sexta-feira, 27 de novembro de 2020

COLUNAS

Publicidade

Porandubas nº 359

quarta-feira, 29 de maio de 2013

Abro a coluna com três historinhas do incomparável Jânio Quadros, pinçadas do livrinho Bilhetinhos de Jânio, que me foi presenteado pelo amigo Luis Costa :

Cães

Juarez Távora, que Jânio apoiara com decisão no sentido de levá-lo à presidência da República, foi atacado com violência em sua honorabilidade. Jânio, imediatamente, telegrafou ao ex-candidato, confortando-o moralmente, dizendo :

- Felizmente ainda contamos com homens da estatura moral do prezado amigo. Os cães que ladram aí, ladram aqui, também.

Milagre

O prefeito de Fernandópolis/SP, na audiência aos prefeitos do interior, solicitou de Jânio providências urgentes para solucionar o problema da eletricidade do seu município, "ameaçado a ficar às escuras dentro de sessenta dias". O governador tinha de arranjar a luz.

- O amigo me pede um milagre ! - respondeu Jânio. Ninguém pode dar luz em sessenta dias...

Após os sorrisos, o governador declarou que iria tentar o milagre.

Comida e trabalho

Num discurso pronunciado, de apoio à candidatura de Juarez Távora à presidência da República, Jânio emitiu a seguinte imagem, a respeito do trabalho e da comida : "Neste país, milhões e milhões de homens trabalham, trabalham para uns poucos comerem, comerem. Se o Criador desejasse que dos seus filhos uns só fossem criados para trabalhar e outros só para comer, tê-los-ia feito : uns, só com braços; e outros, só com bocas".

Caixa de boatos

Pois é, o boato que as oposições teriam maquinado para desestabilizar o programa-símbolo do governo Dilma foi um tiro n'água, ou melhor, um bumerangue. Voltou-se contra o próprio governo. A Caixa Econômica foi a responsável pela confusão, ao antecipar o pagamento dos benefícios do Bolsa Família na véspera da circulação da boataria sobre o fim do programa. Jorge Hereda confessa que o banco errou (cometeu uma heresia ?) e pediu desculpas, na esteira da hipótese de que a antecipação teria efetivamente provocado a onda de saques.

Boato e bumerangue

Seria incrível que as oposições partissem para a montagem de boatos tratando do fim do benefício. Ao final do processo, a trama se voltaria contra as oposições, bastando que a tuba de ressonância do governo desmentisse a versão. O povão, claro, acabaria se revoltando contra a fofocagem que teria sido perpetrada pelas oposições. Este consultor já alertara sobre a inconsistência da tese, na coluna da semana passada. Hoje, confirma sua posição. Há que se ter muito cuidado com boatos. Eles podem acabar matando a fonte inspiradora. Podem ser um bumerangue.

Nuvens cinzentas

O horizonte mostra o aparecimento de nuvens densas. A economia dá sinais de fragilidade. A inflação começa a dar as caras e o povão começa a expressar preocupação. Pesquisas já apontam nessa direção. Os investidores ensaiam passos de retraimento. A esfera política se agita e avoluma críticas ao governo. A presidente Dilma, apesar da disparada boa avaliação, já não conta com tanta simpatia de suas bases. Ao contrário, os partidos da base, com exceção do PT, abrem suas trombetas. Parlamentares querem mais atenção da presidente Dilma. Que não tem a flexibilidade de Lula para olhar com atenção as demandas políticas.

Triângulo das Bermudas

SP, com mais de 30 milhões de eleitores, MG, com cerca de 15 milhões e RJ, com cerca de 12 milhões formam o Triângulo das Bermudas das eleições. Como se sabe, o Triângulo das Bermudas constituem o misterioso espaço no Caribe, que abriga navios e aviões nas profundezas do oceano. Também conhecido como Triângulo do Diabo, na área ocorrem fenômenos físicos, químicos, climáticos, geográficos e geofísicos, sendo palco de desaparecimentos de aviões, barcos de passeio e navios. Pois bem, SP, MG e RJ juntam a maior fatia do eleitorado brasileiro. Essa é a razão que justifica a tese : quem atravessar, incólume, o Triângulo, estará salvo.

