terça-feira, 20 de outubro de 2020

MIGALHAS DE PESO

Publicidade

Preenchimento de cotas de deficientes

Karla Roberta Bernardo

Louvável. Sim, é assim que podemos designar mais uma sentença prolatada por um dos Juízes do Trabalho em relação ao preenchimento de cotas de deficientes pelas empresas.

terça-feira, 13 de julho de 2010


Preenchimento de cotas de deficientes

Karla Roberta Bernardo*

Louvável. Sim, é assim que podemos designar mais uma sentença prolatada por um dos juízes do Trabalho em relação ao preenchimento de cotas de deficientes pelas empresas.

O juiz da 70ª vara do Trabalho de São Paulo cancelou uma autuação de R$ 38 mil a uma empresa de telecomunicações por não cumprir a cota de 4% dos portadores de deficiência em seu quadro. A Justiça levou em consideração a dificuldade em encontrar portadores no mercado em número suficiente para preencher a cota, reconhecendo os esforços apresentados pela empresa no processo.

Embora esta obrigação legal esteja estabelecida desde meados de 2000 pela lei 10.098/00 (clique aqui) e pelo decreto 3.298/99 (clique aqui), obrigando empresas com mais de 100 empregados a destinar parte de suas vagas para trabalhadores com alguma deficiência muitas ainda não conseguiram cumprir a lei.

Apesar do grande número de pessoas que poderia ocupar essas vagas, as empresas encontram muitas dificuldades na hora de contratar. Um dos primeiros entraves seria a concessão da pensão mensal a todos os deficientes estipulada pela lei Orgânica de Assistência Social. As pessoas que recebem o benefício preferem complementar a renda com atividades informais a procurar um trabalho com registro em carteira e pequenos salários, já que assim perdem o direito à pensão. Outro a seguir, seria a dificuldade em encontrar deficientes capacitados e especializados para ocupar as vagas disponíveis no mercado. Além disso, não podemos deixar de identificar um grave problema nas cidades brasileiras, qual seja, a ausência de políticas públicas para a implementação de uma infra-estrutura urbana que respeite os portadores de deficiência física, não exacerbando as suas limitações inerentes, impedindo-os de se deslocar com independência e dignidade. Ainda há a prevalência do passado. E o mais grave. Os deficientes defrontam-se com os preconceitos e discriminações existentes até então. São excluídos, pela própria família, pelo ensino com qualidade e participação social plena.

Nesse contexto, vencer estes desafios é uma das principais metas estabelecidas pelas empresas sérias. Tanto que vemos muitas assumindo o papel do Estado, quando qualificam a mão de obra, assumindo os seus custos, encontram, treinam estas pessoas com alguma limitação sensorial ou mental para o convivio social, treinam os chamados "normais" para receberem estes "especiais", preparam os locais de trabalho e literalmente atuam na integração social.

E este reconhecimento por parte do Judiciário, do Ministério Público do Trabalho, da Superintendência do Trabalho, de posturas empresariais que atuam para que a problemática da deficiência deixe de acompanhar a humanidade através de sua evolução e que a força física não mais prevaleça e tenha o condão de estabelecer a condição de vencedor e de perdedor é primordial para os avanços deste país.

Deficiência (de Mário Quintana)

"Deficiente é aquele que não consegue modificar sua vida,... aceitando as imposições de outras pessoas ou da sociedade em que vive, sem ter consciência de que é dono do seu destino.

Louco é quem não procura ser feliz com o que possui.

Cego é aquele que não vê seu próximo morrer de frio, de fome, de miséria,... e só tem olhos para seus míseros problemas e pequenas dores.

Surdo é aquele que não tem tempo de ouvir um desabafo de um amigo,... ou o apelo de um irmão, pois está sempre apressado para o trabalho e quer garantir seus tostões no fim do mês.

Mudo é aquele que não consegue falar o que sente... e se esconde por trás da máscara da hipocrisia.

Paralítico é quem não consegue andar na direção daqueles que precisam de sua ajuda.

Diabético é quem não consegue ser doce.

Anão é quem não sabe deixar o amor crescer.

E, finalmente, a pior das deficiências é ser miserável, pois: miseráveis são todos que não conseguem falar com Deus. A amizade é um amor que nunca morre."

________________

*Sócia do escritório Piazzeta e Boeira Advocacia Empresarial

_______________

Atualizado em: 12/7/2010 09:24

AUTORES MIGALHAS

Busque pelo nome ou parte do nome do autor para encontrar publicações no Portal Migalhas.

Busca

É Autor Migalhas? Faça seu login aqui

AUTORES MIGALHAS

Maria Falcão de Andrade

Migalheira desde 2004

Renata Belmonte

Migalheira desde 2019

Guilherme Borba Vianna

Migalheiro desde 2007

Mauro Argachoff

Migalheiro desde 2019

Rafael Monteiro Barreto

Migalheiro desde 2005

Márcia Glomb

Migalheira desde 2020

William Fernandes Chaves

Migalheiro desde 2018

Victor Sandoval Mattar

Migalheiro desde 2014

Renata Macedo Rangel

Migalheira desde 2020

Publicidade