sexta-feira, 4 de dezembro de 2020

COLUNAS

Publicidade

Porandubas nº 315

quarta-feira, 9 de maio de 2012

Da casa do...!

Primeiro mandato de Garibaldi Alves Filho como governador do Rio Grande do Norte. Dava-se a largada dos projetos de aprimoramento dos recursos hídricos do Estado. O coroamento se deu posteriormente com as adutoras que se tornaram uma marca registrada do seu governo. Na cidade de Patu, participando de uma inauguração oficial, Garibaldi foi cobrado do público pelo início do serviço de abastecimento d'água da cidade, esperado com muita ansiedade. Sem se afobar, como é do seu hábito, o governador discursou, pegando carona na cobrança popular e colocando nas palavras indisfarçável irritação :

- Vou botar água em Patu nem que a água venha da casa do....! Parou. Sentindo que não podia ir além, o governador repetiu a frase :

- Já autorizei Rômulo Macedo a elaborar o projeto e vou botar água em Patu nem que a água venha da casa do...! Parou de novo. Populares na frente do palanque apressaram-se a ajudar o governador :

- Da casa do cacete....

O orador, sutil e perspicaz, arrematou :

- Eu não queria dizer essa palavra...! Risos gerais. Gari guardara a postura e conseguiu aplausos. (Do acervo de Valério Mesquita)

O desempenho da presidente

A presidente Dilma Rousseff supera as expectativas no campo da gestão. É o que se infere de conversas com empresários, esfera política e jornalistas. Mexeu no mecanismo da poupança sem o estardalhaço da estabanada era Collor. Com ganhos um pouco mais baixos, a poupança, mesmo assim, continua a ser um bom porto para os investimentos. A presidente, na verdade, quis conter a avalanche que poderia inundar o mecanismo, caso continuasse a oferecer a base de incentivos que proporcionava. Não mexeu nas contas de poupadores antigos. E força a queda dos juros.

Colchão social

Desenhada a nova arquitetura da poupança - e na esteira de movimentos que tendem a forçar os bancos a diminuir seus spreads - o governo Dilma parte para nova frente : o colchão social. Decide aumentar o Bolsa Família e estabelecer um pacote com ações para a primeira infância - crianças de 0 a 6 anos. Ou seja, o governo ampliará os repasses do Bolsa Família para quem tem filhos nessa faixa etária, além de reforçar oferta de serviços de saúde e educação. O governo fornecerá gratuitamente 3 remédios contra asma, como já existe nas áreas de hipertensão e diabetes.

Plasmando a identidade

O modus operandi do governo Dilma exibe algumas metas e preocupações : fechar os buracos em toda a malha administrativa ; gerir com parcimônia as demandas políticas ; arrochar os cinturões do governo, particularmente os que circundam os cofres públicos ; avaliar os atrasos nas frentes obreiras ; evitar estouros de contas em algumas frentes ainda sem muito controle ; centralizar processos da gestão. Há críticas a esse modo de governar, particularmente no que toca à excessiva centralização. Diz-se, por exemplo, que a presidente é capaz de passar três horas analisando planilhas, detalhes, curvas crescentes e descendentes. É seu jeito. Por isso mesmo, tem uma visão mais abrangente e plena da administração Federal.

Pequena e tão grande

Alcides Carneiro, advogado, poeta, político, um dos maiores oradores da Paraíba. Vamos entremear a coluna com algumas de suas frases.

"Paraíba : Terra que se fez pequena para não parecer tão grande!" (Durante campanha para a Câmara Federal).

"Paraíba que é pequenina na sua configuração geográfica, mas, que é grande no heroísmo dos seus filhos..."

Lula sem o viço

A continuar nessa modelagem administrativa, não haverá espaço para eventual volta do ex-presidente Luiz Inácio. Que representa um tempo e um estilo de governo. Popular, carismático, discursivo, exuberante, animador de plateias, mobilizador de multidões. Pois bem, esse estilo teve seu espaço e seu tempo. Regressar a ele é, de alguma forma, retroceder. O país agora abre fronteiras no território da racionalidade. Ademais, Lula já não tem o viço, o dinamismo, a força física que exibia para enfrentar os mais espinhosos caminhos. Vê-se um perfil debilitado. Em convalescença.

Lula como consultor

Por mais que possa ser considerado um paciente curado de grave enfermidade, sobrarão sempre lembranças e resquícios de um ex-doente que não pode e não deve cometer exageros. Dona Marisa Letícia é a primeira a se opor a um programa que ameace debilitar seu marido. Por todo esse conjunto de coisas, o cenário mais viável é o que aponta a permanência de Lula no lugar mais confortável de consultor, orientador, moderador, apaziguador de querelas.

Campina Grande

Num comício em Campina Grande, Alcides Carneiro falava e foi aparteado por um popular.

- "Campina Grande é de Argemiro !..."

De imediato respondeu : - "Campina, és muito grande para pertenceres a um só homem...".