Os votos de cada um

Aécio Neves deve conduzir em torno de seu nome a maior fatia do eleitorado de 15 milhões. Teria entre 6 a 7 milhões de votos (válidos). Dilma, entre 4 e 5. O restante se diluiria. No Rio, tudo vai depender do grupo de Cabral/PMDB. Se for com Dilma, esta ganharia a maior fatia, algo entre 5 e 6 milhões. Mas se for com Aécio, o mineiro poderá ter a maior vantagem. E se Lindenberg entrar no páreo ? É possível que o senador na disputa rache o eleitorado, deixando Cabral com Aécio ou mesmo com Eduardo Campos, se este confirmar sua candidatura. Cabral garante que não topará apoiar Dilma se o senador Lindenberg for ao páreo. Em SP, o tucanato de Alckmin estará fechado com Aécio. Mas a presidente Dilma pode abocanhar os 30% tradicionais que o PT tem no maior contingente eleitoral do país. Ademais, o PMDB e outros partidos da base devem continuar a chancelar o nome da presidente. Há, ainda, o fator Lula, capaz de puxar mais uma sacola de votos na reta final. No Nordeste, com quase 30% dos votos do país, a maré tende a encher a praia de Dilma.

Campos, lá e cá

A cada semana, o governador Eduardo Campos acrescenta uma bateria de interrogações a respeito de seu futuro. Esta semana, longa matéria no jornal Valor Econômico praticamente mostra que as pontes com o governo Dilma e o PSB foram quebradas. Há uma ampla crítica ao governo e ao PT, que não respeitaria outros partidos, considerando-se o único responsável pelos êxitos da administração. Campos volta a ter uma agenda de viagens e a ouvir as bases do seu partido. Abriu as portas para o ingresso de seu vice, João Lyra, e estaria dando adeus ao seu correligionário, Fernando Bezerra, ministro da Integração. Que estaria arrumando as malas para deixar o PSB e ingressar noutra sigla. Mas as interrogações se expandem : entre os governadores socialistas, qual apoiaria a candidatura Eduardo Campos ?

Serra candidato ? SDS

O governador Geraldo Alckmin garante : José Serra será candidato. A que ? Resposta : perguntem a ele. Maneira mineira de despistar. Serra poderá ser candidato a presidente da República ? Sim, caso queira e seja acolhido pelo MD, partido a ser formado com a fusão do PPS e do PMN. Serra também poderá ser candidato a senador. E a deputado ? Isso é coisa menor para ele. E a governador de SP pelo MD ? Hipótese improvável. Lutar contra o tucanato que ajudou a nascer e a se consolidar ? Nem mesmo ele, Serra, sabe quais são as rotas de seu futuro. SDS - Só Deus Sabe.

O ano da contabilidade

Foi lançada na segunda-feira, 27/5, na Assembleia Legislativa, a campanha "2013 - O ano da contabilidade no Brasil", iniciativa do Conselho Federal de Contabilidade, em parceria com as demais entidades da categoria. A profissão, regulamentada há quase 70 anos, é hoje uma das cinco mais procuradas nas universidades, segundo o deputado estadual Itamar Borges, que presidiu a sessão solene. Para Sérgio Approbato Machado Júnior, presidente do Sindicato das Empresas de Serviços Contábeis e de Assessoramento no Estado de São Paulo (Sescon/SP), a categoria contábil vem conquistando um canal de comunicação importante na esfera política. "Buscamos sempre mudanças significativas para a sociedade como a desburocratização e a redução da carga tributária. Não há desenvolvimento que não passe pelo contador. A contabilidade faz parte da gestão das empresas".

Mídias sociais no turismo

Um estudo realizado pelo Ipeturis (Instituto de Pesquisas, Estudos e Capacitação em Turismo), por encomenda do Sindetur/SP (Sindicato das Empresas de Turismo no Estado de São Paulo), mapeou o uso das mídias sociais no setor de agenciamento turístico. Entre as agências pesquisadas, 54% utilizam a rede para aumentar as vendas e fidelizar clientes. O Facebook é a ferramenta mais popular, citada por 97% das empresas. "Com a evolução tecnológica, as mídias sociais se tornaram indispensáveis para o trabalho dos agentes de turismo na comunicação com o cliente. Quem saiu na frente já ocupa um valioso espaço no mercado", afirma Marciano Freire, diretor do Ipeturis.

