quinta-feira, 26 de novembro de 2020

COLUNAS

Publicidade

Porandubas nº 299

quarta-feira, 7 de dezembro de 2011

Vingt e o membro de fora  

Líder político inconteste na região e com expressividade estadual, o deputado Federal (já falecido) Vingt Rosado viveu um período em Mossoró/RN em que sua presença beirava o status de um pop-star, estrela reverenciada de forma avassaladora. Sua projeção fazia sentido. Apresentava-se como um anteparo da cidade, com disposição indômita para qualquer luta em defesa de Mossoró. Fora do território mossoroense, sua força e empatia com a cidade também eram por demais conhecidas. Daí serem naturais as deferências de autoridades como governadores, ministros de Estado, presidente da República. Princípio da década de 70, ele faz mais uma viagem de volta a Mossoró, dessa feita trazendo a tiracolo uma alta autoridade de Brasília. O clube ACDP sintetizava ambiente como a Meca da sociedade mossoroense. Recepção marcada para o salão festivo do clube, Vingt chega ao local ladeado pelo visitante ilustre, causando um frisson entre os presentes. O locutor no interior da ACDP, com o papel de mestre de cerimônias, castiga :

- Quem vai adentrando agora a ACDP é o deputado Federal Vingt Rosado, com um membro de fora !

Historinha contada por Carlos Santos em seu "Só Rindo".

O caso Lupi

Carlos Lupi se excedeu na linguagem da defesa. A presidente Dilma até que gostaria de fazer a troca de nomes em janeiro, por ocasião da reforma ministerial. A acumulação de funções e a solicitação da Comissão de Ética Pública apressaram sua saída. Lupi passará um tempo de férias e voltará ao comando do PDT, em fevereiro/março. O partido, por sua vez, não tem alternativa que a de continuar integrando a base governista. Com ou sem a posse do Ministério do Trabalho.

A briga pelo cargo

Há, sim, uma disputa muito forte entre PT e PDT pela Pasta do Trabalho. Como se sabe, a querela é por partilha de recursos. O Ministério do Trabalho estabelece as cotas para as Centrais Sindicais, a partir de seu porte. A CUT tem 37% dos trabalhadores sindicalizados no país e cerca de 2 mil sindicatos filiados; o PDT agrega 14% e 1,5 mil sindicatos. Logo, a CUT, que é ligada ao PT, reivindica o cargo de ministro do Trabalho. Para administrar a querela e evitar mágoas de uma das partes, a presidente Dilma tem uma saída : tirar a pasta da esfera do PT e do PDT. E escolher um perfil técnico com o respaldo de um grande partido.

O caso Pimentel 

A mídia provou da receita e quer repetir o menu : depois de um ministro abatido, a vez de outro. Pois bem, a artilharia, agora, foca para o ministro do Desenvolvimento, Fernando Pimentel, sobre o qual recaem suspeitas de ter recebido recursos de empresas beneficiadas com serviços da prefeitura de Belo Horizonte. Pimentel teria sido consultor de empresas com licitações na prefeitura logo após deixar o mandato de prefeito. Há um detalhe a se observar : o ministro faz parte do grupo mais próximo de Dilma. Foi companheiro de Dilma no passado de lutas contra a ditadura. Dilma o tem como um amigo muito querido. Por isso mesmo, desta feita, a bateria de denúncias poderá não obter resultados, pelo menos no cronograma desenhado pela mídia.

Lula no batente

O ex-presidente Luiz Inácio gosta mesmo do batente político. Mesmo convalescente, tomou a decisão de voltar ao primeiro plano da política e começará, na próxima semana, a despachar em seu Instituto. Lula dará as diretrizes para as campanhas municipais do PT no país. O partido quer mais que duplicar o número de prefeitos, atualmente somando 545. O maior desafio de Lula é vencer o PSDB na prefeitura paulistana. Uma batalha a ser acompanhada em todos os detalhes.