Enfrentando o aríete político

É evidente que os políticos da base tendem a fazer cada vez mais pressão junto ao Executivo para que este atenda seus pleitos e demandas. Na verdade, o que um político quer é que as verbas alocadas para ações e projetos em suas bases sejam liberadas. Ele tem esse direito e pressiona o Executivo, chegando a fazer ameaças de não votar de acordo com a orientação do Palácio do Planalto. Mas teme represálias da opinião pública. Afinal, a presidente surfa numa alta onda de prestígio, hoje em torno de 86% de aprovação. Os políticos não querem enfrentar um governante no auge de sua aprovação. E Dilma, sob esse escudo, vai plasmando a administração à sua imagem e semelhança. Hipótese : a possibilidade de um governante executar com êxito programas e ações é maior quando está no clímax da aprovação popular. A recíproca é verdadeira.

CPI das águas correntes

Nem bem foi aberta, a CPI das Águas Correntes já cria traumas. Os parlamentares que a integram queixam-se do excesso de vigilância e da falta de dados na sala que guarda os documentos. São obrigados a deixar o celular e outros objetos do lado de fora. Muitos dizem que entrar na sala é um mico. Ocorre que os vazamentos diários, em tempestades torrenciais, não justificam medidas de extremo cuidado como as que estão sendo tomadas. É pouco provável que os documentos ali guardados contenham informações mais bombásticas do que as divulgadas todos os dias.

1º cenário : águas quentes

1º cenário : águas quentes em Goiás. O senador Demóstenes e o governador Marconi Perillo tomarão um banho quente. Demóstenes sairá mais chamuscado do que Perillo. A temperatura de sua imersão deverá ser de 90º C. Água quase em ebulição. Mas o banho de Carlinhos Cachoeira será com água fervendo a 100º C. Já a pele do governador poderá ser preservada com a aplicação de pomadas compradas na lojinha de conveniências. O deputado Carlos Alberto Leréia também aproveitaria a pomada.

2º cenário : águas podres

2º cenário : águas fétidas do Lago Paranoá. O governador Agnelo Queiroz será inundado por águas do lago, mas é bem possível que, na hora H, surja uma canoa saída da lojinha de conveniências recíprocas, guiada pelos partidos, que seria sua tábua de salvação. É possível que o banho do governador respingue em parte de sua equipe.

3º cenário : águas

3º de cenário : Baía da Guanabara esplendorosa. O governador Sérgio Cabral, que adora festas, poderá dar um mergulho na baía, não a ponto de se afogar. Respingos cairão sobre a cabeça do deputado Stepan Nercessian.

Cruz das armas

Em Cruz das Armas, na campanha política de 1950, iniciado o discurso de Alcides, o tempo mudou e começou a chover. Motivado, Alcides declarou :

- "Sou recebido com palmas, bênção dos homens e, sob a chuva, bênção de Deus, que umedece e fertiliza o generoso solo da nossa Paraíba".

Perfis

Registro, com satisfação, o recebimento do livro do amigo, advogado, ex-ministro do TSE, ex-conselheiro Federal da OAB, membro da Academia Brasileira de Letras Jurídicas e, sobretudo, figura celebrada pelas sementes de amizade que espalha por todos os cantos onde circula, Roberto Rosas : "Perfis do Mundo Jurídico". A obra contempla perfis no Supremo Tribunal Federal ; perfis no Tribunal Superior Eleitoral ; perfis acadêmicos e perfis do mundo jurídico. Editado por Migalhas, 345 páginas.

Código Florestal

A presidente Dilma tem, até o dia 25 de maio, para se manifestar sobre o projeto do Código Florestal. Certamente fará vetos. A essa altura, há quem diga que a presidente vetará o projeto totalmente. Outros acham que o veto será sobre partes, incluindo o artigo que trata da recomposição de matas ciliares.

Mais Alcides

"Os que menos recebem, são os que mais agradecem...".

"Pedir não ofende, humilha mais a quem nega, do que a quem pede...".

"Deus estava irado quando inventou a paixão".

Dívida dos Estados

O calendário de votação do Congresso está apertado. Ainda mais tendo pela frente o desdobramento (imprevisível) da CPI do caso Cachoeira. Haverá recesso parlamentar em julho, enquanto o segundo semestre será praticamente dedicado às eleições municipais. Deputados e senadores querem ajudar seus candidatos, sendo que muitos parlamentares (da Câmara) serão, eles mesmos, candidatos. O governo se angustia ante a necessidade de se aprovar, ainda este ano, a mudança no indexador da dívida dos Estados com a União e as novas regras de rateio do Fundo de Participação dos Estados. Por determinação do Supremo Tribunal Federal, deveriam ser aprovadas até dezembro.

2º turno paulistano

Grande dúvida cerca o pleito paulistano, principalmente o segundo turno. Entre 0 a 10, o candidato tucano José Serra ganharia, hoje, nota 8 como provável candidato ao segundo turno. A questão é : quem disputaria com ele ? O PT aposta em Fernando Haddad, confiando nos 30% históricos de intenção de voto que o partido arruma em São Paulo. Desta feita, porém, a dúvida se instala com mais intensidade, eis que o ex-ministro da Educação patina em parcos 4% a 5%. Lula teria condições de levá-lo nas costas ? Muitos garantem que sim. Há controvérsias. Por isso, cresce a expectativa em torno de Gabriel Chalita. Que já anuncia o cenário : teria o apoio do PT contra Serra no segundo turno; ou teria o apoio do tucano Alckmin, governador e poderoso, contra Haddad, se este desbancar o Serra. Difícil de apostar nesse momento.

