terça-feira, 20 de outubro de 2020

COLUNAS

Publicidade

Porandubas nº 90

quarta-feira, 28 de março de 2007


IMAGEM NEGATIVA

O prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab, acaba de colher mais uma safra de produtos ruins na floresta da imagem. Pesquisa do Datafolha exibe o índice de 42% na área da avaliação péssima e ruim. Será difícil - para não dizer quase impossível - ao prefeito resgatar uma boa imagem. Kassab não conseguiu, até o momento, soletrar a principal palavra do alfabeto do marketing institucional, que poderia lhe abrir espaços de diferenciação imagética : IDENTIDADE. Sem identidade, não há conceito; sem conceito, não há eixo que expresse a marca da administração. A retirada de cartazes das ruas foi uma espécie de bumerangue. Não rendeu os frutos que o prefeito esperava tirar da árvore seca da administração.

LULA EM QUEDA

O presidente Luiz Inácio perdeu quatro pontos na avaliação positiva nas últimas semanas. Caiu de 52% para 48%. A maior queda se deu na região onde é melhor avaliado : o Nordeste. Ou o Bolsa Família não está chegando aos redutos aonde chegava - há realmente problemas na distribuição - ou os chuviscos de indignação que banham a classe média começam a respingar nas margens e periferias. O Apagão Aéreo, que continua a atormentar os passageiros, contribui, sim, para "apagar" parte da boa imagem do presidente. A crise vem se arrastando, o presidente determina providências e nada acontece...

A CAIXA PRETA DAS ONGs

As 234 mil Organizações não Governamentais em funcionamento, no Brasil, terão suas caixas-pretas abertas. No governo FHC, foram distribuídos R$ 25 bilhões. E o governo Lula já deu às ONGs R$ 23 bilhões. Apenas 4 mil estão registradas no Ministério da Justiça, das 8 mil que receberam os recursos. O relator do projeto originário do Senado sobre o funcionamento das ONGs, deputado Nelson Marquezelli (PTB-SP), promete que o livro das entidades do Terceiro Setor será inteiramente aberto ao público.

PMDB SATISFEITO

O PMDB encontra motivo de satisfação no acordo feito com o governo Lula. Ganhou espaços que correspondem à dimensão do partido. Está vivendo o melhor ciclo de relacionamento com o PT dos últimos tempos. Por isso, há quem vislumbre acordos no pleito eleitoral do próximo ano, quando serão eleitos os alcaides municipais. Hoje, por exemplo, Marta Suplicy teria mais densidade que Geraldo Alckmin no campo da atração do PMDB. Aliás, os tucanos de São Paulo nunca abriram espaços para os peemedebistas.

A EQUAÇÃO MINISTERIAL

Lula saiu-se melhor que a encomenda em matéria de composição ministerial. Quem apostava no racha das bases, ficou a ver navios. O novo ministério foi um parto da montanha, mas os resultados parecem satisfazer aos partidos. Criticas há, mas não tão contundentes a ponto de comprometer a aliança governista, hoje adensada com cerca de 360 parlamentares.

O MANDATO É DO PARTIDO

O senador Marco Maciel é um dos melhores quadros da política brasileira. Esforça-se para emplacar uma PEC (Proposta de Emenda Parlamentar) que limita o troca-troca partidário. Por ela, o mandato passa a pertencer ao partido e não mais ao parlamentar. Se este trocar de legenda antes do prazo mínimo previsto na proposta, perderá automaticamente o mandato, sendo substituído pelo suplente. O projeto é bom, mas os partidos carecem, também, de mudanças no plano do resgate do ideário perdido. Ou seja, o projeto do senador pernambucano é valioso, mas seria mais eficaz caso fosse acompanhado de outros avanços.

TERCEIRIZAÇÃO

A Comissão de Trabalho, de Administração e Serviço Público da Câmara decidiu priorizar a pauta de questões emergentes e polêmicas, dentre elas a Terceirização de Serviços. O deputado Marquezelli, presidente da Comissão, criou a Sub-Comissão de Terceirização, cujo comando está sendo disputado pelos deputados Sandro Mabel (PR-GO) e Roberto Santiago (PV-SP). Sob sua missão, a tarefa de resgatar e discutir todos os projetos já encaminhados sobre o assunto, alguns até aprovados, mas paralisados por solicitação do Poder Executivo. Há projetos considerados interessantes para todos os segmentos envolvidos na questão - como o do ex-deputado Jair Meneghelli, relatado pelo deputado Sandro Mabel - e outros considerados defasados da realidade.

NA ORDEM DO DIA

Aliás, a Terceirização foi discutida, esta semana, em oportuno Seminário realizado na Fecomercio e patrocinado pelo Sindeprestem (Sindicato das Empresas de Prestação de Serviços a Terceiros). Almir Pazzianotto, advogado, ex-ministro do Trabalho e ex-presidente do TST, argumentou sobre a importância de se regular a área, tendo em vista a precariedade do Enunciado 331 do TST sobre a matéria. Drausio Rangel, especialista no campo da negociação, foi contundente na mesma direção. O prof. José Pastore mostrou como a terceirização contribui com a empregabilidade. O representante do Ministério Público, dr. Luis Fabiano, criticou a precarização do trabalho, atribuindo parcela de culpa a certas formas de terceirização. Já o delegado do Trabalho de São Paulo, Márcio Chaves Pires, com prudência, defende uma Terceirização embasada na relação de trabalho respeitosa, obediente aos princípios legais, justa e ética entre empregadores e empregados.

