quarta-feira, 2 de dezembro de 2020

COLUNAS

Publicidade

Porandubas nº 413

quarta-feira, 10 de setembro de 2014

Abro a coluna com duas historinhas, uma de PE, outra, do CE.

Nunca vi nada

"Eleição de 1958. O comício era então a grande festa cívica onde se sucediam inflamados oradores, longe das castradoras técnicas do marketing e da televisão. Em Caruaru, José Fagundes, cego de nascença, louvava seu candidato João Cleofas, com a força das boas intenções e de alguns trocados.

- Eu queria que Deus me desse a luz dos meus olhos para eu ver o que o doutor Cleofas já fez por PE !

Do povaréu que se comprimia em frente ao palanque, crítico feroz de tudo o que cheirasse a governo, Biu Moscouzinho levantou o braço, esticou o pescoço e mandou o verbo :

- Queira não, ceguinho ! Eu tenho dois olhos e nunca vi nada !"

(Aldo Paes Barreto, cronista pernambucano, em seu livro Casos, causos e repentes)

Meu jumento zurrando

O padre da Igreja de São Mateus, no Vale do Jaguaribe, não tinha uma voz privilegiada. Todas as vezes que cantava, via-se uma mulher chorando copiosamente. O padre, intrigado com a situação, perguntou-lhe o motivo do choro. A mulher respondeu :

- Ah, senhor, não consigo parar de chorar. Eu tinha um burro que era toda a minha riqueza... infelizmente, morreu. Quando ouço o sinhô padre cantar, parece o meu jumento zurrando !

O padre que esperava algum louvor, retirou-se irritado e confuso.

(Causos Cearenses)

Até onde a vista enxerga

Confessando de cara : a vista deste consultor é turva. Há muita fumaça no ar. Que deixa apenas o que é muito próximo. Paulo Roberto, o delator, teve seu depoimento vazado. Começamos, por aqui, nossa análise. Por que vazou ? Porque há interesses políticos nesse vazamento. O caso está sob segredo de Justiça. Logo, tudo deveria ser secreto. Com o vazamento, emergem as inferências : há um grupo que quer colocar muita lenha na fogueira e causar danos de monta a alguns candidatos. Quem poderia se beneficiar do vazamento ? E mais : quem poderá ganhar com a torrente de denúncias que certamente continuará nos próximos dias ?

Vêm mais coisas por aí...

Paulo Roberto já dissera tempos atrás : se eu falar, não vai haver eleição. Forma rompante de dizer que seu depoimento provocaria impactos. E provoca mesmo. Por enquanto, ele forneceu uma primeira lista de nomes. Especula-se que vem mais por aí. Mas a delação premiada exige provas, sob pena de o denunciante não ver homologada a negociação para se livrar ou atenuar a pena. Provas. Que tipo de provas ? Corrupção. Entrega de dinheiro, por exemplo. Comprovação de que as empreiteiras tinham de depositar 3% de seus contratos para formar um fundo, cujos recursos seriam repassados a partidos. Não é fácil comprovar essa acusação.

A lista

A lista mostra atores de alguns partidos. Não se viu, por enquanto, nomeação de partidos ou seus pleitos. Eles aparecem em função de parlamentares neles abrigados. A lista nomeia parlamentares de partidos governistas. Sob esse prisma, os danos caem sobre o governismo, arrastando, de roldão, a candidata Dilma Rousseff. Mas Eduardo Campos, morto tragicamente, era o candidato do PSB, hoje substituído pela ex-senadora Marina Silva. E o ex-governador de PE aparece também na lista.

Acordo em PE

No caso do ex-governador de PE, Eduardo Campos, o que se diz é o seguinte : o ex-diretor de abastecimento da Petrobras, Paulo Roberto Costa, teria concedido vantagens financeiras, dilatando prazos e suprimindo compromissos assumidos por PE em acordo firmado diretamente com o então governador Campos. Que teria assinado com Costa um termo de adiantamento de tarifas da Petrobras ao porto de Suape por conta do futuro uso do porto no transporte de produtos da refinaria Abreu e Lima. Repasses da estatal seriam da ordem de R$783 mi.

Portanto...

Portanto, ao dizer que querem "a segunda morte do Eduardo Campos", a candidata Marina procura dar ao fato um tom emotivo, eis que o "morto" não pode se defender das acusações. E uma onda de vitimização cairia bem nesse momento em que começa a ser apontada como favorita. O denunciante teria inserido em vão o nome do ex-governador na lista de beneficiados com o esquema de negócios montado no entorno da Petrobras ? Se a verdade libertará, como lembra Marina citando a Bíblia, que ela apareça.

