banco Central divulga o resultado das contas do setor público de agosto

Desemprego - O IBGE divulga a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua Mensal e com ela a taxa de desemprego do mês de agosto

Leilão - A ANP realiza hoje a 5ª Rodada de Licitações de Partilha da Produção em áreas do pré-sal. Serão oferecidos quatro blocos de exploração localizados nas bacias de Santos e Campos

Nos jornais

Mourão - Em palestra no Rio Grande do Sul, o candidato a vice na chapa de Jair Bolsonaro (PSL), general Hamilton Mourão (PRTB), criticou benefícios previstos na lei trabalhista como o 13º salário, classificado por ele como "jabuticaba brasileira". Bolsonaro publicou, em sua conta no Twitter, uma reprimenda a quem critica o direito trabalhista (todos os veículos)

Haddad - Fernando Haddad (PT) escolheu como tesoureiro de sua campanha Francisco Macena, denunciado em maio pelo Ministério Público sob suspeita de uso de caixa 2 na campanha de 2012 (O Globo, O Estado de S. Paulo e Folha de S.Paulo)

Alckmin - Geraldo Alckmin (PSDB) foi hostilizado no palco de um evento evangélico, ontem, em São Paulo. O público da Expocristã vaiou e gritou o nome de Bolsonaro (todos os veículos)

Garotinho - O Tribunal Superior Eleitoral decidiu ontem barrar a candidatura de Anthony Garotinho (PRP) ao governo do Rio de Janeiro. Por unanimidade, os ministros indeferiram o registro do ex-governador com base na Lei da Ficha Limpa (todos os veículos)

Bolsonaro - A saída do presidenciável Jair Bolsonaro (PSL) do hospital Albert Einstein, em São Paulo, foi adiada após a equipe médica identificar uma infecção bacteriana. Ele está hospitalizado desde 6 de setembro e ainda não teve a previsão de alta hospitalar confirmada (todos os veículos)

2ª instância - O ministro do STF Ricardo Lewandowski pediu ontem, por meio de um ofício, que o presidente da Corte, Dias Toffoli, paute as ações que discutem as prisões de condenados em segunda instância antes da conclusão do julgamento de um recurso do ex-presidente Lula (O Globo)

PIB - Com a perda de ritmo da recuperação econômica no segundo trimestre e a paralisação dos caminhoneiros, o Banco Central voltou a revisar para baixo a projeção para a alta do PIB deste ano, de 1,6% para 1,4% (todos os veículos)

Petrobras - A Petrobras vai pagar multa de US$ 853 milhões (R$ 3,4 bilhões) para encerrar investigações do Departamento de Justiça dos Estados Unidos sobre os crimes de corrupção descobertos pela operação Lava Jato (manchete do Valor Econômico)

Câmbio - O dólar fechou abaixo de R$ 4 ontem como reflexo da entrada de investidores estrangeiros no mercado brasileiro. É a primeira vez que a moeda americana atinge o patamar desde 20 de agosto - terminou o dia em R$ 3,9950 (todos os veículos)

Roriz - Afastado há oito anos da cena política, o ex-governador do Distrito Federal Joaquim Roriz morreu ontem em decorrência de problemas de saúde que vinha enfrentando há alguns anos (todos os veículos)

Atualizado em: 28/9/2018 08:47