quarta-feira, 2 de dezembro de 2020

COLUNAS

Publicidade

Porandubas nº 195

quarta-feira, 15 de julho de 2009

No palanque

A mistificação é uma arma do palanque. Na campanha de 60, nos EUA, Barry Goldwater, governador do Alabama, queria passar a ideia de pessoa séria, um intelectual. Muito conservador, candidato à presidência, usava um palanque alto, cercado por uma proteção de vidros à prova de bala, para evitar atentados. Usava uma armação de óculos para passar a ideia de pessoa compenetrada. Um dia, em um comício, esqueceu que a armação não tinha lente. Colocou o dedo no olho para tirar um cisco. Mas enfiou o dedo pelo buraco da armação. Nesse momento, um fotógrafo flagrou a mentira. Dia seguinte, a manchete denunciava : "EIS O GRANDE MENTIROSO". O impacto negativo tirou-o do pleito. Começou aí a jornada do despenhadeiro político.

15 anos de Real

O governo Lula não é de passar recibo. Os 15 anos do Plano Real passaram em branco na agenda do governo. Os tucanos rememoram o feito com festa e loas. FHC abriu o bico. Ministros do Plano Real comemoraram a data. O lulismo calou-se. A economia é estável ? Governo Lula. A inflação está controlada ? Governo Lula. O mandatário, de Paris, fez a festança. Recebeu um Prêmio internacional. Na Itália, brindou com Obama, a quem ofertou camisa da seleção brasileira. Lula se encontra em estado de encantamento.

Serra abre o olho

José Serra, dizem as boas línguas, já não pensa exclusivamente na cadeira do Planalto Central. A cadeira do Planalto Paulista, com seu lema - "Pro Brasília, fiant eximia" -, pode muito bem satisfazer ao seu gosto. Pois Serra examina as pesquisas, avalia as possibilidades, faz inserções no mundo das projeções, tudo para chegar ao dilema - o que é melhor : um pássaro na mão ou dois voando ? Se a reeleição lhe parecer confortável, poderá desistir da candidatura presidencial. Aqui pra nós, Serra em São Paulo não teria adversário à altura. Ao invés de subir, o candidato petista desceria a serra.

Aécio abre os braços

Pois não é que Aécio Neves, nos últimos dias, passou a se movimentar com mais liberdade e a abrir os braços a torto e a direito ? Já não faz tanta questão de defender prévias partidárias. Teria chegado, juntamente com Serra, à conclusão de que aquele em melhores condições ganhará a vaga. Dúvidas passaram a frequentar as cabeças tucanas : Serra bateu no teto da intenção de voto, 47%. Sustentaria esse índice ? O ambiente macroeconômico, que favorece Dilma, não agiria como rolo compressor contra sua candidatura ? Enquanto o espaço fica cheio de interrogações, Aécio corre, abraça, convoca, fala. Está mais cordial.

E Ciro malufou ?

Sabe-se que Ciro Gomes conversou, recentemente, com o deputado Paulo Maluf, que domina um território eleitoral com cerca de 10% de intenção de voto. Ciro se apresenta como vestal. Atira para cima, para baixo e para os lados. Parece contrafeito com tudo e todos. Nada lhe apetece. Poucos merecem elogios. Ciro faz questão de dizer que lutará contra Serra aqui e alhures. Para derrotar esse tucano de bico longo, entrará no inferno, ou seja, alia-se a Paulo Maluf. Por isso, pensa em ser candidato ao governo de São Paulo. Com o apoio da direita mais retrógrada. Minha sábia mãe, de 92 anos, sempre me lembra : "meu filho, nunca diga - desta água não beberei". Mesmo que a água seja a mais suja do poço mais imundo.

Ciraaventura

Pois bem, Ciro Gomes sobe, hoje, a um patamar entre 10% a 12% de intenção de votos em São Paulo. A última pesquisa Ibope lhe dá uma taxa, que é praticamente a mesma que ostenta nas pesquisas nacionais para a presidência da República. As médias de Ciro não são suficientes para amedrontar ninguém. Podem atrapalhar decisões de primeiro turno. Em São Paulo, por exemplo, Ciro Gomes não tem chances de se eleger governador. Nunca fez política por estas plagas. Pode apenas dizer que é de Pindamonhangaba. Ciro quer atazanar a vida dos tucanos. Apenas isso.