Diluição

Por este prisma, a bateria de acusações - até o momento agrupadas na categoria de indícios - tende a se diluir, eis que se repare por todos da situação e da oposição, neste caso, da frente marineira. Aécio Neves seria o maior beneficiário do tsunami que já está sendo chamado de "petrolão". Mas Aécio teria tempo de se recuperar do estrago que Marina fez sobre seu mapa eleitoral ? Difícil. A banalização do mal, ou, em outros termos, a banalização da corrupção tem o efeito de horizontalizar as denúncias, repartindo-as de um lado para outro do espectro partidário. É quase impossível para um ator político ser considerado um santo, honesto, ético, nesses tempos de desmoralização da política.

Marina, um logotipo

Interessante é a figura de Marina. Poucos sabem dizer o que defende, o que prega, quais são suas propostas. Mas ela cativa pela estética. Uma evangélica, de origem negra, que se veste de maneira tradicional, um tom agudo de voz, expressão de quem está no púlpito de um templo. Nela se cristaliza a lição de Marshall McLuhan, o filósofo da comunicação da década de 60 : o meio é a mensagem. Ela, como meio, é a mensagem. Junte-se a isso a rejeição que se expande nos terrenos do PT. Ouve-se por muitos lados : chega de PT. Mas o partido tem ainda um bom lastro nas margens sociais.

Projeções

Sob essa moldura, pode-se fazer um conjunto de inferências : 1. Aécio só se recupera caso consiga acender o pavio da racionalidade no Sudeste do país. Ora, ele está em terceiro lugar em seu próprio Estado, MG, o segundo maior colégio eleitoral do país. 2. Os tucanos paulistas não se envolveram com Aécio de forma tão estreita, como seria de esperar entre correligionários. 3. O Nordeste será repartido entre Dilma e Marina. 4. Ambas têm, hoje, praticamente assegurados seus passaportes para o segundo turno. 5. As bases petistas, para aumentar o cacife eleitoral da presidente Dilma, precisam resgatar o ardor com que vestiam seu ânimo em campanhas passadas. Parece que até Lula está sem entusiasmo. 6. Marina, ao que parece, bateu em seu teto. Mas o emocionalismo que imanta sua imagem pode lhe render mais alguns pontinhos.

Religião e política

Política e religião não devem se misturar. É preocupante ver a imbricação de religião e política. O pastor Lélis Marinho, coordenador do Conselho Político das Assembleias de Deus está coletando assinaturas para formar o partido da igreja de Marina, usando, para tanto, um exército formado por 40 mil pastores e 100 mil locais de culto no país. Um perigo um partido político evangélico. A César o que é de César, a Deus o que é de Deus.

E a lei ficha Limpa ?

Pois é, e a lei ficha limpa, hein, vale ou não vale ? A LC 135, sancionada em 4 de junho de 2010, que contou com o apoio de 1,3 milhão de assinaturas para sua aprovação pelo Congresso, prevê 14 hipóteses de inelegibilidade, impedindo candidaturas de políticos que tiveram mandato cassado, condenados em processos criminais ou quem renunciou ao mandato para evitar processo de cassação. A punição é de oito anos de afastamento das urnas. Levantamento da PGR aponta que existem no Brasil, atualmente, 346.742 processos de potenciais inelegíveis devido à lei ficha limpa. O MPF já impugnou 4.115 candidatos por irregularidades nos registros das eleições de 2014. Desses, 497 ações foram em decorrência da lei ficha limpa. Dados foram contabilizados até 19 de agosto.

Correção

O STF tomou uma decisão histórica ao reconhecer a existência da união estável entre companheiros do mesmo sexo. Por unanimidade, os ministros definiram que as uniões homossexuais configuram uma entidade familiar. Assim, os casais gays passarão a ter direitos previdenciários e poderão partilhar bens e herança, assim como fazer declaração conjunta de IR e adotar filhos. Semana passada, Porandubas afirmara que Marina defende a "união civil" nos termos definidos pela CF. Correção : não existe a união civil de pessoas do mesmo sexo, mas união estável. Obrigado ao leitor André Bocuzzi pela oportuna correção.

Atenção, MP e Poder Judiciário

1. Senhores promotores, senhores juízes. Atentem para a aplicação rigorosa da ficha limpa. Não deixem passar em brancas nuvens a sujeira feita por políticos de ficha suja.

2. Se candidatos ficha suja habilitam suas candidaturas, estão maculando o império da ética, da moral e da Justiça.

3. Vejam quais os excessos cometidos e estendam seus braços para evitar que a sujeira contamine os espaços éticos do nosso território.

Atualizado em: 10/9/2014 07:47

COORDENAÇÃO

Gaudêncio Torquato jornalista, consultor de marketing institucional e político, consultor de comunicação organizacional, doutor, livre-docente e professor titular da Universidade de São Paulo e diretor-presidente da GT Marketing e Comunicação.

Publicidade