DRU, teste de fogo

Até 22 de dezembro, a presidente Dilma quer ver a DRU (Desvinculação de Receitas da União) aprovada. O primeiro turno será votado amanhã. Se houver alguma emenda, retornará à Comissão de Constituição e Justiça. Neste caso, o governo convocaria o Congresso para trabalhar no recesso, após 23/12. Os obstáculos que alguns senadores estariam fazendo estão sendo contornados. Com a intermediação do vice-presidente Michel Temer.

Emenda 29

Outra montanha de dificuldades é a Emenda 29, que destina recursos para a Saúde. Os partidos de oposição querem fixar em 10% a parcela da União, significando um aumento de R$ 30 bilhões em relação ao montante hoje aplicado. Por isso, o governo se esforça para protelar a votação. Ou arrumar um meio termo para se chegar ao consenso.

"Use a lógica, quanto mais suicidas, menos suicidas". (Infame!...)

Dengue

Todos os anos, lemos sobre a crônica da dengue anunciada. Há uma ameaça sobre nova epidemia de dengue. 48 cidades estão ameaçadas. E mais 300 em estado de alerta. O Brasil é o país do Eterno Retorno.

Lei da informação

Ganhamos um estatuto avançado : a lei de acesso à informação. Mas será praticamente impossível que a lei entre em vigor em 180 dias. O Estado precisa se preparar para abrir seus arquivos. E as estruturas de dados e informações são muito precárias. Não andam no compasso eletrônico. Resultado : temos um instrumento avançado que pega carona num carro que anda a 10 km por hora.

"Morrer é deixar tudo o que temos e levar tudo o que somos". Colaboração de Álvaro Lopes

Brasil desmatado

Que coisa esdrúxula : comemora-se o fato de o Brasil continuar a ser desmatado. Manchetes : Desmatamento na Amazônia é menor. Quando se confere o dado, lê-se : foram desmatados 6.238 km2 entre agosto de 2010 e julho de 2011. Apenas um pouquinho menos do que os 7.000 km2 do ano anterior. A comemoração deveria ocorrer quando a manchete fosse essa : Brasil teve desmatamento zero no ano que passou !

Fátima e Patrícia

Coisas do Brasil : Fátima Bernardes, apresentadora do Jornal Nacional, é elevada ao pico da glória com a manchete : Fátima faz história. Ou seja, a troca de uma apresentadora por outra é considerada um marco histórico, quando deveria ser coisa corriqueira nos padrões televisivos. E a Patrícia Poeta, que toma seu lugar, ganha status de deusa do Olimpo. Mais interessante ainda : festeja-se o novo programa de Fátima sem se saber como será. Frita-se o ovo antes do esforço da penosa.

Alemanha e França

A Alemanha e a França, que lideram a União Europeia, potências mundiais, são ameaçadas de entrar na zona do rebaixamento. As notas que as Agências de Risco conferem aos países podem borrar a imagem do Merkozy, essa moeda fortíssima que domina a UE. A conferir !

Serra subirá no sobrenome ?

Perguntinha que cala nas cabeças inquietas de tucanos e vizinhos : José Serra vai encarar o desafio de subir a serra da campanha paulistana ? Ouço de alguns tucanos : a ficha vai cair e ele vai topar ser candidato a prefeito. Ouço de outros : não topará mesmo. Já foi prefeito e renunciou para se candidatar a outro cargo. Cairá mal outra tentativa. Dizem mais : Aécio alugou o apoio dos caciques tucanos para ser o candidato presidencial em 2014. Tem o mandato de senador por Minas Gerais. E Serra não tem nada. Ficaria mais tempo no limbo ? Começo a acreditar na hipótese de Serra com o abacaxi paulistano para descascar.

