sábado, 31 de outubro de 2020

COLUNAS

Publicidade

Porandubas nº 232

quarta-feira, 12 de maio de 2010


Historinha do Ceará

Quintino Cunha, famoso advogado e poeta, participava de um júri em Quixeramobim. O promotor berrava na tribuna :

- Senhores Jurados, estou montado na lei.

Quintino pede um aparte :

- V. Exª. Tenha cuidado para não cair, porque está montado em um animal que não conhece.

O promotor se calou. (Do Folclore Político do Sebastião Nery)

Ave, Copa

Salve, Copa. Com a convocação dos jogadores para a Copa do Mundo, o Brasil entra em lua de mel com o futebol. Sai do trono o Rei Lula e senta nele o Rei Dunga e seus 23 ministros. A política passará uma boa temporada sob o abrigo do futebol. Querelas serão administradas na mesa do bar, no cafezinho, nas esquinas e corredores. Os olhos estarão atentos aos campos de futebol. O discurso político perderá a graça. Até que o Brasil se levante em aplausos, comemorando a vitória, ou verta em lágrimas, chorando a derrota.

Nomes do Brasil malvado - 1

Folheei o alfabeto dos nomes próprios do Brasil dos fundões. Eis um aperitivo :

Abrilina Décima Nona Caçapavana Piratininga de Almeida
Acheropita Papazone
Adalgamir Marge
Adegesto Pataca
Adoração Arabites
Aeronauta Barata
Agrícola Beterraba Areia

Alegria e choro

Se o Brasil ganhar o Troféu, tende a crescer o PNBF - Produto Nacional Bruto da Felicidade. As ruas estarão mais animadas. A cor verde amarela enfeitará as paisagens. Ânimos festivos, teor alcoólico aumentado, animação e bumbo. Dilma seria beneficiária disso tudo ? Não acredito. E o ambiente de velório, inevitável se o Brasil não trouxer a taça, favorecerá o candidato José Serra ? Tampouco creio nisso. O brasileiro não confunde alhos com bugalhos.

Mais um périplo

Luiz Inácio fará mais um périplo pelo mundo, a começar pela Rússia. Brasileiros poderão entrar naquele país sem a exigência do visto e vice-versa. Russos poderão aportar por aqui sem muita burocracia. Mas a viagem de Lula já não terá tanto impacto quanto antes. Após o apoio incondicional do Brasil ao Irã, o espaço de Lula na cabeça das lideranças mundiais diminuiu muito. Luiz Inácio perdeu prestígio.

Jobim, a voz do PMDB

O ministro Nelson Jobim entrou no governo pela cota pessoal do presidente Lula. É do PMDB, mas a escolha não teria passado pelo crivo do partido. Hoje, Jobim é considerado um quadro do PMDB na coordenação do governo. Ligado a Michel Temer, Jobim é um credenciado porta-voz do partido junto ao presidente. A ação ministerial de Jobim é considerada muito positiva. Ganhou a confiança de todos, peemedebistas e petistas.

Nomes do Brasil irresponsável - 2

Bananeia Oliveira de Deus
Bandeirante do Brasil Paulistano
Barrigudinha Seleida
Bende Sande Branquinho Maracajá
Benedito Autor da Purificação
Benedito Camurça Aveludado

Dia das mães

Considerada pelos lojistas como a segunda data comemorativa que mais movimenta o comércio, o Dia das Mães só perde para as festas de fim de ano em vendas e em número de postos de trabalho temporário. Neste ano, foram confirmadas as 26 mil novas vagas temporárias previstas na pesquisa pontual divulgada pela Asserttem - Associação Brasileira das Empresas de Serviços Terceirizáveis e de Trabalho Temporário, 11% a mais que no ano passado. O índice de efetivações girou em torno de 10%, o que representa emprego novo para 2,6 mil trabalhadores. As novas contratações, somadas às remanescentes da Páscoa, resultou em emprego temporário para 65 mil pessoas durante a data comemorativa.

A confiança de Lula

Lula deu entrevista a El País, o principal jornal espanhol, exibindo plena confiança na vitória de sua candidata Dilma. Mas abriu uma fresta, ao dizer que não haverá perigo de retrocesso, "ganhe quem ganhar". Aliás, para ele, sob o aspecto maquiavélico, uma vitória de Serra não seria de todo perniciosa para propósitos de um retorno em 2014. O país passará por um ciclo de contenção. Terá de fechar rombos abertos pela gastança do atual governo. Serra é especialista em ajustar contas. E manter cofres cheios. Seria um governante duro. Mas a área social se queixaria muito. E Lula teria condições de brandir seu slogan : Lula de novo nos braços do povo.

