sexta-feira, 30 de outubro de 2020

COLUNAS

Publicidade

Porandubas nº 194

quarta-feira, 1 de julho de 2009

Olá, leitores(as), comecem com um sorriso...

Interpelando ato vil

A historinha é conhecida e, por ser muito boa, merece um repeteco.

Rui Barbosa, o Águia de Haia, chegava em casa, à noitinha, quando ouviu um barulho vindo do quintal. Chegando lá, viu um ladrão tentando levar seus patos de criação. Aproximou-se vagarosamente do indivíduo e, surpreendendo-o, ao tentar pular o muro com seus amados patos, passou-lhe um pito :

- Oh, bucéfalo anacrônico! Não o interpelo pelo valor intrínseco dos bípedes palmípedes, mas sim pelo ato vil e sorrateiro de profanares o recôndito da minha habitação, levando meus ovíparos à sorrelfa e à socapa. Se fazes isso por necessidade, transijo; mas se é para zombares de minha elevada prosopopéia de cidadão digno e honrado, dar-te-ei com minha bengala fosfórica bem no alto da sua sinagoga, e o farei com tal ímpeto que te reduzirei à quinquagésima potência que o vulgo denomina nada.

E o ladrão, perplexo e confuso, com um fio de voz, perguntou :

- Doutor, eu levo ou deixo os patos ?

Lula fecha a roda

Quase todas as semanas, Lula fixa mais um eixo na roda eleitoral. Além da prorrogação da redução do IPI para a linha branca - eletrodomésticos e automotiva - o pacote de benefícios abrange materiais de construção civil e bens de capital. Ao lado do consumo, o governo quer incentivar os investimentos. Lula atinge o coração da classe média, depois de ter atirado em direção às massas : Luz para Todos, Minha Casa, Minha Vida, Pronaf (agricultura familiar), etc. Ao fundo, o PAC e o canteiro de obras. Em todos os lados, o palanque com Dilma. No centro, o gogó possante. Sob inflação dominada e animação dos economistas.

Segura essa onda, Serra

José Serra segurará essa onda ? Muitos dizem que sim. Outros dizem que não. Está muito longe de uma linha mais clara no horizonte. Uma coisa é certa : Dilma irá ao palanque faceira e, segundo os médicos, curada. Se chegar ao fim de ano com 25% de intenção de voto, poderá, em pouco tempo, se aproximar do índice de Serra. Serra é um candidato mais preparado, experiente e talhado para o cargo. Nem sempre, porém, os melhores ganham. As circunstâncias determinam os caminhos das derrotas e vitórias. O clima ambiental de 2010 - mais confortável, menos confortável, mais estável, menos estável - fará o presidente da República.

Segura Sarney, PT

Lula deu a ordem ao PT : segurem o Sarney, porque o governo precisa dele. Mas o PT dá impressão de que refuga a ideia. Associa-se à onda oposicionista que se espraia pelos corredores do Senado. Ao fundo, uma vingança de Tião Viana, sobre o qual passou o rolo compressor de Renan/Sarney. Vamos ver até onde a ordem de Lula será cumprida.

Segura Ciro, PT

Ao que se sabe, outra ordem de Lula teria sido dirigida ao PT paulista. Nesse caso, para acolher o nome de Ciro Gomes e sua candidatura ao governo de São Paulo. Ciro, por sua vez, deve examinar pesquisas e tendências. Mas o PT paulista não tem intenção de seguir a ordem de Lula. Dos 16 deputados estaduais, 15 manifestam intenção de jogar na roda da candidatura petista ao governo o nome de Emídio de Souza, prefeito de Osasco. A conferir se a ordem de Lula será cumprida.

Ciro e as tendências

Não será fácil a Ciro Gomes embarcar numa candidatura ao governo de São Paulo sem ter feito, por aqui, vida política. Ele é paulista de Pindamonhangaba. Poderá alegar isso. Mas, convenhamos, uma candidatura em São Paulo de alguém com vida pública no Ceará é um risco muito grande. Seria criticado pelo oportunismo. Ademais, Ciro coleciona uma série de impressões negativas sobre o poderio paulista. A arrumação desse acervo acertaria bem no coração da eventual candidatura. O eleitor paulista é racional, mas não despreza a emoção, caso seja atingido por expressões negativas.

