quinta-feira, 22 de outubro de 2020

COLUNAS

Publicidade

Porandubas nº 153

quarta-feira, 30 de julho de 2008

COMEÇANDO A ESQUENTAR

As campanhas municipais ainda estão frias. Os candidatos lubrificam as armas. No Rio de Janeiro, o tom tem sido elevado por conta da proibição que as quadrilhas dos morros impõem à entrada de candidatos. Lá, o Estado informal ganha a queda de braço contra o Estado formal. Na maior metrópole do país, o tom se eleva com as primeiras escaramuças entre os candidatos. Marta Suplicy reagiu à lista suja dos candidatos - divulgada pela Associação dos Magistrados - e ataca o prefeito Kassab. Que aparece como candidato que mais polariza com a petista.

E POR FALAR EM CAMPANHA

E por falar em campanha eleitoral, é bom recordar as lições de Napoleão. Que dizia : faire som thème em deux façons (fazer as coisas de dois modos). O general William Sherman, que comandou a campanha de devastação durante a guerra da secessão norte-americana, também lembrava : "Ponha o inimigo nos cornos de um dilema." Nunca um político deve trabalhar com uma única hipótese. Um candidato precisa dispor de algumas alternativas.

FEDERAL VERSUS MUNICIPAL

Por mais que muitos candidatos queiram a presença do presidente Lula em suas campanhas, vale lembrar que o apoio de palanque só funciona em uma ou outra região. Em locais onde o assistencialismo lulista é forte, como em municípios pobres do Nordeste, a presença de Lula faz a diferença. Numa capital como São Paulo, que agrega 10 grandes cidades, essa presença se dilui no mar de problemas localizados. Cada região tem uma identidade, uma vocação e uma montanha de problemas. Portanto, Lula não terá tanta força para fazer com que Marta Suplicy ganhe no primeiro turno, como é intenção dos petistas. Lula perdeu na capital, em 2006, para Geraldo Alckmin. E a gigantesca cidade é o maior paredão anti-lulista do país. A conferir.

SE NÃO GANHAR...

Marta Suplicy só leva se ganhar no primeiro turno. Para tanto, precisa ter uma votação em torno de 45% dos votos, o que lhe possibilitaria mais de 50% dos votos válidos. Conseguirá ? Difícil, difícil. Seu teto bate num índice entre 36% a 38%. E, no segundo turno, a vitória petista será ainda mais complicada. Há uma rejeição impressionante contra dona Marta : 34%. São pessoas que garantem : nessa candidata, não voto de jeito nenhum. Mas, em política tudo é possível. Este escriba - com meses de antecedência - registra sua crença : no segundo turno, entre 0 a 10, a chance da ex-ministra está perto de 3.

KASSAB CORAJOSO

O prefeito Gilberto Kassab continua exibindo coragem. Impõe, agora, o rodízio de caminhões no centro expandido de São Paulo. O trânsito está, sim, melhorando. Vamos ver como o barulho das empresas de transporte de carga influenciará os ouvidos dos habitantes. Nessa querela, a tendência do cidadão é estabelecer a relação custo/benefício. Maior fluidez no trânsito, melhor.

O VOTO ANTIGO

Antigamente, forças do Exército eram mobilizadas para garantir a segurança dos eleitores nos municípios do interiorzão do Brasil, onde os velhos caciques manobravam a política. As alas conflituosas - a UDN contra o PSD - faziam das campanhas um ambiente de faroeste. Hoje, o faroeste chegou às cidades. A Justiça Eleitoral quer aceitar a força-tarefa da Força Nacional de Segurança para garantir eleições limpas no Rio de Janeiro. Oh, tempora ! Oh, mores !

CONTINHA SALGADA

Lula vai aumentar os salários de 350 mil servidores por Medida Provisória. A continha salgada que deixará ao sucessor será de R$ 32 bilhões. O nome do filme é : "aplainando o caminho da volta."

