segunda-feira, 30 de novembro de 2020

COLUNAS

Publicidade

Porandubas nº 107

quarta-feira, 1 de agosto de 2007

 

MAIS VAIAS NO PAN

As vaias voltaram ao Maracanã por ocasião do encerramento dos Jogos Pan-Americanos. Lula (que teve seu nome citado), Sérgio Cabral e César Maia repartiram apupos de parcela do estádio. Desfaz-se, assim, a onda de que as vaias na abertura dos Jogos teriam sido patrocinadas pelo prefeito. O recado é claro: quem quer tirar proveito de solenidades esportivas acaba caindo do cavalo. Por mais apoio dado ao evento por Suas Excelências - o presidente da República, o governador do Estado do RJ e o prefeito da cidade - estava claro que queriam, cada um, puxar a brasa para sua sardinha.

O VICE LIVROU-SE DE UMA

O vice-presidente da República, José de Alencar, cuja presença era anunciada no encerramento dos Jogos, escapou da vaia. Simplesmente, não apareceu.

FIDEL CHATEADO

Fidel Castro estaria chateado com seu amigão, Lula, porque este não mandou a Polícia Federal procurar e deter os quatros compatriotas - três jogadores e um treinador - que fugiram da Delegação cubana. Fidel imaginava tê-los de volta repatriados. Raciocinou: se fugiram, são imigrantes ilegais que merecem a expulsão. Até argumento contrário, vale a hipótese: a delegação recebeu ordem para antecipar a volta para o sábado por receio de Fidel de ver seus atletas fugindo em massa.

JOBIM COMO COMANDANTE

Nelson Jobim vestiu literalmente o capacete de comandante. Foi assim que visitou o Aeroporto de Congonhas. Botou na cabeça um capacete que lhe deu uma cara de chefe de tropa em plena arena de guerra. O gaúcho já tem postura marcial. Entra no figurino da autoridade que o país está a clamar. Por isso, é bom anotar: se o céu voltar a ser de brigadeiro, por obra e inspiração de Jobim, ele será um dos pré-candidatos fortes à presidência da República. Com ou sem apoio de Lula.

O ENTUSIASMO DO MINISTRO LUPI

Quem conversa com o ministro do Trabalho, Carlos Lupi, depara-se com uma montanha de entusiasmo. O ministro começa a desenvolver um projeto arrojado na área de empregabilidade dos jovens e aposta todas as fichas na revitalização do programa do Primeiro Emprego. No centro de suas preocupações está a expansão do emprego formal no país.

CIRO NO PMDB ?

Ciro Gomes tem mais uma alternativa: deixar o escasso PSB e migrar para o PMDB. Como assim ? É o que seu amigo, o ex-ministro e hoje deputado cearense Eunício Oliveira, pretende. Diz que está autorizado pela cúpula do partido para fazer a oferta. E Ciro Gomes, que só pensa naquilo, poderá, dessa forma, ver mais de perto a chance de postular, mais uma vez, a presidência da República. Em tempo: Ciro é um dos mais ferozes críticos ao pragmatismo peemedebista. O PMDB é o centro de suas críticas. Mas, como diz o manual, na política, tudo é possível.

A VOLTA DE RENAN

O hit das próximas semanas será a volta de Renan Calheiros ao palco político. O Pan acabou. A tragédia de Congonhas está no rescaldo. Renan reaparecerá em cena brandindo coragem. Continuará a dizer: daqui não saio, daqui ninguém me tira. A Polícia Federal dirá: as empresas que passaram recibo de compra de gado são fajutas. Ao que Calheiros refutará: que cobrem, então, da dona da empresa que intermediou a venda e lhe deu as notas fiscais. Se há calhorda na jogada, que seja punido. Dizem que a proprietária que compra os bois de Renan anda com um 38 reforçado. E que espera o momento adequado para jogar a manada de Renan no brejo.

A REFORMA SEM FORMA

Pois é, a reforma política ainda não entrou em forma. A questão empaca no sistema de voto. Há um grupo que prefere o voto distrital puro, pelo qual os deputados serão eleitos pelos distritos. Outra banda defende o sistema distrital misto, com dois votos, um para o candidato do partido no distrito, outro para candidatados em listas abertas. Há um grupo que defende o distritão-majoritário, pelo qual serão eleitos apenas os candidatos mais votados no Estado, abolindo-se, portanto, as proporções distribuídas aos partidos. E há os que defendem o financiamento público exclusivo de campanha, como há aqueles que pregam o financiamento misto.

NA DÚVIDA, CONSULTE-SE O POVO

No meio das divergências, há uma proposta que merece apreciação: que se consulte o povo por meio de plebiscito. A proposta é do deputado Miro Teixeira (PDT-RJ). O povo será o supremo juiz. A proposta é pertinente. O presidente do PMDB, deputado Michel Temer, está inclinado a aceitá-la. Se o PMDB encampar a idéia, é possível que ela consiga avançar.

A CARAPUÇA

O envolvimento cívico, liderado pela OAB/SP, conseguiu que o PT vestisse a carapuça. A reação do presidente do partido, Ricardo Berzoini, insinuando que o presidente da seccional paulista da Ordem dos Advogados do Brasil, Luiz Flávio Borges D'Urso, é direitista, merece entrar com tapete vermelho no Festival de Besteira que Assola o País (FEBEAPÁ). "Cansei", o nome do movimento, expressa a indignação não apenas das classes médias contra a desordem que impera no Brasil. A tragédia de Congonhas é o ápice da crise de autoridade.