Recorde de público

Esta coluna registra dois aniversários, semana passada, que bateram recorde de convidados : o do presidente da OAB/SP, Luiz Flávio Borges D'Urso, pré-candidato do PTB à prefeitura de SP, e o do deputado Gabriel Chalita, pré-candidato do PMDB. Compareceram aos eventos cerca de 2 mil pessoas. A festa no Jockey Club para D'Urso reuniu muitas personalidades, entre os quais o vice-presidente Michel Temer, o governador Alckmin, o prefeito Kassab, os candidatos José Serra (PSDB), Celso Russomano (PRB), deputados Federais e estaduais, vereadores e secretários de Estado, e de Gabriel Chalita, que também recebeu, dias depois, no bar Brahma, o abraço de importantes figuras da vida pública, a partir do vice-presidente Temer.

Paes em paz ?

Eduardo Paes, prefeito do Rio de Janeiro, candidato à reeleição pelo PMDB, não deverá ser atingido por eventual borrasca a cair sobre Sérgio Cabral, governador.

Hollande e a realidade

François Hollande ganhou as eleições francesas com um discurso focado para a quebra de austeridade. Sua visão é de que não é com ortodoxia que a Europa sairá da crise que aperta suas finanças. Os gregos fazem a ele um desafio : apoiar os partidos gregos que também rejeitam a austeridade. Pedem que ele não endosse a firme decisão da primeira ministra alemã, Ângela Merkel, que é a de apertar os controles e equilibrar os orçamentos. Significaria extraordinário esforço para renegociar o pacto fiscal da União Europeia. A dúvida entre afrouxar e apertar - eis o manto que cobre o perfil do socialista Hollande.

Selo de qualidade : empresas contábeis

Hoje, será realizada no Expo Transamérica, em São Paulo, a 7ª edição do Programa de Qualidade de Empresas Contábeis (PQEC 2012). Serão mais de 400 organizações certificadas com o selo que garante a excelência dos serviços prestados na área da contabilidade. "Com a velocidade da informação e o aumento da exigência dos consumidores, a qualidade dos serviços passou a ser fundamental para o sucesso das organizações", afirma José Chapina Alcazar, presidente do Sindicato das Empresas de Serviços Contábeis e de Assessoramento no Estado de São Paulo (Sescon/SP) e idealizador da premiação. Parte das empresas certificadas conquistarão também o selo internacional ISO 9001:2008, fruto de uma parceria entre o Sescon/SP e a Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT). O evento contará com o show da dupla Victor e Leo. São esperadas 4,5 mil pessoas.

Bom samaritano

A China começa a adentrar o território das boas ações. Incentiva com dinheiro a quem pratica as virtudes do bom caráter. O brasileiro Mozer Rhian Oliveira, 27 anos, gaúcho, evitou que uma chinesa fosse furtada na rua. Levou uma surra dos larápios sob os olhares de transeuntes que não lhe prestaram nenhum socorro. O governo chinês reconheceu a boa ação e, como estímulo e reconhecimento, lhe deu 50 mil yuans, R$ 15,2 mil. Será que essa prática seria bem acolhida por estas plagas ? Tenho, aqui, minhas dúvidas.

Sanatório para tuberculosos

"Esta é uma casa que por infelicidade se procura, mas por felicidade se encontra".

Hospital dos servidores

"Este hospital nasceu da bondade dos que sentem e viverá da confiança dos que sofrem".

Alcides Carneiro, um grande tribuno.

Conselho aos membros da CPI das águas

Esta coluna dedica sua última nota a pequenos conselhos a políticos, governantes e líderes nacionais. Na última coluna, o espaço foi destinado aos membros do Ministério Público. Hoje, sua atenção se volta aos membros da CPI das águas :

1. Estejam atentos ao que é principal e ao que é acessório. Procurem ajustar o foco para as questões centrais, evitando que as querelas partidárias acabem canibalizando as investigações.

2. Há muitas informações vazando pelos ralos dos investigadores. A essa altura, a teia é tão cheia de fios, que chega a confundir os mais experientes leitores. Procurem separar os fios de cada rolo.

3. Não se deixem levar pela fosforescência midiática. Ajam como parlamentares na função investigativa. Sem excessos. Sem maneirismos. Sem manobras que possam prejudicar o andamento das apurações.

____________

Atualizado em: 27/4/2012 08:53

COORDENAÇÃO

Gaudêncio Torquato jornalista, consultor de marketing institucional e político, consultor de comunicação organizacional, doutor, livre-docente e professor titular da Universidade de São Paulo e diretor-presidente da GT Marketing e Comunicação.

Publicidade