E se Dilma ganhar ?

Se Dilma ganhar, a continuidade do projeto petista estaria garantida. Não haveria desmonte da máquina. Portanto, não haveria tanta motivação para um retorno de Lula ao Palácio do Planalto. Dilma poderia, então, se candidatar à reeleição. Mas, agora, teria de enfrentar um perfil mais jovial e até com certo poder carismático. Aécio Neves, por exemplo. São filigranas que já começam a surgir nos horizontes do amanhã.

Montenegro cauteloso

O amigo Carlos Augusto Montenegro, presidente do Ibope, é o papa das pesquisas no Brasil. Não quer falar de tendências nesse momento. Por quê ? Por algumas razões : primeiro, as regras do jogo ainda não foram de todo definidas. O palco dos atores está incompleto. Quem será o vice de Serra ? E quando será homologado o nome de Michel Temer, vice de Dilma ? Lula, por sua vez, está saindo. E Dilma nunca recebeu um voto na arena política. Serra, por sua vez, tem longo e denso currículo. Mas o governo Lula tem muito a mostrar. Questão posta por Montenegro : quem garantirá melhor o futuro do eleitor ? Conversei, ao final da tarde, com o papa das pesquisas. E ficamos de trocar figurinhas mais adiante.

Serra e o BC

Serra ataca "os juros mais altos do mundo" e o câmbio baixo. Dilma, no início do primeiro mandato de Lula, era contra a política do Banco Central. Hoje, é defensora de Meirelles. Até vai prestigiar, dia 21, em Nova Iorque, uma comenda que ele ganhou. A política monetária de Serra difere bem da atual. Os empresários gostam da visão de Serra, mas temem a dureza dele noutras áreas. Por isso, olham para ele com o olho direito, mas fixam o olho esquerdo em Dilma. Confiam que esta não mudaria muita coisa.

Nomes do Brasil brincalhão - 3

Cafiaspirina Cruz
Capote Valente e Marimbondo da Trindade
Caius Marcius Africanus
Carabino Tiro Certo
Carlos Alberto Santíssimo Sacramento
Cantinho da Vila Alencar da Corte Real Sampaio
Carneiro de Souza e Faro
Caso Raro Yamada
Céu Azul do Sol Poente

Agenda tributária

O setor contábil é formado por 417 mil profissionais e mais de 70 mil empresas no Brasil, que atendem, em média, 96% dos contribuintes do país. Hoje, as obrigações acessórias abarcam uma combinação perversa de acúmulos - por vezes em datas simultâneas ou muito próximas entre si e com informações redundantes entre elas - com uma tecnologia que ainda não conseguiu absorver o enorme volume de informações. O presidente do Sescon/SP, José Chapina Alcazar, esteve em Brasília recentemente para uma reunião com Otacílio Cartaxo, secretario da Receita Federal, quando pediu atenção ao tema, que é de interesse nacional. Chapina defende revisão urgente na agenda tributária.

Dr. Equinócio

Virgílio Távora, governador, recebeu telegrama do prefeito do Crato : "Senhor governador, solicito V. Exª. recursos enfrentar seca município. Cordiais saudações." Virgílio respondeu : "Senhor prefeito, aguarde, 19 de março, passagem Equinócio. Cordiais saudações." Dia 20 de março, o prefeito telegrafa de novo : "Senhor governador, apesar banquete e homenagens preparamos receber condignamente enviado V. Exª., até agora Dr. Equinócio não apareceu. Cordiais saudações."

MR ?

MR é uma figura no entorno de Serra que dá muito medo aos setores produtivos. Ouvi de muita gente esse nome : Mauro Ricardo.

Fechando alianças

Periodicamente, temos de fazer um balanço de tendências. Hoje, esse balanço se volta para o campo das alianças. Para onde a balança pende ? Para o lado de José Serra. Até o momento, tem melhores resultados que Dilma. Trouxe o PSC, da base de Lula, para junto de si, e ameaça puxar, ainda, o PP e o PTB. No Sul, Serra aplaina caminhos com muitas pedras. No Paraná, a meta, agora, é puxar o senador Osmar Dias do PDT, candidato ao Senado, para o bloco do Beto Richa do PSDB, candidato ao governo.