POBREZA NÃO É SINÔNIMO DE CIDADANIA

Alguns críticos teimam em fazer patrulhamento contra tudo e todos que não lêem pela cartilha do PT. Para eles, a passeata contra o caos aéreo e o desgoverno é elitista. Queimam toda a história da OAB em favor do império do Direito, da Cidadania e da Democracia. Criticam o movimento por ter nascido no seio da classe média. Para eles, ser cidadão é morar nos bairros mais pobres, receber Bolsa-Família e votar em Lula. Merecem o prêmio "dinossauros do ano".

252% A MAIS ?

Os fingers do Aeroporto de Congonhas teriam sido superfaturados em 252%, quando comparados com os preços de mercado. Coisa a se apurar.

GASTOS COM ACIDENTES

O Brasil gasta, por ano, R$ 32 bilhões com acidentes, cerca de 4% do PIB. Coisa de país sem regras e ainda vivendo a barbárie.

RESORTS E CRUZEIROS

Cadeias bem sucedidas de Resorts comemoram a expansão de suas redes no Brasil. Há 150 novos empreendimentos apenas na região Nordeste. O grupo que dirige a ABIH vive se queixando junto às autoridades da concorrência feita pelos Cruzeiros Marítimos. Diz que a atividade não paga impostos no Brasil e não contrata brasileiros. A ABREMAR, que representa os Cruzeiros, exibe dados da última temporada: 12 navios que passaram pelo país pagaram o montante significativo de R$ 17.835.107,00 em impostos e 32,5% sobre o combustível utilizado - perfazendo a quantia de R$ 10.978.153,00; sobre o consumo a bordo, mais R$ 5.627.086. As comissões com agentes de viagem somaram a importância de R$ 45.140.882,00. Na área do trabalho, segundo cálculo da Fipe/USP, 14 mil empregos diretos e indiretos foram criados na temporada de 2005/2006, número elevado, nesta última temporada, para cerca de 24 mil.

CRISE DE GESTÃO

Resorts queixosos passam por grave crise de gestão. Mas o Breezes Costa, do Sauípe, administrado pelo grupo SuperClubs, comemora bom desempenho. O Resort registra no mês uma ocupação de 87%, média bem superior à observada na maioria dos hotéis do país no período, e prevê fechar julho com uma ocupação de 89%.

COMPUTADOR DESOBEDIENTE ?

Entre as hipóteses que cercam a tragédia de Congonhas, uma aponta para o computador que não teria obedecido à ordem do comandante. A questão: computador desobedece ou trava ? A matéria da revista Veja, que aponta erro do comandante do Airbus, ao esquecer de colocar o manete direito no espaço neutro, não analisou essa hipótese. Tem sentido a hipótese quando se considera a grande experiência dos homens que pilotavam o avião.

PRESIDENTE AÉREO

Pois é, Lula diz que, quando viaja de avião, entrega a alma a Deus. Como ele viaja para cima e para baixo dentro do Aerolula, a conclusão é inevitável: faz tempo que o presidente repousa nos braços do Senhor.

QUEM PATROCINOU ZUANAZZI ?

No primeiro momento, a mídia apontou a ministra Dilma Rousseff como a patrocinadora do presidente da Anac, Milton Zuanazzi. Agora, aponta Zuanazzi "dedando" a ministra para o presidente. Teria dito a Lula que Rousseff foi grosseira com ele. E agora ? Em quem acreditar ? Resta, porém, o ministro Walfrido dos Mares Guia, da Articulação Institucional, para defender seu ex-assessor, quando dirigia a Pasta do Turismo.

GIM ARGELLO

A próxima investida no Parlamento já tem um nome: Gim Argello (PTB-DF), que assumiu no lugar de Joaquim Roriz. Será difícil o novo senador sustentar a onda de denúncias que recai sobre seu perfil.

PAGOT PEGARÁ?

Antonio Pagot está sendo indicado pelo governador Blairo Maggi, do Mato Grosso, para assumir o DNIT, órgão que cuida da infra-estrutura dos transportes, mina cobiçada pelos políticos. Nesse momento, uma indicação política para uma função técnica funciona como um bumerangue. Se Lula encampar a idéia, afunda a imagem no lamaçal político.

O HOTEL DAS BAHAMAS

O hotel de 11 andares que a Prefeitura de São Paulo promete demolir, por atrapalhar a rota dos aviões que descem em Congonhas, pertence a Oscar Maroni, proprietário do Bahamas, famosa casa de garotas de programa, no bairro de Moema, ao lado do hotel. Pois bem, agora se sabe que a licença para a construção do hotel foi concedida durante a gestão da prefeita Marta Suplicy. A Internet puxa a pergunta: teria sido esse o motivo para o refrão que ficou pregado na imagem da ministra ?

_____________

Atualizado em: 1/8/2007 08:59

COORDENAÇÃO

Gaudêncio Torquato jornalista, consultor de marketing institucional e político, consultor de comunicação organizacional, doutor, livre-docente e professor titular da Universidade de São Paulo e diretor-presidente da GT Marketing e Comunicação.

Publicidade