ODETE, PRIMEIRA PRESIDENTE

Primeira mulher a presidir o centenário Instituto dos Advogados de São Paulo (IASP), fundado em novembro de 1874, a advogada Maria Odete Duque Bertasi acaba de ser eleita (por aclamação) primeira presidente do Colégio de Presidentes dos Institutos dos Advogados sediados no Brasil, durante o IV Encontro de Presidentes de Institutos dos Advogados, em Salvador. Seu desafio : nacionalizar e unificar a discussão científica entre todos os Institutos de Advogados em torno de dois grandes temas - o Ensino Jurídico e a Valorização da Advocacia.

SERRA NO PORTO DE SANTOS

Amanhã, o secretário-adjunto da Secretaria dos Portos, José Roberto Serra, será referendado como presidente da Codesp (Porto de Santos). Trata-se de um técnico de alto nível. Com 24 anos de experiência na área portuária, possui mestrado em gestão de portos na Antuérpia (Bélgica) e na França. Há muita expectativa - positiva - sobre a missão que o aguarda.

EM FORTALEZA

Que estranho. Em Fortaleza, no Ceará, após 24 dias de campanha eleitoral, a candidata à reeleição, a prefeita Luizianne Lins (PT), só compareceu a dois eventos. Não escolheu, ainda, o nome do vice, posição ocupada interinamente pelo sindicalista Raimundo Ângelo. A campanha está sem gás. Em se tratando do Nordeste, o fato é esquisito.

VÃ FILOSOFIA

Esforço-me para saber cada vez menos e, para tanto, tenho de aprender cada vez mais.

SUN TZU

Candidatos, muita atenção : "Ainda que o inimigo seja mais forte em tropas, podemos impedi-lo de combater. Planeje de forma a descobrir seus planos e a sua probabilidade de sucesso. Provoque-o e descubra a base de seu pensamento e ação. Force-o a revelar seus pontos vulneráveis. Compare meticulosamente o exército adversário ao seu, de forma a saber onde a força é maior e onde é mais deficiente." É o velho Sun Tzu com seus conselhos.

JÔ, A MAIOR SURPRESA

A maior surpresa dessa eleição, por enquanto, é Jô Moraes, do PC do B, que lidera a campanha eleitoral em Belo Horizonte com 20% das intenções de voto. Marcio Lacerda, do PSB, apoiado pelo prefeito Fernando Pimentel e pelo governador Aécio Neves, está com 6%. Ambos - o tucano e o petista - dizem que Lacerda será o futuro prefeito. A conferir.

VALORIZAÇÃO DO REAL

Conta da era Lula : o Real teve uma valorização de 124,2% durante a gestão de Luiz Inácio nesses seis anos de presidência. É o dobro da valorização das moedas dos principais países latino-americanos.

MAQUIAVEL

Candidatos, atenção : "Um príncipe precisa usar bem a natureza do animal; deve escolher a raposa e o leão, porque o leão não tem defesa contra os laços, nem a raposa contra os lobos. Precisa, portanto, ser raposa para conhecer os laços e leão para aterrorizar os lobos." Conselho do velho Maquiavel. Que arremata : "não é necessário ter todas as qualidades, mas é indispensável parecer tê-las."

O QUE É TÁTICA ?

No futebol, quando o atacante joga a bola para trás, recuando-a para seu próprio campo de defesa, parece realizar um movimento covarde. Às vezes, é apupado. Muitos acham que a jogada não tem lógica. Mas essa bola recuada pode abrir espaços, deslocar o adversário, obrigá-lo a avançar de maneira descuidada e abrir a defesa. Pois bem, tal manobra pode gerar uma seqüência de ações que culminarão com um gol. Essa é uma operação também chamada de OP. O gol é uma operação OP, de caráter terminal. E é construído por jogadas intermediárias. A tática é ferramenta de vitória.

