terça-feira, 1 de dezembro de 2020

COLUNAS

Publicidade

Cenário - 18.7.19

quinta-feira, 18 de julho de 2019

Uma nova era para o 'bancão'

O BNDES vai inaugurar outra fase. A transição sinalizada até agora pelo comando recém-chegado à instituição sugere ajustes importantes, entre os quais a venda de participações acionárias.

Depois de passar as últimas décadas comprando pedaços de empresas estatais e privadas, os movimentos que virão - certamente - despertam atenções.

O presidente do banco, Gustavo Montezano, está disposto a se desfazer da maior parte da carteira do BNDESPar, que hoje soma cerca de R$ 106 bilhões - mais de R$ 50 bilhões são ações da Petrobras.

A carteira inclui ainda papéis dos setores elétrico e siderúrgico, além de fatias em saneamento e no mundo imobiliário. Veja mais.

Os próximos passos do BNDES podem provocar oscilações no mercado financeiro, elevando ou derrubando preços. É o que projetam os analistas.

Daí o cuidado com as palavras e os gestos por parte de quem lidera o processo. Durante esse período, o discurso de ajuste precisará estar calibrado às sensibilidades políticas e econômicas do momento.

Oscilações muito fortes podem, por exemplo, abrir brechas para contestações judiciais de acionistas ou pior: trazer prejuízos ao BNDES.

Montezano acredita que investir apenas para obter lucros financeiros não deve ser a meta do BNDES. O plano é usar esses recursos para dar uma 'guinada' nos projetos e na imagem.

Parte dos recursos obtidos com as vendas das participações acionárias também deve engordar os cofres do Tesouro.

No médio e no longo prazos isso vai ajudar no reequilíbrio fiscal.

FGTS 1

Consumo e vida real

O governo fará sua primeira grande aposta no consumo. Para reaquecer a economia, pretende liberar saques das contas ativas do FGTS e do PIS/Pasep.

A estimativa é que até R$ 63 bilhões fiquem disponíveis para resgate.

As regras e os detalhes mais relevantes devem ser anunciados nos próximos dias.

Pelo o que foi dito até agora, os saques do FGTS serão escalonados, com base na renda do trabalhador e no volume das contas.

Em 2017, o governo Michel Temer liberou R$ 44 bilhões das contas inativas do FGTS e conseguiu dar algum dinamismo para o consumo.

O saldo no fundo pode ser consultado aqui.

FGTS 2

Expectativa contratada

Essa injeção de recursos com foco no consumo deverá fazer girar mais rápido a roda da economia. Já há quem faça os cálculos de impacto no PIB.

Outras ações vão correr em paralelo. Os alvos são o mercado de trabalho e a produção.

Conjuntura 

O que está por aí

O Monitor do PIB, elaborado pela FGV, mostrou um crescimento de 0,5% em maio, frente a abril.

A projeção se assemelha à do IBC-Br, do Banco Central, para o mesmo período.

Apesar do resultado positivo, a FGV calculou que no trimestre móvel (março/abril/maio) houve retração de 0,8% do PIB, quando comparado ao trimestre anterior (dezembro, janeiro, fevereiro). Essa comparação mostra uma trajetória de queda, que pode ter sido quebrada em maio.

O crescimento de 0,5% observado naquele mês é explicado, principalmente, pelo desempenho da agropecuária (1,3%) e da indústria (0,6%), com crescimento em todos os seus componentes.

O setor de serviços ficou estagnado.

Reforma Tributária

Governo quer acordo

O Planalto tem sinalizado que não vai tentar impor sua proposta de reforma tributária ao Congresso.

A ideia amadurecida é tentar incorporar as sugestões da equipe econômica aos projetos que já tramitam ou vão tramitar no Legislativo.

Câmara e Senado vão analisar textos semelhantes, disputando o protagonismo político desse debate.

Previdência

Efeitos colaterais

Dois dos partidos mais tradicionais do país abriram processos para punir os deputados que votaram a favor da reforma da Previdência.

A decisão de PDT e PSB não chega a ser uma novidade.

No primeiro governo Lula, o PT expulsou três parlamentares que votaram contra a reforma da Previdência enviada ao Congresso. O castigo resultou na criação do Psol.

O conselho de ética do PSB julgará a conduta de 11 deputados que contrariaram a determinação do Diretório Nacional, que fechou questão para rejeitar a PEC da Previdência.

Já o PDT, além de acionar o conselho de ética, suspendeu os oito desobedientes.

AGENDA

Planalto - O presidente Jair Bolsonaro participa, às 16 horas, da cerimônia de celebração de 200 dias de governo.

Termômetro - A FGV divulga hoje o Índice Geral de Preços do Mercado (IGP-M) do 2º decêndio de julho.

Indústria - A CNI divulga hoje o Índice de Confiança do Empresário Industrial de julho.

EDUCAÇÃO

Universidades - O MEC lançou um programa para aumentar autonomia financeira das universidades.

SABER

Espaço - Detalhes sobre a maior viagem da humanidade: a descoberta da Lua.

SUSTENTÁVEL

Comida - Alimentos que podem desaparecer por causa das mudanças climáticas.

TECH

Bikes - O Google Maps lançou um serviço em tempo real para bicicletas compartilhadas.

BEM-ESTAR

Medicamento - O Ministério da Saúde criou alternativas que promovem o bem-estar e melhores condições de vida para quem tem AME.

Atualizado em: 18/7/2019 08:26