Temer com os líderes

O vice-presidente da República, Michel Temer, estará, hoje à noite, às 19h30, no evento de premiação dos Líderes do Brasil, promovido pelo LIDE, no Palácio dos Bandeirantes. O evento, a ser comandado por João Doria, reunirá grandes lideranças públicas e empresariais do país. Ontem, esteve presente ao evento da Revista Isto É, que homenageou a presidente Dilma (Brasileira do Ano), o prefeito Gilberto Kassab (Política), o professor Antônio Cândido (Cultura), Anderson Silva (Esportes), José Mariano Beltrame (Cidadania), entre outros.

Adélia Prado, a jeca refinada

Adélia, o que tem de Minas no seu comportamento, no seu jeito, nos seus gestos ?

- Talvez tudo : comidas, usos e costumes, no social e no religioso, devoções, inquietação metafísica, gosto pelo bucólico. Somos grandes roceiros, refinados jecas. No meu caso especial, amor pelo cerrado, por pedras, córregos, campanários, madrugadas, entardeceres, grilos, vaga-lumes, torresmo, angu, arroz com feijão e ovo frito, farinha e pimenta (indispensável), bananas, cheiro-verde e conversa, "pensação" e a nossa falta de mar. E ainda a fala, uai !

(Leda Nagle, no livro de entrevistas com mineiros, De Minas para o Mundo - editora Autêntica). Enviado por Álvaro Lopes

O sono

Pois é, cada um com seu sono : Margaret Thatcher, ex-primeira ministra britânica, dormia apenas quatro horas de sono por noite. Era o suficiente. Já o cientista Albert Einstein precisava de 11 horas. Nosso guru de economia e finanças, Delfim Netto, carece apenas de quatro horas. Um estudo com 10 mil europeus apurou que os portadores do gene ABCC9 precisam de 30 minutos a mais de sono por noite. Um em cada 5 europeus tem esse gene. E você, hein ?

E a transposição ? 

A monumental obra de Transposição das Águas do rio São Francisco sofre atrasos em alguns trechos. O flagrante de abandono, nos jornais deste fim de semana, causou perplexidade. O ministro da Integração, Fernando Bezerra, começou a subir no telhado. Prestes a levar um puxão de orelhas. Vai se queixar ao protetor, Eduardo Campos ?

Brasil de acidentes  

O país abriu 2011 sob o impacto do maior desastre ambiental de sua história, o deslizamento de terras na região serrana do Rio de Janeiro, quando morreram 820 pessoas. O 8º pior deslizamento da história mundial. E termina o ano com o derramamento de óleo do poço da Chevron, na bacia de Campos : 440 mil litros de petróleo. E olha, preocupado, para o supercargueiro Vale Beining, com rachaduras no tanque de lastro, que seria carregado pela Vale, em São Luis, Maranhão, com 385 mil toneladas de minério de ferro. O Brasil deixou de ser um território imune aos grandes desastres naturais.

Apostas abertas 

Há um grupo que aposta numa reforma ministerial mais profunda, com enxugamento e fusão de pastas. De 38 ministérios, Dilma cortaria uns 8. Há outro que avisa : a reforma será cosmética. Quatro a cinco nomes serão trocados. Este consultor tende a apostar em uma reforma mais vertical, completa.

Conselho aos pré-candidatos

Esta coluna dedica sua última nota a pequenos conselhos a políticos, governantes e líderes nacionais. Na última coluna, o espaço foi destinado à presidente Dilma Rousseff. Hoje, sua atenção se volta aos pré-candidatos :

1. Iniciem uma avaliação sobre seus pontos fortes e seus pontos fracos. Forças e Fraquezas.

2. Não deixem de lado levantamentos e prospecções sobre demandas, expectativas, anseios e vontades das coletividades.

3. Mapeie todos os aspectos positivos que devem ser continuados nas administrações municipais e os pontos negativos que precisam ser corrigidos.

____________

Atualizado em: 6/12/2011 09:26

COORDENAÇÃO

Gaudêncio Torquato jornalista, consultor de marketing institucional e político, consultor de comunicação organizacional, doutor, livre-docente e professor titular da Universidade de São Paulo e diretor-presidente da GT Marketing e Comunicação.

Publicidade