segunda-feira, 30 de novembro de 2020

COLUNAS

Publicidade

Distilador, objectivo, há-de, senhor Fulano, sr. Beltrano, dr. Cicrano, e Cicinato. Todas essas palavras estão gramaticalmente incorretas?

quarta-feira, 18 de novembro de 2020

O leitor José Augusto de Oliveira envia à coluna Gramatigalhas a seguinte mensagem:

"Caro professor José Maria, estamos fazendo a transcrição de um escritor conterrâneo meu para quem sabe futura publicação. O escritor em questão era professor de vernáculo e latim bem conceituado. O livro é da década de 1950 e foi publicado em folhetim. Nossas dúvidas são muitas quanto à atualização ortográfica, pois não queremos interferir naquilo que foi estilo do autor. Veja: encontramos distilador, objectivo, há-de, senhor Fulano, sr. Beltrano, dr. Cicrano, e Cicinato, nosso professor de matemática. Todas essas palavras estão gramaticalmente incorretas? Parabéns pela coluna, aguardamos esclarecimentos".

 

Envie sua dúvida


1) Um leitor diz estar fazendo a transcrição de uma obra escrita há mais de sete décadas para possível republicação. Em sua consulta, presta os seguintes esclarecimentos: (i) o escritor em questão era professor bem conceituado de vernáculo e latim; (ii) o livro é da década de 1950 e foi publicado em folhetim; (iii) as dúvidas são muitas quanto à atualização ortográfica, pois não se quer interferir naquilo que foi estilo do autor; (iv) veja-se que existem na obra palavras como distilador, objectivo, há-de, senhor Fulano, sr. Beltrano, dr. Cicrano, e Cicinato, que era um professor de matemática. E o que se quer saber, em síntese, é se todas essas palavras estão gramaticalmente corretas ou não.

2) Como se vê, as dúvidas do leitor são muitas e variadas, de modo que se vai agrupá-las quando possível e solucioná-las do modo mais prático que se apresentar.

3) Começa-se pela afirmação de que a Academia Brasileira de Letras é incumbida, por delegação legal, desde a lei 726/1900, de definir a existência, a grafia oficial, o gênero e as peculiaridades dos vocábulos em nosso idioma, e ela o faz pela edição, de tempos em tempos, do Vocabulário Ortográfico da Língua Portuguesa (VOLP). Mais modernamente, ela também tem disponibilizado em seu site, pela internet, a possibilidade de consulta das palavras e expressões.

4) Num primeiro aspecto da consulta do leitor, uma busca na última edição do Vocabulário Ortográfico da Língua Portuguesa revela os seguintes aspectos: (i) o correto é destilador1, não se registrando em tal obra o vocábulo distilador; (ii) por força de acordos ortográficos posteriores à edição da obra considerada pela consulta, também se deve escrever há de, e não mais há-de, como foi tradição durante muito tempo; (iii) na trilogia dos pronomes de referência, têm-se Fulano, Beltrano e Sicrano2, e não Cicrano, nem, muito menos, Ciclano ou Siclano; (iv) quanto aos nomes de pessoas, deve-se observar a grafia própria de cada um (assim, se o nome do professor era Cicinato - e não Cincinato, como seria normal -, deve-se observar a maneira como a pessoa era conhecida.

5) Quanto a objectivo, deve-se observar que a mais recente reforma ortográfica, realizada em 2008, com vistas a manter sem rupturas maiores as características tanto de Portugal como do Brasil e dos demais países lusófonos, permitiu que, se as palavras são pronunciadas com consoantes intermediárias em alguns países, mas não em outros, então tanto é correta a grafia que registra a pronúncia de tal consoante, como aquela que não a retrata. De modo mais específico, em Portugal pronuncia-se objectivo, enquanto no Brasil se pronuncia objetivo, e por essa razão ambas as grafias estão corretas e assim registradas pelo VOLP.3

6) Deve-se observar, todavia, que, se o livro vai ser reeditado no Brasil, melhor que obedeça ao modo de escrever daqui, a saber, objetivo, já que a consoante intermediária não é pronunciada em nosso País.

7) Por fim, embora tal não seja alvo do questionamento feito pelo leitor, esclarece-se que, na atualidade, pode-se grafar com inicial minúscula ou maiúscula o tratamento que se dá às pessoas em expressões como as seguintes, quer na forma extensa, quer na abreviada: (i) senhor Fulano ou Senhor Fulano; (ii) sr. Beltrano ou Sr. Beltrano; (iii) doutor Sicrano ou Doutor Sicrano; (iv) dr. Sicrano ou Dr. Sicrano; (v) professor Cincinato ou Professor Cincinato; (vi) prof. Cincinato ou Prof. Cincinato.

_____________

1 Academia Brasileira de Letras. Vocabulário Ortográfico da Língua Portuguesa. 4. ed. Rio de Janeiro: Imprinta, 2004, p. 277.

2 Academia Brasileira de Letras. Vocabulário Ortográfico da Língua Portuguesa. 4. ed. Rio de Janeiro: Imprinta, 2004, p. 754.

3 Academia Brasileira de Letras. Vocabulário Ortográfico da Língua Portuguesa. 4. ed. Rio de Janeiro: Imprinta, 2004, p. 599.

Atualizado em: 19/11/2020 07:59

COORDENAÇÃO

José Maria da Costa é graduado em Direito, Letras e Pedagogia. Primeiro colocado no concurso de ingresso da Magistratura paulista. Advogado. Mestre e Doutor em Direito pela PUC/SP. Ex-Professor de Língua Latina, de Português do Curso Anglo-Latino de São Paulo, de Linguagem Forense na Escola Paulista de Magistratura, de Direito Civil na Universidade de Ribeirão Preto e na ESA da OAB/SP. Membro da Academia Ribeirãopretana de Letras Jurídicas. Sócio-fundador do escritório Abrahão Issa Neto e José Maria da Costa Sociedade de Advogados.

Publicidade