ACORDO EM SÃO BERNARDO

O PMDB de São Bernardo do Campo fechou acordo com o PSB, do prefeito William Dib. O partido, por meio de seu presidente no município, Tunico Vieira, passa a integrar a administração municipal. E o nome do candidato da aliança para o pleito de 2008 já foi definido : Maurício Soares. Que enfrentará o adversário, Luiz Marinho, pelo PT. Este é o quadro de hoje. Será o mesmo amanhã ?

TESTE DE TARSO

Tarso Genro inicia a gestão no Ministério da Justiça com um teste de fogo : a greve na Polícia Federal, que reivindica melhores salários. Os quadros da PF querem testar força de mobilização e, claro, a postura do novo ministro.

SEGURANÇA PÚBLICA, PRIORIDADE ABSOLUTA

As pesquisas atestam : o problema número um do Brasil é a insegurança social. O candidato que desfraldar a bandeira da Segurança Pública deverá balançar o coreto de todas as classes sociais.

DEM, QUE NOME, HEIN ?

Depois de ter namorado com a sigla PD (Partido Democrata), rejeitada por conta de uma fonética com cheiro ruim, o PFL decidiu optar pela sigla DEM, também para designar Democratas. Quem se esconde por trás do biombo da fonética, agora, é ele mesmo ... o capeta, o satanás, o diabo ou, como a palavra conota, o DEMônio.

ALFREDO (RE)NASCIMENTO

Pois não é que o senador Alfredo Nascimento (PR-AM) (re)nasceu ? Poucos acreditavam que conseguiria ressuscitar depois do bombardeio que recebeu das revistas e jornais na última semana. Nascimento, ex-ministro dos Transportes, foi atacado em diversos flancos, até com tiros com a marca de artilheiro de um "novo mensalão". Uma nota pública do PR procura desfazer as denúncias. Lula aceitou os argumentos de Nascimento, que, renascido, volta a ser ministro (imaginem) ... dos Transportes.

ENTRE MORTOS E FERIDOS ...

Amanhã, Renan Calheiros recebe em sua casa de presidente do Senado as bancadas peemedebistas na Câmara e no Senado. O cachimbo da paz selará a cordialidade entre alas adversárias. Entre mortos e feridos, todos foram salvos pela nau governamental.

JORNALISTAS NO PODER

Miguel Jorge é elevado ao altar do Ministério do Desenvolvimento. O jornalista chega ao primeiro escalão governamental. Trata-se de um profissional competente, com ampla experiência no campo da negociação e da articulação. Teve a gentileza de prefaciar, em 2002, meu livro "Tratado de Comunicação Organizacional e Política: Comunicação empresarial e pública; Marketing e Comunicação de governos estaduais, prefeituras e associações; Marketing político e eleitoral; Assessoria de Imprensa; Nome e Marca e Marketing Pessoal e estratégias de guerra". Franklin Martins é elevado ao altar do Ministério da Comunicação Social, mais um jornalista no primeiro escalão. Vamos ver como se comportarão como vidraças, depois das experiências como estilingue.

INTEGRAÇÃO DAS FORÇAS DE SEGURANÇA

O secretário de Segurança Pública do Estado de São Paulo, Ronaldo Augusto Bretas Marzagão, aposta na eficácia da integração dos efetivos policiais da região Sudeste. Montou, na Secretaria, uma Sala de Situação, cujo primeiro trabalho foi a ação integrada dos policiais civis na operação nacional que registrou a prisão de 2 mil pessoas.

GERALDO "PASSANDO ROUPA" ALCKMIN

Que marketing mais extravagante o de Geraldo Alckmin. Vira e mexe, a faceta de "lavador de roupa" do ex-governador é mostrada para realçar seus dotes. E dona Lu também não fica para trás. É uma exímia lavadora de roupa. O que os eleitores gostariam mesmo de saber é se Geraldo Alckmin aperfeiçoa seus conhecimentos de administração e aprimora sua visão da res publica, nos Estados Unidos, onde passa uma quarentena. Que os marqueteiros do casal inventem outras coisas para engabelar os eleitores. Ninguém agüenta mais saber os dotes domésticos-culinários da dupla.

E O APAGÃO SERÁ ACESO

O balão social cairá sobre o balão governamental. A CPI do Apagão Aéreo deverá ser criada. Se não for por decisão do STF, sairá no Senado. A oposição garante que já tem os 27 votos necessários para sua abertura.

____________

Atualizado em: 27/3/2007 16:44

COORDENAÇÃO

Gaudêncio Torquato, jornalista, consultor de marketing institucional e político, consultor de comunicação organizacional, doutor, livre-docente e professor titular da Universidade de São Paulo e diretor-presidente da GT Marketing e Comunicação.

Publicidade