Em respeito aos passageiros

Diante da total omissão da ANAC, que tapa os olhos para as relações injustas entre empresas aéreas e seus passageiros, o Sindicato das Empresas de Turismo no Estado de São Paulo - Sindetur/SP, levanta a bandeira da defesa dos consumidores, sob o comando de seu presidente Eduardo Nascimento. O decálogo do sindicato mostra as obrigações que a ANAC deveria impor, mas não impõe :

1. indiquem a quantidade de assentos disponíveis nas tarifas promocionais;

2. atendam chamadas telefônicas no tempo máximo de um minuto;

3. atribuam validade mínima de 24 horas para o valor da tarifa oferecida;

4. informem claramente o preço total e as restrições da tarifa oferecida;

5. não apliquem taxas abusivas por remarcação ou cancelamento;

6. reparem, em no máximo 30 dias, os danos por voos cancelados;

7. reparem de imediato danos por extravio de bagagem em voos de ida;

8. reparem, em no máximo 30 dias, danos ou extravio de bagagem, na volta;

9. reembolsem, em no máximo 30 dias, passagens não utilizadas;

10. transportem consumidores de empresas que paralisarem atividades.

Choque de qualidade

O secretário do Desenvolvimento Econômico Sustentável do Estado de SC, Paulo Bornhausen, acaba de marcar um gol de placa com o lançamento de seu projeto "Gestão Municipal para a Nova Economia". Ao custo de R$ 3 milhões, o projeto pretende estimular o desenvolvimento econômico sustentável dos municípios catarinenses por meio do aumento da capacidade de investimento, qualificação dos serviços e dos servidores públicos, e melhoria da gestão para questões estratégicas. Com isso, quer dar um choque de qualidade na precária administração das prefeituras. Vários prefeitos e empresários já aderiram, entre eles Jorge Gerdau.

A Anvisa e os clandestinos

Donas de casa, pessoas responsáveis, continuam a sentir falta do álcool líquido mais forte nas prateleiras de supermercados e recusam aquele mais fraco ou o gel. Enquanto isso, os postos de gasolina continuam a vender o álcool mais forte (etanol) em garrafas pet para pessoas nem tão responsáveis assim. Usam este produto negado às donas de casa para fazer suas fogueiras nessas noites frias de outono ou então para, depois de muitos goles a mais, acender suas churrasqueiras. A Anvisa é a responsável por tamanha incoerência : proíbe o álcool 92 INPM para pessoas sérias e empurra outros consumidores para a clandestinidade, passíveis de acidentes. O governo Federal precisa entender que a sociedade brasileira não precisa da tutela da Anvisa.

Cachorro-quente e Aluízio

Aluizista roxo, que tinha no dedo polegar erguido um dos seus símbolos, o comerciante Francisquinho Nunes do Café e Bar Mossoró não se descuidava no culto à sua paixão. Em seu comércio no centro da cidade de Mossoró, com clientela diversificada, não tergiversava na hora de expressar sua preferência política. Para causar embaraço a Francisquinho, partidários do deputado Vingt Rosado ou mesmo circunstantes diversos, apenas à cata de diversão, chegam ao Café e Bar Mossoró e tascam o pedido. Um deles repete o que outros já vinham provocando :

- Francisquinho, dois cachorros-quentes.

Aliado ao pedido verbal, o cliente sinaliza com dois dedos formando um "V" de Vingt Rosado, ferrenho adversário do líder Aluízio Alves. Incontinenti, o comerciante não amolece, nem cai na armadilha simbológica.

- Está certo ! Vai um e um - avisa ele, sinalizando com o polegar erguido duas vezes

(Historinha contada por Carlos Santos em "Só Rindo 2".)

Conselho aos diretores da ANAC

Esta coluna dedica sua última nota a pequenos conselhos a políticos, governantes, membros dos Poderes e líderes nacionais. Na última coluna, o espaço foi destinado ao governador de SP, Geraldo Alckmin. Hoje, volta sua atenção aos dirigentes da ANAC :

1. A infraestrutura de serviços nos aeroportos e a falta de controle sobre as companhias aéreas atestam a ineficiência da Agência dirigida por Vossas Excelências.

2. Assumam suas responsabilidades, fiscalizem de maneira exemplar as companhias aéreas, atentem para as queixas dos consumidores, procurem cumprir de maneira rigorosa as funções que cabe à ANAC executar.

3. O Brasil se prepara para sediar os dois mais importantes eventos do calendário esportivo mundial. A continuarem os buracos, vazios e descontroles no sistema de transportes aéreos, o país será submetido à mais intensa bateria de críticas e denúncias de sua história. Atentem para evitar esse descalabro.

Atualizado em: 28/5/2013 13:14

COORDENAÇÃO

Gaudêncio Torquato jornalista, consultor de marketing institucional e político, consultor de comunicação organizacional, doutor, livre-docente e professor titular da Universidade de São Paulo e diretor-presidente da GT Marketing e Comunicação.

Publicidade