Lulismo sarneyco

O lulismo é um agregado político que junta no mesmo saco pragmatismo, conservadorismo, fisiologismo, descompromisso com ideologias e doutrinas. O símbolo do lulismo é a caricatura dos três macaquinhos com seus gestos : não vi, não ouvi, não falei. Lula forma o escudo de Sarney pensando em 2010. Sarney adere mais ainda ao presidente pensando na continuidade do Grande Maranhão. Lula encabrestou o PT. Que não sabe para onde caminhar.

A expressão mercadântica

O senador Mercadante está tonto de explicar a enroscada em que se meteu com a famosa peroração em que defendeu a necessidade de ir e ficar, de ser e não ser, de correr para frente e para trás. Em seu discurso no Senado insinuou coisas ruins na corte de Sarney. Acabou defendendo coisas boas na corte de Sarney. Foi a mais dúbia peça de oratória que este escriba teve oportunidade de ouvir nestes tempos verborrágicos. Ao final da oração, dois senadores pediram aparte para condenar Sarney : Tião Viana e Marina Silva. Depois, outros vieram em socorro do presidente do Senado. Tanto a uns como a outros, Mercadante agradeceu comovidamente pela contribuição. Mais uma vez, foi atacante e defensor.

Alencar, um conceito de vida

O vice-presidente José Alencar é exemplo de homem destemido e tenaz. Sai, mais uma vez, do hospital esbanjando otimismo. A ele, os calorosos aplausos deste escriba pela maneira com que administra - com inteiro domínio - seus problemas de saúde. Alencar é um exemplo do ser humano que não se abate ante as intempéries da vida. No meu dicionário, Alencar significa A de alento, L de luta, E de energia, N de nobreza de espírito, C de coragem, A de autoridade e R de resistência.

Os néscios

"Não admira que os néscios se julguem muito sabedores, eles que têm a vantagem de desconhecer que ignoram". (Marques de Maricá)

Curriculum Erraticus

No Brasil, as curvas nas trajetórias dos curricula (plural de curriculum) são muito comuns. Jeitinho brasileiro, malandragem tupiniquim. Até aí tudo bem. Quando os atalhos ou avanços, porém, ocorrem nos caminhos dos homens (conceito genérico) públicos, certos cuidados devem ser tomados. A ministra Dilma Rousseff teve sua trajetória curricular alterada. Não pegou bem. Uma chuva de críticas caiu sobre sua imagem. A ministra veio a público se desculpar. Este escriba atribui os exageros ao núcleo de áulicos que devem cercar a ministra. Ninguém de bom senso - ocupando cargos públicos - se daria ao exagero de alterar dados e informações de sua vida. Na vida universitária, onde este escriba passou quase três décadas, isso seria uma heresia e um crime inominável.

Orlando Silva, revelação

O ministro Orlando Silva, dos Esportes, é uma revelação do governo Lula. Irradia simpatia, gentileza e educação no trato com as pessoas. Comanda com competência a preparação do Brasil para a Copa de 2014. Ouve a todos, corre o país, toma providências. Sua preocupação central é implementar as tarefas estratégicas apontadas pela Política Nacional de Esporte, entre as quais : ajustar o Sistema Nacional de Esporte, fixando melhor as atribuições de cada um dos agentes que atuam na área esportiva; ampliar a infra-estrutura esportiva nacional; capacitar melhor os recursos humanos que educam e orientam as atividades físicas e estabelecer vínculos efetivos entre esporte e educação, garantindo acesso a conhecimento e experiências de caráter lúdico, educativo, além de permitir a iniciação e a formação esportiva em escolas e universidades.

Internet censurada

Nos Estados Unidos, onde a liberdade ganha espaço igual ao conceito, o uso da Internet em campanha política é irrestrito. Aqui, a Câmara acaba de aprovar o uso da tecnologia eletrônica em campanha política. Uma exagerada dose de censura castigará internautas. Tudo porque a Internet passou a ser um meio igual às mídias rádio e TV, que são concessões do Estado. Ou seja, a intenção foi boa, o resultado, não tanto. Criaram um monstrengo. Assim é a cara do Brasil.