As cartas do jogo

"Um jogador pode ter boas cartas - bons projetos e operações - em um jogo de baralho, mas pode não saber jogar e perder o jogo para outro jogador que recebeu cartas inferiores mas tem uma melhor estratégia de jogo. A metáfora compara o projeto prescritivo do plano às cartas que o jogador possui. O plano tradicional limita-se a dizer : 'estas são as cartas com as quais devemos e precisamos jogar'. Mas é evidente que o plano não se pode limitar a isso ou seja, não se pode comprometer com uma proposta prescritiva sobre o que se deve fazer. É imprescindível que se explorem estratégias de jogo para que se descubra o máximo que pode ser feito com eficácia." (Carlos Matus, cientista político chileno)

150 anos de prisão

Com 71 anos, Bernard Madoff foi condenado a 150 anos de prisão. Morrerá na prisão, mesmo cumprindo menos de um terço. É hora de perguntar : por que tanta ambição em ganhar dinheiro ? Vale a pena alguém lutar para construir pirâmides de fortuna, se a curva do destino fica à espreita do afortunado ? Por que tanta ambição ?

Família Jackson e as contas

Michael Jackson teria uma dívida entre US$ 400 milhões a US$ 800 milhões, segundo se lê na imprensa. Teria um patrimônio entre US$ 1,5 bilhão a US$ 2 bilhões. O pai, que detestava, e a mãe, distante, só pensam naquilo : quanto é a grana, quanto é grana ? A guarda dos três filhos de Michael pela mãe será o guarda-chuva da fortuna. Argh... Quanto interesse pelo metal!

Itamar quer voltar

Itamar Franco quer voltar à lide. Entrou no PPS, o partido do ex-senador e ex-deputado Roberto Freire. Itamar expressa moral. Tem uma índole impermeável à baixa política. Pode ser candidato ao Senado, apoiado por Aécio Neves, em 2010. Seria uma volta mais que desejável para oxigenar a Câmara Alta nesse momento de ar contaminado.

CPI no espaço

A CPI da Petrobras está no espaço em compasso de espera para aterrissar. O PMDB, que tem a carta decisiva do jogo, adia a instalação da CPI. Ademais, o ambiente no Senado não comporta mais tumultos. A Casa está um pandemônio. O presidente Sarney mais parece um dândi na escuridão. Heráclito Fortes, que é um cracão, segura a peteca. Por que Sarney tende a ficar na presidência ?

Casa de ferreiro, espeto de pau

Nem sempre os santuários das leis e de sua fiscalização cumprem as sagradas funções. Pois bem, algumas empresas que prestam serviços à Delegacia Regional do Trabalho, em São Paulo, são relapsas no compromisso de pagar tributos e atender à pletora dos direitos sociais. Uma sugestão : colocar uma lupa sobre essas más prestadoras de serviços, apurar os ilícitos e punir os responsáveis.

Sarney desiste ?

É mais provável que Sarney permaneça na presidência do Senado. Primeiro, porque não pretende sair pela porta dos fundos. 50 anos de vida pública seriam jogados na lata do lixo. É o que ele pensa. Segundo, porque ninguém garante que, com sua saída, o calvário chegaria ao final. Terceiro, não há ninguém do PMDB que poderá substituí-lo. O primeiro vice, Marconi Perillo, assumiria, segundo o governo, a identidade de seu apelido, Marconi Perigo. Dizem que Lula o detesta, desde os tempos em que confessou ter avisado ao presidente sobre as articulações em torno do mensalão.

Hélio Costa, o nome ?

O único nome do PMDB em condições de assumir a presidência do senado sem grandes arranhões seria o de Hélio Costa, ministro das Comunicações. Razões : quer ser candidato ao governo de Minas em 2010. Disporia, assim, de um grande palanque para sua visibilidade. Seria bem visto por Lula. É do PMDB, o maior partido da Casa. Não tem ligação direta com o atual esquema de comando, como o ex-senador Edison Lobão, ministro das Minas e Energia, que é outro nome lembrado para ocupar o nome de seu patrocinador Sarney. Em suma, seria o perfil mais palatável do PMDB. Obstáculo : o próprio Sarney que não quer deixar a cadeira.

DEM pede saída

O DEM, até que enfim, decidiu também pedir a saída temporária de Sarney da presidência do Senado. Conduta condizente com um partido de oposição. Se fizesse escudo ao presidente da Casa cairia na desconfiança social. A novela continuará.

Centrais avançam

A cada semana, as Centrais Sindicais avançam em sua meta de fazer do país uma República Sindicalista. As conquistas se multiplicam na esteira de favorecimentos, vantagens, pacotes de bondades e muita grana. Mais de R$ 100 milhões foram distribuídos, este ano, às Centrais. Esta semana, mais uma conquista poderá ser alcançada : aprovação da redução de 44 horas semanais de trabalho para 40 horas, aumento da hora extra para 75% sobre o valor da hora normal. Hoje, a hora extra atinge 50% do valor da hora normal. As Centrais já estão no paraíso.

