quinta-feira, 22 de outubro de 2020

COLUNAS

Publicidade

Porandubas nº 397

quarta-feira, 7 de maio de 2014

Abro a coluna com deliciosa historinha de uma cidade do RJ. Narrada com o toque de humor do amigo Sebastião Nery.

Ô jardineira, por que estás tão triste ?

Numa cidadezinha do norte do RJ, a procissão de Senhor Morto caminhava lenta e piedosa, na sexta-feira da Paixão. O povo cantava, de maneira compungida, os hinos sacros. O velho padre na frente, o sacristão ao lado e os fiéis atrás, cantando as músicas que o vigário puxava. De repente um pequeno ônibus, que na região chamam de "jardineira", passou perto e começou a subir a íngreme ladeira da igreja, bem em frente da procissão. No meio da ladeira, a "jardineira" afogou, encrencou, parou, deu aceleradas fortes e inúteis e começou a dar para trás, de costas. Os fiéis não viram, mas o padre, atento, viu. E ficou apavorado. A "jardineira" já despencava numa grande velocidade. O padre gritou :

- Olha a jardineira !

E os fiéis, animados com a convocação, começaram a cantar, em ritmo de samba :

- Ô jardineira, por que estás tão triste ? Mas o que foi que te aconteceu ? Foi a Camélia que caiu do galho, deu dois suspiros e depois morreu...foi a Camélia que caiu....

A "jardineira" descambou ladeira abaixo, até que parou. Não atropelou ninguém. Os fiéis não conseguiram segurar as gargalhadas. Sob o olhar fixo do Senhor Morto !

Ecos de Comandatuba

O evento anual do Lide em Comandatuba reuniu empresários, deputados, senadores e governadores de diversos partidos, que, durante mais de quatro horas, ouviram as ideias e propostas dos candidatos Aécio Neves, do PSDB, e Eduardo Campos, do PSB. O evento foi muito produtivo e inaugurou, no país, o debate entre pré-candidatos. Até então, o pensamento de pré-candidatos era conhecido por meio de entrevistas individuais. João Dória, o dinâmico comandante do Lide, conseguiu fazer um evento de impacto. A presidente Dilma, convidada, não pôde comparecer.

Aécio mais incisivo

O que se viu em Comandatuba foi o tucano mineiro Aécio Neves mais solto, mais incisivo, mais direto e mais experiente que Eduardo Campo. Este parecia tolhido por sua candidata a vice, Marina Silva, que ouvia tudo e todos com a máxima atenção. Campos foi muito genérico, Aécio, mais pontual e convincente. Ficou patente que Aécio ganhou a primeira disputa com Eduardo, mesmo pontuando que não via nele um adversário. Abordagem que não deve ter agradado Marina, que faz questão de acentuar as profundas divergências entre eles.

Provérbios

"Nunca feche totalmente uma porta ; você pode querer voltar !" (Provérbio espanhol)

"Não tenha medo de crescer lentamente, tenha medo de ficar parado." (Provérbio chinês)

"Não pense que não há crocodilos só porque a água está calma." (Provérbio malaio)

Marina atrapalha ?

Para alguns, Marina está atrapalhando a rota de Eduardo Campos. Veja-se o caso de SP. Poderia o PSB fazer aliança com o PSDB de Alckmin. Marina não quer nem pensar. Márcio França, nesse caso, se prepara para ser candidato ao governo, mesmo não tendo o apoio de alguns nomes de peso no partido. Mas ele domina a máquina. As alianças do PSB com outras siglas estão, por isso mesmo, em compasso de exame. Marina age como fiscal. Campos parece querer agradá-la, confiando na migração de votos dela para ele. Não conseguirá os 20% de votos que ela angariou na eleição de 2010.

Dilma em queda

A impressão no meio empresarial e em parcela ponderável da esfera política é a de que a presidente Dilma continuará a cair. Impressão. Há a convicção de que a economia não apresentará melhoras até outubro. Que a inflação das ruas já corroeu os 10% que a presidente garantiu para os assistidos pelo Bolsa Família. Que alas de partidos governistas continuarão a se afastar da candidatura Dilma, seja fazendo eco ao Volta, Lula, seja mesmo sinalizando apoio aos candidatos da oposição. Este consultor coloca dúvidas em alguns pontos.

Pode recuperar ?

Dilma pode recuperar, sim, índices anteriores de boa avaliação. Basta que a inflação na área de alimentos recue. Bolso em boas condições garante barriga satisfeita. Portanto, isso não é impossível. Mas há ventos que podem vir em sentido contrário. Ventos da Copa. Não propriamente o desempenho do Brasil em campo, mas questões de logística - acesso às arenas esportivas, condições de chegada e saída dos estádios, e mesmo situações de desconforto causadas por obras concluídas a toque de caixa. E se houver um apagão de luz em algum jogo ? Apupos em vez de aplausos.