Teste de resistência

José Sarney aguentará chegar à última estação do Calvário ? Lá, Cristo foi crucificado. Agora, a estação de Sarney é a Fundação que leva seu nome e recursos de empresas estatais. Escrevi, neste último domingo, meu artigo no Estadão : A Galinha de Esopo. Gorda, comendo muito cevada, deixou de botar o ovo cotidiano. A viúva proprietária não se conformava com apenas um ovo. Encheu a bichinha de gordura. Perdeu a cota diária. Quem muito quer, muito perde. Eis a grande lição de Esopo. Atenção, ambiciosos, tenham cuidado com a gordura de suas fortunas.

Os infelizes

"Três sortes de pessoas são infelizes na Lei de Deus : o que não sabe e não pergunta; o que sabe e não ensina; o que ensina e não faz". (Padre Bernardes)

RR em mira

O governo de RR queria comprar terras de Romero Jucá, o senador. Desistiu depois de insinuação de que esta compra poderia ensejar forte bateria de denúncias. As terras não seriam propriamente adequadas para efeito de construção de conjuntos habitacionais etc. Ademais, o governador José Anchieta, logo após o recesso, estará na mira do STF. As apostas estão no ar : 60% na condenação do governador; 40% na absolvição. Resultado imprevisível, até porque os juízes não tomam decisões precipitadas.

Kassab sobe

O prefeito Gilberto Kassab, depois de fazer subir sua avaliação junto ao andar de baixo da pirâmide, é a boa surpresa da mais recente pesquisa feita pelo Ibope. No cenário, com a opção da pergunta espontânea, aparece em terceiro lugar para o governo do Estado, depois de Geraldo Alckmin e José Serra. Num dos cenários, com pergunta estimulada, aparece em primeiro lugar, desbancando Paulo Maluf e outros nomes, inclusive Marta Suplicy, do PT. Kassab é a novidade da nova estampa política em São Paulo. Alckmin não é o candidato in pectore de José Serra. Logo, Kassab poderá ganhar tal condição. E Aloysio Nunes Ferreira ? Para esta questão, os dados : Aloysio, de tão escondido, tem comprometida sua condição. Não passa de 4% de intenção de votos. Como chefe da Casa Civil, deveria ter maior visibilidade.

Um nome de respeito

Rubens Approbato Machado ! Este escriba torce por sua recuperação. E que volte logo a animar a praça cívica da Advocacia.

E que a deusa da Justiça

E que a venda sobre os olhos da Deusa da Justiça seja um símbolo de inspiração aos nossos juízes. Que devem fazer Justiça olhando para as carências da Humanidade, para as lágrimas dos aflitos, para o senso do dever, com a estrita obediência ao espírito das leis, em favor dos injustiçados, contra a ganância dos impérios e o domínio dos opressores ! Como fariam Bem à Humanidade os juízes que, apesar da montanha de papéis sobre suas mesas, dominassem o conteúdo dos recursos, entendessem na plenitude os pleitos dos litigantes e usassem os pesos da balança da Justiça para perpetuar sobre este sofrido planeta o Ideário da Grandeza Humana.

Conselho ao governador Serra

Esta coluna dedica sua última nota a pequenos conselhos a políticos, governantes e líderes nacionais. Na edição passada, o espaço foi destinado aos senadores. Hoje, volta sua atenção ao governador Serra :

1. Dê sinais mais claros de sua disposição em ser o candidato tucano à presidência da República.

2. Caso contrário, anime o tucano mineiro Aécio Neves.

3. O tucanato perde tempo quando a campanha petista está nas ruas e nos palanques. Dona Dilma chegará aos 30% até o final do ano.

Atualizado em: 15/7/2009 07:36

COORDENAÇÃO

Gaudêncio Torquato jornalista, consultor de marketing institucional e político, consultor de comunicação organizacional, doutor, livre-docente e professor titular da Universidade de São Paulo e diretor-presidente da GT Marketing e Comunicação.

Publicidade