terça-feira, 27 de outubro de 2020

MIGALHAS DE PESO

Publicidade

Improbidade Administrativa

Rogério Medeiros Garcia de Lima

A convivência com a corrupção é imemorial em nosso País. Trata-se de prática ancestral e incontida. O Estado brasileiro ainda é patrimônio das elites econômicas e políticas, como percucientemente registrou Maria Victória de Mesquita Benevides (1996:26)

quinta-feira, 3 de março de 2005

 

"Os ladrões e a ladroagem associados à política me provocam náuseas. Essa é uma fraqueza humana com a qual não sou tolerante. Roubar, estando no governo, num país pobre, onde a democracia ainda é um bebê de fraldas, sempre me pareceu uma agravante do delito. Nada desprestigia mais, nada contribui mais para a derrocada da democracia do que a corrupção" (Mario Vargas Llosa,1994:169).


Improbidade Administrativa


Rogério Medeiros Garcia de Lima*

I - INTRODUÇÃO



A convivência com a corrupção é imemorial em nosso País. Trata-se de prática ancestral e incontida. O Estado brasileiro ainda é patrimônio das elites econômicas e políticas, como percucientemente registrou Maria Victória de Mesquita Benevides (1996:26):


"A maior parte dos analistas contemporâneos enfatiza os entraves - políticos, culturais - à consolidação de instituições representativas estáveis e razoavelmente democráticas. A tese clássica de Raymundo Faoro sobre a privatização exacerbada do poder político - o Estado patrimonial, a conciliação e a cooptação, 'os donos do poder' - assim como o ceticismo de Sérgio Buarque de Holanda - 'a democracia no Brasil sempre foi um lamentável mal-entendido' - permanecem referências fundamentais. Para Faoro, o nó da questão é, justamente, a constatação de que, em última instância, a soberania popular não existe senão como farsa, escamoteação ou engodo (...). O poder, a soberania nominalmente popular, tem donos que não emanam da Nação, da sociedade, da plebe ignara e pobre. O chefe não é um delegado, mas um gestor de negócios, gestor de negócios e não mandatário".

____________

____________

*Juiz da 2ª Vara de Sucessões e Ausência de Belo Horizonte. Doutor em Direito Administrativo pela UFMG. Professor do Centro Universitário Newton Paiva e da Escola Judicial Desembargador Edésio Fernades/Tribunal de Justiça-MG. Membro efetivo do Instituto dos Advogados de Minas Gerais - IAMG







___________

Atualizado em: 3/3/2005 08:09

AUTORES MIGALHAS

Busque pelo nome ou parte do nome do autor para encontrar publicações no Portal Migalhas.

Busca

AUTORES MIGALHAS VIP

Almir Pazzianotto Pinto

Migalheiro desde 2003

Júlio César Bueno

Migalheiro desde 2004

Stanley Martins Frasão

Migalheiro desde 2002

Celso Cintra Mori

Migalheiro desde 2005

Marco Aurélio Mello

Migalheiro desde 2014

Luís Roberto Barroso

Migalheiro desde 2003

Teresa Arruda Alvim

Migalheira desde 2006

Gustavo Binenbojm

Migalheiro desde 2005

Maria Berenice Dias

Migalheira desde 2002

Gilberto Giusti

Migalheiro desde 2003

Publicidade