quinta-feira, 21 de janeiro de 2021

COLUNAS

Publicidade

Extrapauta ou Extra-pauta?

quarta-feira, 18 de janeiro de 2012

O leitor Samuel Fischer envia a seguinte mensagem ao Gramatigalhas:

"Com as mudanças na ortografia, no que diz respeito ao hífen, como fica a escrita da palavra seguinte: extrapauta ou extra-pauta?"

E o leitor João dos Reis Pimentel quer saber:

"Qual a forma correta: extra pauta, extrapauta ou extra-pauta?"

Envie sua dúvida



Extra-pauta ou Extrapauta ?

1) Ante as recentes modificações em nossa ortografia, quanto ao hífen, como fica a escrita da seguinte palavra: extra-pauta ou extrapauta?

2) Ora, extra é prefixo latino, que tem o significado de algo que está fora ou algo que excede, como em extraconjugal.

3) Apenas em dois casos se usa o hífen:

a) quando o elemento seguinte se inicia pela mesma vogal que termina o prefixo: extra-alcance, extra-amazônico, extra-atmosférico;


b) quando o elemento seguinte se inicia por h: extra-hispânico, extra-hospitalar, extra-humano.

4) Desse modo, acopla-se diretamente à palavra seguinte, sem intermediação de hífen, quando iniciada esta por outra vogal, que não a que encerra o prefixo: extraembrionário, extraestatal, extraordinário, extraorgânico, extraurbano.

5) Continua valendo a regra de junção direta, mesmo que o elemento seguinte se inicie por consoante: extrabíblico, extracelular, extraduro, extragenital, extrajudicial, extramatrimonial, extranormal, extraparoquial, extrapauta, extratemporal, extraveicular.

6) Apenas para a hipótese de ser o segundo elemento iniciado por r ou s, dobram-se tais consoantes para continuidade do som originário: extrarregimental, extrarrenal, extrasseco, extrassensível.

Atualizado em: 28/2/2011 10:09

COORDENAÇÃO

José Maria da Costa é graduado em Direito, Letras e Pedagogia. Primeiro colocado no concurso de ingresso da Magistratura paulista. Advogado. Mestre e Doutor em Direito pela PUC/SP. Ex-Professor de Língua Latina, de Português do Curso Anglo-Latino de São Paulo, de Linguagem Forense na Escola Paulista de Magistratura, de Direito Civil na Universidade de Ribeirão Preto e na ESA da OAB/SP. Membro da Academia Ribeirãopretana de Letras Jurídicas. Sócio-fundador do escritório Abrahão Issa Neto e José Maria da Costa Sociedade de Advogados.

Publicidade