Serra e Lula fechados ?

Este colunista já colocou essa versão no ar. Lula e Serra estariam fechadíssimos. Como assim ? Ambos teriam combinado um pacto por reforço recíproco de seus partidos. Uma espécie de rodízio. Você e eu, eu e você. PT e PSDB poderiam se revezar e "matar" outros partidos, com exceção do PMDB, partido considerado pragmático e que funcionaria como peso decisivo na balança. O alvo principal é o DEM, condenado à morte. Por este pacto, Dilma serviria aos objetivos de Serra e vice-versa, este seria o melhor candidato da oposição.

Quanto amor próprio !

"Um maltrapilho dos arredores de Madrid pedia esmolas com grande dignidade. Um transeunte lhe disse : 'Não tem vergonha de exercer essa infame-atividade quando pode trabalhar ?' 'Senhor', respondeu o mendigo, 'peço-lhe esmola e não conselhos'; e tendo dito isto, deu-lhe as costas, com toda a empáfia castelhana. Era um mendigo orgulhoso esse; pouca coisa bastava para ferir-lhe a vaidade. Por amor de si mesmo pedia esmola; e ainda por amor de si mesmo não permitia que lhe fizessem qualquer reprimenda." (André Maurois)

Mistérios

Há coisas que não podem e não devem ser ditas. Coisas que povoam o mundo de Maquiavel. Coisas que podem ser apenas objeto de especulação. Coisas confessáveis apenas em bastidores muito reservados.

Consenso no 4302

A terceirização de serviços clama por regulação. O tema está exaurido em termos de análises, debates, intercâmbio de pontos de vista. Amanhã, quinta-feira, um grupo expressivo de dirigentes de entidades será recebido pelo presidente da CNI, deputado Armando Monteiro, para uma tentativa de se chegar a um denominador comum. A polêmica gira em torno dos dispositivos : responsabilidade solidária versus responsabilidade subsidiária. CNI e sindicatos de serviços terceirizados querem chegar a um consenso. O projeto em tela é o 4302/98.

Segurando a demissão

Enquanto a Anatel e a Telefônica não se acertam sobre a decisão de suspender a venda da banda larga Speedy, a corda está a um fio de arrebentar para o lado das empresas e dos trabalhadores que instalam e mantêm o serviço. As prestadoras de serviços por enquanto seguram a demissão de milhares de funcionários. Mas o Sinstal, o sindicato das prestadoras, nem o Sintetel, que representa os trabalhadores, arriscam prever o que virá pela frente se não houver um acordo rápido entre a Agência do governo e a empresa de telefonia.

Cadê o governo ?

Vivien Suruagy, empresária e presidente do Sinstal, lembra que, em outras circunstâncias - incidentes envolvendo grandes empreendimentos - o governo não paralisou obras, garantindo, assim, a tranquilidade e o trabalho dos contingentes empregados. Por que, agora, age diferente, deixando intranquilos milhares de famílias ?

Crise e CPI

Alguns senadores perceberam que há interesse de setores em esticar a crise no Senado. Motivo : construir um escudo contra a CPI da Petrobras. Há, sim, fundamento na desconfiança. Maquiavelismo puro.

O preço da morte

"O beato Alcuíno, estando em disputa com Papino, filho do Imperador Carlos Magno, perguntado que coisa era morte, a definiu, dizendo que era o ladrão do homem; Mors est latro hominis. Os ladrões ora levam o dinheiro, ora a joia, ora o vestido etc. O que a morte leva é o homem." (Padre Manoel Bernardes)

Conselho aos senadores

Esta coluna dedica sua última nota a pequenos conselhos a políticos, governantes e líderes nacionais. Na edição passada, o espaço foi destinado ao presidente do Senado, José Sarney. Hoje, volta sua atenção ao corpo de senadores :

1. Procurem uma urgente saída/solução para a crise que assola o Senado.

2. Se a saída do presidente Sarney da presidência é inexequível, urge pensar em medidas drásticas - enxugamento da estrutura e plena transparência.

3. Qual seja a alternativa, a Câmara Alta precisa organizar uma urgente agenda positiva - densa pauta de votações.

____________

Atualizado em: 30/6/2009 16:14

COORDENAÇÃO

Gaudêncio Torquato, jornalista, consultor de marketing institucional e político, consultor de comunicação organizacional, doutor, livre-docente e professor titular da Universidade de São Paulo e diretor-presidente da GT Marketing e Comunicação.

Publicidade