quarta-feira, 2 de dezembro de 2020

COLUNAS

Publicidade

A cores ou Em cores?

quarta-feira, 23 de novembro de 2011

O leitor Conrado de Paulo envia a seguinte mensagem ao Gramatigalhas: 

"Caro professor: 'TV a cores', ou 'TV em cores'?"

O leitor Fábio Alves também envia a seguinte mensagem: 

"O correto não seria em cores na frase: 'Desmentiu-o ao vivo e a cores'. (Migalhas 1.908 - 2/6/08 - "Eco")?  Obrigado."

Envie sua dúvida



A cores ou
Em cores?

1) Para Napoleão Mendes de Almeida, "é erro grosseiro dizer televisão a cores", admitindo tal autor em cores, mas revelando preferência pelo adjetivo colorido, em expressões como imagens coloridas, TV colorida, filme colorido, cinema colorido.1

2) Já na conformidade com o ensinamento de Domingos Paschoal Cegalla, "ambas as locuções são corretas: televisor a (ou em) cores, gravura a (ou em) cores". Acrescenta tal autor haver "nítida preferência pela primeira variante". E pondera, em conclusão: "Há quem afirme que a forma a cores é galicismo, o que não procede, porquanto o francês, neste caso, usa a preposição en e não a: une carte postale en couleurs, télévision en couleurs".2

3) Em casos dessa natureza, pelo vetusto princípio de que, na dúvida entre os gramáticos, há liberdade de emprego para o usuário do idioma, aceitam-se como corretas ambas as expressões.

4) Observa-se, todavia, não parecer adequada a expressão TV colorida (para significar transmissão em cores), ante a possível confusão com a cor do próprio aparelho.

____________________

1 Cf. ALMEIDA, Napoleão Mendes de. Dicionário de Questões Vernáculas. São Paulo: Editora Caminho Suave Ltda., 1981. p. 2.

2 Cf. CEGALLA, Domingos Paschoal. Dicionário de Dificuldades da Língua Portuguesa. 2. ed. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1999. p. 9

______

Atualizado em: 1/3/2011 10:48

COORDENAÇÃO

José Maria da Costa é graduado em Direito, Letras e Pedagogia. Primeiro colocado no concurso de ingresso da Magistratura paulista. Advogado. Mestre e Doutor em Direito pela PUC/SP. Ex-Professor de Língua Latina, de Português do Curso Anglo-Latino de São Paulo, de Linguagem Forense na Escola Paulista de Magistratura, de Direito Civil na Universidade de Ribeirão Preto e na ESA da OAB/SP. Membro da Academia Ribeirãopretana de Letras Jurídicas. Sócio-fundador do escritório Abrahão Issa Neto e José Maria da Costa Sociedade de Advogados.

Publicidade