"Posso até conceber um homem sem mãos, sem pés, sem cabeça, pois é só a experiência que nos ensina que a cabeça é mais necessária que os pés. Mas não posso conceber um homem sem pensamento. Seria uma pedra ou um bicho." (Blaise Pascal)

Os fundões estão satisfeitos ?

Os fundões do país estão satisfeitos ? Prefeitos dos fundões, com os quais este consultor tem conversado, são unânimes em afirmar que o Bolsa Família e outros programas assistencialistas são importantes, agradam, mas não são suficientes para manter o ânimo e a confiança dos eleitores. Eles estão mais exigentes. O ciclo do Bolsa Família cede lugar à era do Bolsa Cabeça. A turma do "quero mais" fica mais densa a cada dia. Principalmente quando se olha para a classe C, o contingente emergente. Esse grupamento é quem está nas ruas fazendo as mobilizações. Chegou no patamar do meio da pirâmide e quer ganhar as mesmas condições da classe média B ou A : mais saúde, transportes urbanos melhores, mais segurança, melhor educação. Essa turma será decisiva. Seu voto definirá o presidente da República. Matar o tempo ? Cuidado. "Quem mata tempo é suicida" (Millôr Fernandes). "Como se fosse possível matar o tempo sem ferir a eternidade" (H. Thoreau).

PNBI

O fato é que há no ar - coisa sentida nas conversas, nos desabafos - um Produto Nacional Bruto da Insatisfação em visível expansão. Junta indignados de todas as áreas : congestionados no trânsito ; sufocados em ônibus superlotados ; categorias profissionais insatisfeitas com salários defasados ; pessoas em gigantescas filas de hospitais ; habitantes das metrópoles e grandes cidades cercados de violência e medo, muito medo. Essa massa poderá aproveitar eventuais pistas de acesso às arenas esportivas para fazer eco à sua indignação.

Evento da Mega Brasil

Hoje pela manhã, no Centro de Convenção Rebouças, participarei de um debate com Jorge Gerdau, Fábio Barbosa e José Goldenberg sobre "O Brasil dos Nossos Sonhos". Minha exposição abrigará os principais gargalos e desafios para a alavancagem do país. O Congresso Brasileiro de Comunicação Corporativa é promovido pela Mega Brasil e já faz parte do calendário anual dos grandes eventos de Comunicação, pilotados pelo dinâmico jornalista Eduardo Ribeiro.

Feriados demagógicos - 1

O prefeito paulistano Fernando Haddad enviou à Câmara Municipal um PL decretando feriado o 12 de junho - dia do jogo Brasil e Croácia, na abertura da Copa do Mundo -, e abrindo a possibilidade para os vereadores decidirem por feriados também os outros cincos dias em que haverá partidas do Mundial em SP. Se tudo aprovado, seis feriados no período de um mês, um absurdo, neste momento em que a economia do país desacelera, com números desanimadores. Não se compreende paralisar uma cidade de mais de 10 milhões de habitantes para beneficiar 60 mil torcedores que irão ao estádio em Itaquera.

Feriados demagógicos - 2

Várias entidades protestam contra a intenção do prefeito de decretar feriado para evitar congestionamentos ou superlotação no transporte público. O SESVESP - Sindicato das Empresas de Segurança Privada do Estado de São Paulo, por exemplo, enviou ofício ao prefeito e à Câmara contestando o absurdo, ou a perda dessa "fortuna em bens e serviços não realizados". Ao lembrar que SP produz 10% do PIB nacional, o SESVESP pergunta : "Não seria demagogia e irresponsabilidade parar a produção tantos dias ?"

Feriados demagógicos - 3

O prefeito Fernando Haddad talvez não saiba dos custos para a iniciativa privada em caso de feriado. Todas as atividades que não podem paralisar seu atendimento - como hospitais, farmácias, call centers, empresas de vigilância, serviços de portaria, etc. - devem pagar 100% a mais a seus funcionários nesses dias. Como podem ser seis feriados... Bem, talvez o prefeito saiba, sim. Uma alternativa seria decretar ponto facultativo.

Provérbios

"Se quiser conhecer um cavalo, monte nele ; se quiser conhecer uma pessoa, conviva com ela." (Provérbio japonês)

"Os professores abrem a porta, mas você deve entrar por si mesmo." (Provérbio chinês)

"Melhor é o pouco com Justiça do que grandes rendas com injustiça." (Provérbio bíblico)

"Tome o café da manhã como um rei, almoce como um príncipe, jante como um miserável." (Provérbio inglês)

Sensus sem bom senso ?

