sábado, 31 de outubro de 2020

COLUNAS

Publicidade

Porandubas nº 63

quarta-feira, 26 de julho de 2006

 

SANGUESSUGAS

Dúvida no ar: 107 políticos passeiam nas águas como sanguessugas. São 99 deputados, 3 senadores, 4 ex-deputados e 1 ex-senador. Já há provas incriminando 80. Levante a mão quem acredita que alguém será cassado. Índice de respostas: 80% acreditam que nenhum será cassado; 10% dizem que um ou outro será cassado; 5% afirmam que mais de 10 serão cassados; e 5% respondem a pergunta com gargalhadas.

CAMPANHA ESCONDIDA

A campanha eleitoral ainda está meio escondida. Postes limpos, muros sem outdoors, bandeiras escassas. Em São Paulo, até ontem, na região do parque do Ibirapuera, apenas três bandeiras vermelhas. De alguém do PT? Não. Do deputado, agora peemedebista, Delfim Netto.

PMDB É + MAIS

Não está clara a idéia do PMDB paulista com esse slogan: "É + mais". O que o partido quer dizer? Que é melhor do que outros? É mais o quê? Na leitura final - aquela que entra no sistema cognitivo - fica a impressão de que o PMDB quer mais. O PMDB de São Paulo inova, pois o PMDB nacional não usa tal slogan, que parece ter sido encomendado a um marqueteiro-especializado em contas. Lembrando: João Santana, marqueteiro de Lula, receberá R$ 8 milhões pela campanha.

TOMOU, LEVOU

Quem esperava do presidente Lula postura de Madre Tereza de Calcutá, o Lulinha Paz e Amor, pode tirar o cavalo da chuva. Pelos primeiros comícios, ressuscitou o Lula dos idos tempos metalúrgicos do João Ferrador: "Hoje, não tô bom". Lula diz que o PSDB, para voltar ao poder, terá de "roer o osso". Porque o filé mignon que o governo pôs na mesa já tem dono.

RAIVA NO CONGELADOR

Itamar Franco, sabe-se, conserva a raiva no congelador. E é de lá que vai tirando lasquinhas raivosas geladas para se vingar de Lula, que preferiu fazer alianças com o Newton Cardoso (PMDB), candidato ao senado com o apoio do PT, cuja história política não faz parte do livrinho de primeira comunhão. Juntar-se-á a Aécio Neves, tucano que tem a preferência de 75% dos mineiros como candidato à reeleição, e fará a campanha de Geraldo Alckmin. Minas tem 13 milhões de votos, o segundo maior colégio eleitoral do País.

E DUNGA, HEIN?

O que dizer de Dunga, o novo treinador da seleção brasileira? Que nunca foi técnico? Que não tem experiência? Ou que é um jogador-macho, de raça, um daqueles beques à moda antiga, que prefere dar o sangue a fazer corpo mole? A Seleção está precisando usar menos o campo como passarela para desfile de modelos e mais como arena de lutas.

SUPLICY COBRA DE LULA

Como o PT vai se engajar na campanha de um candidato petista que, vira e mexe, cobra do presidente Lula explicações sobre o mensalão? Pois esse é o senador Eduardo Suplicy, candidato à reeleição. Ele não se conforma com o silêncio de Lula sobre o mensalão. Com tanta insistência, o senador passa a idéia de que o presidente tem alguma culpa no cartório.

SUASSSUNA, DO CÉU PARA O INFERNO

O que deu em Ariano Suassuna, o autor de clássicos como "O Auto da Compadecida" e "A Pedra do Reino", para preferir a cena fechada do Plenário da Câmara dos Deputados aos aplausos em cena aberta do povo brasileiro? O grande teatrólogo e romancista nordestino, aos 79 anos, doente, deixa a quietude do mundo dos intelectuais-imortais para freqüentar a mesma galeria onde estão sanguessugas e mensaleiros. É candidato a deputado federal pelo PSB de Pernambuco. Os antigos latinos já diziam: poetis et pictoribus, omnia licet. Aos poetas e pintores, tudo é permitido. Inclusive, preferir o inferno ao céu.

SANGUESSUGAS

As sanguessugas nadam em águas poluídas desde os tempos de Fernando Henrique. É o que mostra um Relatório sobre as ambulâncias adquiridas por muitas Prefeituras na administração passada.

HELOÍSA HELENA

Heloísa Helena passará dos 15 pontos percentuais nas pesquisas de intenção de voto? Se conseguir esse feito, mesmo com menos de 1 minuto nos programas eleitorais gratuitos, estará provando a relatividade do efeito midiático.

A LEI NO SEGUNDO TURNO

As disposições eleitorais traçadas pelo TSE só fazem referências ao primeiro turno. Exige-se, por exemplo, prestar contas das doações em agosto e setembro. Não há referência às contas do segundo turno. Será que virá mais uma Resolução só para a segunda rodada?

RENOVAÇÃO?

Quem acredita em renovação no Congresso Nacional? O eleitor, na hora de votar, saberá quem foi mensaleiro ou quem é sanguessuga? Poderá haver, sim, troca de seis por meia dúzia. Quem arriscar em renovação do Congresso pela escolha de nomes de qualidade arrisca-se a cair do cavalo.

CADEIRA VAZIA

De quem será a cadeira vazia nos debates a serem promovidos pelas TV Globo e Bandeirantes? Lula não deverá participar de todos eles. A não ser que caia nas pesquisas. O debate será interessante no segundo turno com dois candidatos disputando palmo a palmo a vontade do eleitor.

LEI DO JORNALISMO

Lula deverá vetar a lei que engessa o jornalismo, essa que exige diploma para atividades como ilustrador, comentarista esportivo, críticos especializados etc. Trata-se, isso sim, de uma restrição ao direito de expressão. Mais que corporativista, a lei é burra.

USO DA FROTA OFICIAL

Já está havendo abuso por parte dos candidatos. Jornais começam a estampar fotografias de veículos oficiais nos comícios de candidatos. Onde está a Justiça Eleitoral? Como diz o próprio presidente do TSE, ministro Marco Aurélio, o Brasil é "o país do faz-de-conta".

____________

 

Atualizado em: 25/7/2006 17:39

COORDENAÇÃO

Gaudêncio Torquato, jornalista, consultor de marketing institucional e político, consultor de comunicação organizacional, doutor, livre-docente e professor titular da Universidade de São Paulo e diretor-presidente da GT Marketing e Comunicação.

Publicidade