MST

Pequena foto do MST : 2 milhões de militantes e 1.800 escolas. Milhares de crianças, entre outras publicações, folheiam o Livro Vermelho de Mao. Quando Lula tomou posse, em 2003, havia 23 cursos universitários para assentados com 922 alunos matriculados. Hoje, são 3.649 alunos em 49 cursos. Frase destacada no centro do diploma dos formandos : "Contra a intolerância dos ricos, a intransigência dos pobres. Não se deixe cooptar. Não se deixe esmagar. Lutar sempre." Dinheiro para o MST não falta.

PRÉ-SAL

Breve, estará surgindo o novo marco legal para o petróleo, que levará em consideração a recente descoberta das reservas gigantes na camada de pré-sal no litoral brasileiro. A nova base se inspirará nas situações de países como Rússia, Venezuela, Estados Unidos e Noruega. Com esse sistema, o país pretende expandir o ciclo da auto-suficiência na área do óleo.

ESSE BNDES

Dizem que o BNDES é o Pronto-Socorro Central do governo. Sempre foi. Mas, ao que parece, hoje, as portas do banco salvacionista parecem cada vez mais travadas para os pequenos e escancaradas para os grandes. Empresários do setor sucro-alcooleiro jogam caminhões de cana, aliás, de pragas contra a morosidade na tramitação de processos do setor. O presidente Lula prometeu todo apoio às causas desse empresariado e o Banco chegou a criar linha de crédito específica. Mas os "eleitos", com direito a pão-de-ló, continuam sendo nomes como CVRD, a famosa Vale, e a OI. O BNDES mais parece um Robin Hood às avessas : tira dos pequenos para dar aos gigantes.

DOHA A QUEM DOER

Fracassou a Rodada Doha ? Países em desenvolvimento - que queriam maior abertura do setor agrícola dos países desenvolvidos - vão ter que arquivar muitos planos. E os ricos continuarão a sabotar os caminhos do progresso. E assim caminha a Humanidade...

PEQUENO CONTO

"Misia Sert dominava a arte de caçar moscas. Estudava pacientemente os modos destes animais até descobrir o ponto exato em que havia de introduzir a agulha para pregá-las sem que morressem. Exímia na arte de fazer colares de moscas vivas, entrava em frenesi com a celestial sensação do roçar das patinhas desesperadas em seu colo." Pequeno conto de Elias Canetti que nos dá idéia da dimensão das esquisitices humanas. E assim caminha a Humanidade...

A DEFESA DE TEMER

O deputado Michel Temer, professor de Direito Constitucional, garante à Coluna : o projeto que defende a inviolabilidade dos escritórios de advogados não é inconstitucional. Até porque o advogado, que é objeto de investigação, não terá direito àquela prerrogativa. Faz-se má leitura do projeto. O ministro da Justiça precisa ouvir a base argumentativa de Temer. Não pode emitir juízo de valor antes de ouvir todos os lados.

CONSELHO ÀS AUTORIDADES MONETÁRIAS

Esta Coluna dedica sua última nota a pequenos conselhos aos políticos, governantes e líderes nacionais. Na edição passada, o espaço foi destinado aos ministros que integram o Tribunal Superior Eleitoral. Hoje, volta sua atenção para as autoridades monetárias :

Diante do déficit externo de US$ 17,4 bilhões - o maior do primeiro semestre desde 1947 - tomar muitas precauções :

1. Identificar buracos e vazios na política monetária que podem e devem ser objeto de correção.

2. A desvalorização continuada do real significa lenha contínua na fogueira.

3. Dizem os especialistas que países com grau de investimento e o mesmo nível de risco do Brasil tendem a ter uma taxa real de juros mais baixa que a nossa, algo como 4,5% ao ano. A nossa é o dobro disso. Não é o caso de corrigir a anomalia ?

___________________

Atualizado em: 30/7/2008 07:30

COORDENAÇÃO

Gaudêncio Torquato, jornalista, consultor de marketing institucional e político, consultor de comunicação organizacional, doutor, livre-docente e professor titular da Universidade de São Paulo e diretor-presidente da GT Marketing e Comunicação.

Publicidade