FHC e o dedaço

Fernando Henrique, o maior intelectual do PSDB, foi direto ao ponto. Disse que Lula escolheu Dilma com um "dedaço". E até imitou o gesto. Linguagem chula, que não combina na estrutura linguística de um ex-presidente da República. Um ícone do pensamento e das letras.

Ficha limpa

O projeto Ficha Limpa será um marco na história eleitoral. Mas não deverá vingar para o pleito deste ano. O sentimento é de que a vitória foi pela metade. Deveria vingar, já. Passará ainda pelo Senado e, na sequencia, deverá ser sancionado.

O veto aos velhinhos

Pois é, os 7,7% de aumento aos aposentados e o fim do fator previdenciário deverão ser vetados pelo presidente Lula, caso passem pelo crivo do Senado. A questão é : o veto deixará indignados os velhinhos ? Na análise deste consultor, sim. Lula terá essa coragem ? Sim, garante. Vamos ver se ele tomará essa decisão. Há dúvidas.

Nomes do Brasil improvisado - 4

Danúbio Tarada Duarte
Darcília Abraços
Carvalho Santinho
Deus Magda Silva
Deus É Infinitamente Misericordioso
Deusarina Venus de Milo
Dezêncio Feverêncio de Oitenta e Cinco
Dignatário da Ordem Imperial do Cruzeiro

Servidores, não

Os servidores públicos também não terão aumento este ano. E mais, Lula chamou os ministros e passou um carão : não ajam como sindicalistas. Não vai haver aumento e pronto. O "cara" decidiu engrossar.

Lula e o PT

Fico a imaginar a razão do sucesso de Luiz Inácio em seus dois mandatos. A razão mais forte : impôs sua visão ao PT. Deixou de se inspirar no ideário petista. Criou seu próprio modelo. Um modelo que diz ser "multi-ideológico". Ou seja, a capacidade de fazer alianças com Deus e o Diabo, gregos e troianos. Lula passou sobre o PT com um gigantesco rolo compressor. E assim conseguiu governar. Por que não foi aporrinhado ? Porque abriu espaços para todos os grupos. Que se encastelaram nos arredores e no centro do poder.

PT e PV no governo Serra ?

José Serra disse alto e em bom som : se eu ganhar, convidarei o PT e o PV para fazerem parte do governo. Verdade ? Em termos. Chamaria, claro, um Eduardo Jorge, que é do PV. E que é considerado, por sua postura, um perfil suprapartidário. Difícil é imaginar José Serra convidando um perfil histórico e engajado do PT. O discurso de Serra, porém, é inteligente. Desarmado, em favor da união, do esforço de todos pela Grandeza da Pátria.

Longe de mim este cálice

Serra quer dizer, na verdade, o seguinte : longe de mim este cálice. Longe de mim o epíteto de anti-Lula. Ele não quer aparecer como o adversário de Lula numa campanha. Nesse caso, seria vencido.

Samba do crioulo doido

Campanha maluca, sô. No Rio de Janeiro, Dilma consegue reunir, em um evento, prefeitos do DEM e do PSDB. Isso mesmo: prefeitos da oposição. A mídia contou: 3 prefeitos do DEM e 2 tucanos. No Ceará, Tasso Jereissati, do PSDB, contará com o apoio do governador Cid Gomes, do PSB. Partido de Eduardo Campos, fechado com Dilma. Collor, em Alagoas, será candidato ao governo. Collor é do PTB e apoiará Dilma. Mas o PTB de São Paulo apoiará Serra, para a presidência, e Alckmin para o governo do Estado.

Conselho aos jogadores da seleção

Esta coluna dedica sua última nota a pequenos conselhos a políticos, governantes e líderes nacionais. Na última coluna, o espaço foi destinado aos candidatos à presidência Dilma e Serra. Hoje, volta sua atenção aos atletas brasileiros convocados para a Copa do Mundo :

1. Recebam com humildade a convocação de Dunga para a Seleção Brasileira.

2. Evitem salto alto e procurem fazer o que sabem : jogar futebol.

3. Sejam esforçados, destemidos, despojados e cultivem o civismo no coração.

____________

Atualizado em: 11/5/2010 11:11

COORDENAÇÃO

Gaudêncio Torquato, jornalista, consultor de marketing institucional e político, consultor de comunicação organizacional, doutor, livre-docente e professor titular da Universidade de São Paulo e diretor-presidente da GT Marketing e Comunicação.

Publicidade