quarta-feira, 2 de dezembro de 2020

COLUNAS

Publicidade

Cenário - 7.8.19

quarta-feira, 7 de agosto de 2019

A musculatura da Lava Jato

Após mais de cinco anos promovendo mudanças nos hábitos políticos e acumulando apoio popular, a Lava Jato está perdendo musculatura e esse novo momento ocorre em paralelo à divulgação de mensagens que revelam os bastidores da operação.

Isso acontece em parte porque alguns instrumentos que estavam à disposição da investigação já não podem mais ser usados. Desde 2017, as conduções coercitivas estão proibidas por decisão do ministro Gilmar Mendes, do STF.

No mês passado, o presidente da Suprema Corte, ministro Dias Toffoli, limitou o compartilhamento de informações entre o Coaf e o Ministério Público.

E o ministro Alexandre de Moraes paralisou procedimentos investigativos da Receita Federal contra mais 130 autoridades.

Nessa nova configuração, a capacidade de Operação da Lava Jato ficou bem mais limitada do que nos anos iniciais.

Mas a perda de musculatura também decorre da mudança de comando da PGR, que na gestão de Rodrigo Janot dava mais suporte aos procuradores da operação.

Soma-se a esse panorama o desgaste natural depois de tantos embates com a classe política e a tensa relação com o Supremo Tribunal Federal, que ficou mais abalada nos últimos seis meses.

Mensagens

O impacto dos bastidores

As reportagens baseadas em conversas dos procuradores da Lava Jato e do ex-juiz Sergio Moro, hoje ministro da Justiça, têm impacto adicional sobre essa perda de musculatura.

Como elas são divulgadas em pílulas e mais veículos de imprensa estão compondo o consórcio liderado pelo site The Intercept, uma onda de questionamento constante cresce e torna mais difícil a elaboração de uma estratégia de resposta.

O movimento do Conselho Nacional do Ministério Público, que pode abrir processos contra o coordenador da Força-Tarefa, procurador Deltan Dallagnol, será determinante para medir os reflexos da revelação dos bastidores na Lava Jato.

Uma punição, por exemplo, poderia animar políticos e condenados a pedir a revisão de sentenças. Mas como a Lava Jato ainda é muito popular, é provável que manifestações públicas ocorram.

Venezuela

Mais sanções

A ampliação das sanções dos Estados Unidos sobre a Venezuela deve deixar a vida dos venezuelanos mais difícil, porque vai asfixiar a pouca ajuda que o país vizinho recebe de aliados russos e chineses.

Agora, os EUA congelaram todos os ativos do governo venezuelano e proibiram qualquer transação com o país. A decisão mira as relações venezuelanas com a Rússia, China e empresas.

É a primeira vez que os Estados Unidos embargam ativos de um governo inteiro no Ocidente em mais de 30 anos, dando às autoridades norte-americanas poderes sem precedentes sobre as finanças do país latino-americano.

MCMV

Calote em programa

Após ter conseguido aprovar no Congresso, em junho, um crédito suplementar de R$ 248 bilhões para pagar despesas correntes e ter se comprometido a repassar R$ 1 bilhão para o programa Minha Casa, Minha Vida, o governo não tem feito repasses às empreiteiras há cerca de dois meses.

A Câmara Brasileira da Indústria da Construção alerta que há risco de desemprego, principalmente nas empresas que tocam as obras da faixa 1 do programa, que atende as famílias com renda de até R$ 1,8 mil.

Nesses contratos, o atraso já soma cerca de R$ 500 milhões.

O risco de desemprego é maior porque as construtoras de pequeno e médio porte não têm condições de suportar muito tempo o atraso dos pagamentos.

A CBIC comunicou que mais de 500 empresas e 200 mil funcionários estão com pagamentos atrasados.

BNDES

Reforço no caixa do governo

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social devolveu mais R$ 40 bilhões ao Tesouro Nacional. A meta é repassar até R$ 126 bilhões neste ano.

O Tesouro Nacional conta com essa devolução para equilibrar as contas em um cenário de arrecadação abaixo do esperado e a dificuldade para cortar gastos.

IPEA

Melhora nos investimentos

O Ipea identificou crescimento de 2,3% dos investimentos no segundo trimestre, comparado aos primeiros três meses do ano.

É um sinal positivo e se a expectativa for confirmada por outros levantamentos, pode ser um indicativo de que o país não entrou em outro período recessivo.

No acumulado em 12 meses, os investimentos registraram expansão de 4,3%. Em junho, o aumento foi de 0,7% em relação a maio.

AGENDA

Encontro - O presidente Jair Bolsonaro toma café da manhã hoje com o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, o ministro do STF, Alexandre de Moraes, e o deputado Fábio Faria.

Coaf - O ministro da Economia, Paulo Guedes, se reúne, às 16h30, com o presidente do Coaf, Roberto Leonel.

Justiça - O ministro da Justiça, Sergio Moro, se reúne, às 11h, com o vice-presidente de relações Institucionais do Grupo Globo, Paulo Tonet Camargo.

Indústria - O IBGE divulga hoje a Pesquisa Industrial Mensal de julho.

Comércio - O IBGE divulga hoje a Pesquisa Mensal de Comércio de julho.

EDUCAÇÃO

Inscrições - Conheça 25 bolsas de estudo com inscrições abertas em agosto e setembro.

SABER

Reação - Veja como o cérebro reage durante um salto de paraquedas.

SUSTENTÁVEL

Descarte - Campanha incentiva troca de óleo de cozinha já usado por sabão biodegradável.

TECH

Seleção - Confira os vencedores do concurso de fotos feitas com Iphones.

SABER

Pesquisas - O governo japonês libera pesquisas com células-tronco que podem ser usadas para produzir órgãos humanos em animais.

Atualizado em: 7/8/2019 08:30