Opositores de Aécio Neves se queixam da metodologia usada pelo Instituto Sensus em sua última pesquisa. Colocaram Aécio em primeiro lugar no questionário. Com senso ou falta de senso, o fato é que o tucano tem crescido. O tira-teima virá com a pesquisa Datafolha nos próximos dias. Este consultor tende a apostar em dados próximos entre as pesquisas, sob pena de desmoralização pública do Instituto que for flagrado em manipulação.

Greve da PF

Na manhã desta quarta-feira, agentes, escrivães e papiloscopistas vão se reunir em frente às superintendências regionais e delegacias da PF para um grande protesto, com faixas, cartazes e elefantes brancos infláveis. Os policiais querem alertar a população sobre a crise que o órgão enfrenta atualmente. Hoje é o dia do oftalmologista. Centenas de agentes Federais em todo o país vão protestar com vendas nos olhos contra a gestão míope da segurança pública brasileira.

A urna da Cantareira

Pela primeira vez na história, o Sistema Cantareira atingiu um patamar menor do que 10% de sua capacidade de armazenamento. Ontem, o reservatório que abastece boa parte da Grande SP atingia apenas 9,8% da sua capacidade.

A eleição de SP

SP comandará o pleito de outubro, tendo em vista a liderança no ranking do eleitorado nacional : são quase 33 milhões de votos. Prognósticos, a esta altura, são arriscados, mas é possível apontar algumas pistas que darão suporte ao take off das candidaturas. Vamos lá : 1. A Cantareira está com 10% de sua reserva ; até outubro, se não chover, esse índice deverá cair. Seca na metrópole, com multas aplicadas por Alckmin, significará urnas não tão cheias para o atual governador. Ele deverá sofrer uma queda em seus índices ; 2. Por mais que Padilha e o PT se esforcem para sair do sufoco do bombardeio (o nome do ex-ministro aparece em telefonemas entre o doleiro Youssef e o deputado André Vargas), o episódio devera respingar nos costados do petista ; 3. A polarização clássica PT x PSDB, sob esse ambiente turvo, tende a perder volume ; 4. Um perfil mais asséptico e distante da troca mútua de acusações tende a ganhar corpo. Esse perfil pode ser o de Paulo Skaf.

Maluf e Costa Neto com Padilha

O PT se esforça para fechar parceria com Paulo Maluf (PP) e Costa Neto (PR), dois perfis que se enquadram no chamado espaço conservador. Se Padilha que ser o novo já entra como Matusalém na Campanha. Mas, como se sabe, o que importa em campanha é tempo de rádio e TV.

"O imoralismo chegou a uma vulgaridade extrema e qualquer um se vangloria de exercitá-lo." (Ortega Y Gasset)

Fabiane e o espírito do nosso tempo

Fabiane Maria de Jesus, 31 anos, foi morta no Guarujá por pessoas que a espancaram até a morte depois de arrastá-la por vielas. Seu corpo foi enterrado, ontem, no cemitério Jardim da Paz, sob forte comoção das cerca de 200 pessoas que acompanharam a cerimônia. Foi linchada depois de uma falsa acusação de que ela sequestrava crianças. O cemitério onde ela foi enterrada fica entre um lixão e um depósito de contêineres. O lugar está cercado de entulhos e insetos. Seu nome foi escrito com pregos no cimento fresco na gaveta por coveiros. Muito religiosa, Fabiane morreu depois de ter ido buscar uma Bíblia na igreja São João Batista. No choro de muitos, ouvia-se o lamento : "falta de amor no coração" das pessoas que a lincharam.

Conselho aos presidenciáveis

Esta coluna dedica sua última nota a pequenos conselhos a políticos, governantes, membros dos Poderes e líderes nacionais. Na última coluna, o espaço foi destinado aos burocratas da economia Hoje, pede a atenção dos presidenciáveis :

1. Em ano eleitoral, costuma-se prometer mundos e fundos. O tom populista/assistencialista toma assento nos discursos. Os candidatos vestem a roupa de Robin Hood. Pois bem, evitem fazer promessas que não cumprirão.

2. Façam propostas que caibam no Orçamento-Brasil. Que primem pela responsabilidade fiscal. Que possam ser efetivamente implantadas.

3. Inspirem-se, sempre, no lema : é mais eficaz ensinar o pescador a pescar que oferecer uma migalha de peixe. Que saciará a fome de hoje, mas não a do futuro.

Atualizado em: 7/5/2014 07:54

COORDENAÇÃO

Gaudêncio Torquato, jornalista, consultor de marketing institucional e político, consultor de comunicação organizacional, doutor, livre-docente e professor titular da Universidade de São Paulo e diretor-presidente da GT Marketing e Comunicação.

Publicidade