quarta-feira, 2 de dezembro de 2020

COLUNAS

Publicidade

Cenário - 17.7.19

quarta-feira, 17 de julho de 2019

Um passo decisivo

As conversas entre os chefes de Estado do Mercosul vão determinar nos próximos dias um horizonte decisivo para o acordo comercial com a União Europeia.

Uma reunião de cúpula da organização acontece hoje na Argentina.

A previsão é que o acordo entre os dois blocos só entre em vigor após a aprovação do Parlamento Europeu e dos Poderes Legislativos de cada país do Mercosul.

O governo brasileiro pressiona para aprovar uma mudança que permita aos países sul-americanos que aprovarem em seus Congressos o acordo já possam implementá-lo, sem depender dos vizinhos.

A pressão brasileira leva em conta das eleições presidenciais vindouras na Argentina e no Uruguai.

Na campanha dos argentinos, o acordo comercial é tema dos debates, e Alberto Fernández, apoiado pela ex-presidente Cristina Kirchner, disse que pretende rever o pacto dos dois blocos.

Caso o Brasil consiga convencer os demais países do Mercosul de sua posição, pode ganhar autonomia em relação às disputas eleitorais vizinhas e avançar mais rápido no acordo com a União Europeia.

Cone Sul

Fim do roaming

O Brasil vai assinar um acordo que prevê o fim da cobrança de "roaming" internacional em serviços de telecomunicação entre os países do Mercosul.

A decisão deverá ser anunciada hoje na reunião de cúpula da organização.

O acordo firmado pelo bloco sul-americano com a União Europeia estabelece que os dois blocos cooperem para fornecer "serviços de roaming transparentes e com tarifas razoáveis".

Após a assinatura do acordo entre os presidentes sul-americanos, ainda será necessário fazer adaptações técnicas para a medida entrar em vigor.

Embaixada

A indicação de Bolsonaro

O presidente Jair Bolsonaro disse que já definiu a indicação do deputado Eduardo Bolsonaro para a embaixada do Brasil em Washington.

Após confirmar oficialmente a indicação, o filho do presidente será submetido a uma sabatina na Comissão de Relações Exteriores do Senado.

Depois disso, os senadores decidem em votação secreta se aprovam a escolha presidencial para o posto diplomático.

Hoje, não há certeza sobre a aprovação da indicação, que pegou os senadores de surpresa e tem sido criticada por parlamentares de diferentes partidos.

Como a votação é secreta, não há como o governo monitorar ou garantir a vitória.

Pesquisa 1

A primeira impressão do mercado

Uma pesquisa da XP Investimentos, com 83 investidores institucionais, mostra o primeiro impacto da aprovação da reforma nas expectativas do mercado e como as avaliações flutuam rapidamente nesse segmento.

Em maio, 71% dos entrevistados apostavam que a reforma só seria aprovada completamente no quarto trimestre. Agora, 73% confiam que a promulgação ocorra ainda no terceiro trimestre.

Com essa nova perspectiva, 57% desses investidores disseram que agora vão aproveitar "a eventual volatilidade para aumentar sua exposição no Brasil".

Outros 25% vão reduzir o risco, "mudando a posição para benchmark". Para 17%, é hora de "proteger parte do risco em Brasil".

Os investidores se dividem sobre qual será o foco nos próximos meses.

Para 39%, é hora de dar atenção ao crescimento econômico, enquanto 33% acompanham a reforma tributária. Outros 14% estão mais interessados no mercado internacional e 13% nas privatizações.

Pesquisa 2

Aprovação do governo

O levantamento mostra ainda como o humor dos investidores oscilou drasticamente em relação ao presidente Jair Bolsonaro durante a tramitação da reforma da Previdência.

Em maio, com incertezas rodando a aprovação da reforma em plenário, a aprovação do governo era de 14%. Após a votação favorável na Câmara, esse índice saltou para 55%, melhor resultado desde fevereiro.

A expectativa em relação ao governo também registrou alta entre os agentes econômicos. Pulou de 27%, em maio, para 55% agora.

A taquicardia do mercado também foi sentida em relação ao Congresso.

Em maio, apenas 32% dos investidores tinham uma avaliação positiva em relação ao Legislativo. Agora, esse índice chegou a 86%.

Indicador

Saúde das empresas

Nos primeiros seis meses do ano, houve queda de 17,9% nos pedidos de recuperação judicial em relação ao mesmo período do ano passado.

Até junho, foram 618 pedidos de recuperações judiciais. Comparado ao mesmo período do ano passado, foram 753 requisições.

Os dados são do indicador Serasa Experian de Falências e Recuperações.

Por outro lado, houve aumento de 39,8% nos pedidos de recuperação entre maio e junho, com um total de 144 requerimentos. Em relação a junho do ano passado, o aumento foi de 45,5%.

STF 

Investigações limitadas

O presidente do STF, ministro Dias Toffoli, suspendeu liminarmente todas as investigações do Ministério Público que utilizem dados compartilhados pelo Coaf sem autorização judicial.

Entre elas, uma que atinge o senador Flávio Bolsonaro, filho do presidente.

Um julgamento para determinar os limites das investigações baseadas em informações compartilhadas pelo Coaf com o MP e se o órgão pode repassar seus relatórios aos procuradores sem autorização judicial está marcado para plenário no STF para novembro.

Lava Jato

Reclamação disciplinar

O corregedor do Conselho Nacional do Ministério Público, Orlando Rochadel Moreira, decidiu instaurar uma reclamação disciplinar contra os procuradores da operação Lava Jato Deltan Dellagnol e Roberson Pozzobon.

Os dois terão dez dias para prestar esclarecimentos sobre intenção de abrir uma empresa em nome de suas esposas para cobrar por palestras que faziam para defender o combate à corrupção. Por lei, procuradores não podem ser sócios de empresas.

A intenção foi revelada por uma reportagem da Folha de S.Paulo que acessa a mesma base de mensagens relevadas pelo site The Intercept.

Após receber a versão dos procuradores, o corregedor vai analisar se é o caso de arquivamento ou de abertura de processo disciplinar.

O corregedor não questionou a integridade das mensagens para abrir o procedimento contra os procuradores da Lava Jato.

O processo, se aberto, pode levar a punições como suspensão, censura, advertência, sendo a mais grave a aposentadoria compulsória, quando o integrante do Ministério Público perde o cargo, mas continua a receber salário.

AGENDA

Mercosul - O presidente Jair Bolsonaro participa da reunião de cúpula do Mercosul.

Economia - O ministro da Economia, Paulo Guedes, tem café da manhã de trabalho, às 9h, com os ministros da economia e presidentes de Bancos Centrais do Mercosul.

PIB - A FGV divulga hoje o Monitor do PIB de maio.

Agronegócio - A ministra da Agricultura, Tereza Cristina, se reúne às 15h com o presidente da Caixa Econômica Federal, Pedro Guimarães, para tratar do financiamento do agronegócio.

EDUCAÇÃO

Cursos - Escola de negócios na Itália oferece cursos curtos para brasileiros.

SABER

Cultura - Conheça a história de dez mulheres latinas que mudaram a história dos EUA.

SUSTENTÁVEL

Taxas - Entenda como funcionam e para que servem as taxas turísticas em áreas de proteção ambiental no Brasil.

TECH

Radiação - Entenda se a radiação da tecnologia 5g faz mal à saúde.

BEM-ESTAR

Posição - Ministro Osmar Terra diz que uso medicinal da maconha incentivaria consumo generalizado.

Atualizado em: 17/7/2019 08:36