sábado, 23 de janeiro de 2021

COLUNAS

Publicidade

Existe em português?

quarta-feira, 15 de julho de 2009

Os leitores enviam as seguintes mensagens ao Gramatigalhas :

"Gostaria de saber se o vocábulo existe, ou não, e qual o seu significado : interiocução ?" (Elimar Dias).

"Li um despacho em que o juiz referia-se ao fato de não ter sido 'encontrado nenhum valor para bloqueamento'. Está certo o uso do termo 'bloqueamento' ?" (Solimar Rogério de Oliveira)

"Bom dia. Já li em alguns acórdãos a palavra 'hipotisar'. Procurei no Dicionário Aurélio e não a encontrei. Acredito não existir esse verbo. Correto ? Obrigado." (Jean Carlo Corrêa Gomes)

"'...do que realizar uma prognose probabilitária...' Probabilitária é vernáculo ?" (Fernando Péricles).

"Perguntar ou preguntar ? Acróbata ou acrobata ? Carroçaria ou carroceria ?" (Luiz de Vitto)

"'Remata', ou 'arremata' ?" (Mariana de Jesus Lourenço)

"Não é dúvida. Porém, pretendo deixar claro e peço ajuda na explicação de que o correto é 'no aguardamento', e não 'no aguardo', como sempre todos escrevem. Muito obrigada !" (Súrya Cervone de Oliveira)

"Eu li o seguinte : 'Depois de prolatada a decisão, nós a consideramos temerável.' O termo temerável realmente existe ? Um abraço." (Vital F. Assis Bôtto Barbosa)

"A dúvida : devemos utilizar 'perda' ou 'perca' quando nos referimos ao tempo ? Ex : 'É uma perda de tempo' ou 'É uma perca de tempo' ?" (José Reis Filho)

"Prezados : ouvi a expressão 'contraversão' como um sinônimo de contraditório. Pergunto : é correto usar essa palavra ? Atenciosamente." (Sandra Silva)

"Caríssimo professor, desde o início da minha profissão, advocacia, tenho notado nas intimações feitas pelo TJ/SP a indicação do seguinte endereço : 'Pateo do Colégio'. Nesse sentido, gostaria de saber se a grafia de pateo está correta." (Marcos Gazzeta)

"Em questionamento ao júri, é usual a indagação se o disparo atingiu e 'lesionou' a vítima. O verbo lesionar existe ? Não há como substituir a expressão por 'lesar', que tem caráter econômico. Alguém é lesado num furto ou num estelionato. Outra dúvida : entre os crimes praticáveis por prefeitos e vereadores surge um tipo penal que fala em 'inexigir' concorrência pública, etc. 'Inexigir' existe ? Seria possível então criar-se o verbo 'infazer' ? Atenciosamente." (Eduardo Mayr)

"Existe impactante no sentido de chocar, impressionar, causar impacto ? E imexível na acepção daquilo que não se pode mexer ?" (Sílvio Rocha)

Envie sua dúvida



Existe em português?

1) Com frequência, leitores perguntam se existe esta ou aquela palavra em Português: interiocução, bloqueamento, hipotisar, hipotizar, prognose, probabilitária, pregunta, preguntar, arrematar ou rematar, aguardamento ou aguardo, temerável, perca ou perda, acróbata ou acrobata, carroçaria ou carroceria, contraversão, páteo ou pátio, lesionar, inexigir, infazer, impactante, imexível...

2) Para solucionar questões dessa natureza, é importante anotar, de início, que, por força da mais que centenária Lei Eduardo Ramos, de nº. 726, de 8/12/1900, a autoridade para listar oficialmente os vocábulos existentes em nosso idioma está com a Academia Brasileira de Letras (ABL).

3) E a ABL exerce essa delegação por intermédio do Vocabulário Ortográfico da Língua Portuguesa (VOLP), que é a lista das palavras oficialmente existentes em nosso idioma, com ligeiras especificações de categoria gramatical, gênero e, muito raramente, de sentido ou outra observação adicional. É editado de tempos em tempos, com o acréscimo de novas palavras que passam, assim, a integrar oficialmente o nosso léxico. Difere dos dicionários convencionais, por não explicar usualmente o significado dos termos que registra.

4) Incumbida por lei específica para sua confecção, a ABL o elabora com autoridade legal para, nesse campo, dizer o Direito, motivo por que, ao consultar o VOLP, legem habemus e devemos prestar-lhe obediência, do mesmo modo que devemos agir com respeito aos demais diplomas legais.

5) Para consultar as palavras que existem oficialmente em nosso léxico e que efetivamente são registradas pelo VOLP, acesse o site www.academia.org.br.

6) Observa-se adicionalmente, por primeiro, que, apesar dos relevantes e indiscutíveis serviços prestados ao idioma, os dicionários não têm autoridade legal para dizer se uma palavra existe oficialmente em Português, de modo que qualquer divergência entre eles e o VOLP deve ser decidida em favor da autoridade legal deste último.

7) Em segundo aspecto, nem se pense em buscar no VOLP o registro de um termo científico, como o nome da substância fenildimetilpirazolona, que integra a fórmula de conhecido remédio.

8) Por fim, tenha-se um cuidado especial com os corretores de texto dos programas dos computadores, já que, por uma série de motivos e sobretudo imperfeições, acabam por dar como errados vocábulos corretos e deixam passar como válidos outros que simplesmente não existem em nosso idioma.

9) Após tais ponderações, que servem sempre à indagação "Existe em Português?", de modo específico para as dúvidas apontadas na consulta que motivou este verbete, uma leitura do VOLP revela que: I) - simplesmente não existem os vocábulos interiocução, hipotisar ou hipotizar, probabilitária, pregunta, preguntar, temerável, inexigir, infazer; II) - existem oficialmente em nosso idioma, estando, assim, seu emprego autorizado na linguagem orientada pela norma culta as seguintes palavras: bloqueio e bloqueamento, prognose (que é sinônimo de prognóstico), pergunta, perguntar, rematar (que significa aperfeiçoar, concluir ou terminar), arrematar (que, além dos sentidos do verbo anterior, também quer dizer comprar bens em hasta pública, em leilão), aguardamento e aguardo (de modo que são igualmente corretas as expressões no aguardamento e no aguardo), contraversão (a que os dicionários dão o sentido de versão contrária a outra ou posição inversa), lesionar (exatamente no sentido de causar lesão), impactante, impactar e imexível; III) - de igual modo, são dadas como formas corretas e equivalentes acróbata e acrobata, carroçaria e carroceria; IV) - o substantivo feminino perca se encontra ali registrado, mas tal vocábulo serve para indicar o nome de um peixe, de modo que seu emprego como sinônimo de perda constitui um brasileirismo informal, e seu emprego não tem curso permitido na linguagem que deva submeter-se à norma culta; V) - registra-se o vocábulo páteo, que tem o significado de relativo a um tipo de cruz heráldica, mas não como sinônimo de pátio, a saber, um recinto interno térreo não coberto (não parece ser esse último o significado nas intimações do Tribunal de Justiça de São Paulo).

______

Atualizado em: 14/7/2009 10:47

Publicidade