sábado, 31 de outubro de 2020

MIGALHAS DE PESO

Publicidade

Base de dados sob a guarda Governo Federal. A responsabilidade legal pelo vazamento do Enem

Ana Amelia Menna Barreto

A violação e compartilhamento indevidos das informações constantes das bases de dados sob controle do Poder Executivo Federal, tem se tornado uma preocupação constante no que se refere à responsabilidade do Poder Executivo Federal pela guarda das informações que lhe são confiadas.

quinta-feira, 12 de agosto de 2010


Base de dados sob a guarda Governo Federal. A responsabilidade legal pelo vazamento do Enem

Ana Amelia Menna Barreto*

A violação e compartilhamento indevidos das informações constantes das bases de dados sob controle do Poder Executivo Federal, tem se tornado uma preocupação constante no que se refere à responsabilidade do Poder Executivo Federal pela guarda das informações que lhe são confiadas.

O anunciado vazamento de dados pessoais identificáveis dos inscritos no Enem expõe a fragilidade da Política de Informação implantada na esfera pública e demonstra que o modelo de segurança adotado pelo Governo não alcança um adequado nível de proteção de dados.

A Política de Segurança da Informação nos órgãos e entidades da Administração Pública Federal, instituída pelo Decreto 3.505/00 (clique aqui), tem por objetivo assegurar a garantia ao direito individual e coletivo das pessoas, a confidencialidade e a devida proteção da informação sob sua guarda, de assuntos de interesse do cidadão e à inviolabilidade da sua intimidade e privacidade. Tem como pressupostos básicos assegurar a proteção de assuntos que mereçam tratamento especial, destacando a importância das informações processadas e sobre o risco da sua vulnerabilidade.

A Política de Segurança da Informação é atribuição da Secretaria-Executiva do Conselho de Defesa Nacional, órgão vinculado ao Gabinete de Segurança Institucional da Presidência da República. Recebe assessoramento do Comitê Gestor da Segurança da Informação e conta com apoio técnico e operacional da Câmara Técnica de Segurança da Tecnologia da Informação.

Por outro lado, a SLTI - Secretaria de Logística e Tecnologia da Informação - vinculada ao Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão - exerce importante papel na implementação da PSIPE, uma vez que detém a competência de coordenar as atividades do Sistema de Administração de Recursos de Informação e Informática, no âmbito da Administração Pública Federal.

Como admitido pela SLTI as ameaças à segurança da informação se localizam nas vulnerabilidades existentes nos ambientes onde a informação é processada, armazenada ou transmitida e as ameaças externas e internas à segurança da informação

Infelizmente o Brasil não dispõe de legislação no que tange a responsabilização legal pelo tratamento da informação e o direito de reparação por eventual prejuízo sofrido. A União Europeia editou Diretivas que cuidam especificamente da proteção liberdades e direitos fundamentais das pessoas singulares e do tratamento dispensado aos dados pessoais e proteção da privacidade no setor das comunicações eletrônicas, prevendo a responsabilização pelo responsável pelo tratamento da informação e o direito de reparação pelo prejuízo sofrido.

Tais episódios de violação de garantias individuais são intoleráveis, cabendo ao cidadão atingido buscar a defesa de seu direito de controle da circulação de seus dados pessoais, assim como a responsabilização legal do detentor da guarda de seus registros.

O titular dos dados de sua identidade em meio digital deve procurar a proteção de sua esfera íntima, exercitando seu direito de defesa contra eventual uso indevido de seus registros pessoais e

A pessoa diretamente interessada deve buscar a confirmação do compartilhamento público de suas informações pessoais junto ao INPE - Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais, na qualidade de detentor das informações da base de dados violada.

Em ocorrendo omissão ou resistência do órgão em fornecer a informação solicitada, pode-se buscar abrigo no remédio constitucional do habeas data que assegura o conhecimento de informações relativas à sua pessoa, constantes de bancos de dados de entidades governamentais ou de caráter público.

O exercício do direito de controle das informações pessoais constantes em sistemas informatizados é um direito constitucional de caráter personalíssimo que necessita ser exercido, sob pena de se instalar um autoritarismo digital.

_______________

*Presidente da Comissão de Direito e Tecnologia da Informação da OAB/RJ - Ordem dos Advogados do Brasil, Seção Rio de Janeiro

_______________

Atualizado em: 11/8/2010 10:55

AUTORES MIGALHAS

Busque pelo nome ou parte do nome do autor para encontrar publicações no Portal Migalhas.

Busca

AUTORES MIGALHAS VIP

Flávia Pereira Ribeiro

Migalheira desde 2019

Ricardo Penteado

Migalheiro desde 2008

Allan de Oliveira Kuwer

Migalheiro desde 2020

Júlio César Bueno

Migalheiro desde 2004

Rogério Pires da Silva

Migalheiro desde 2005

Stanley Martins Frasão

Migalheiro desde 2002

Sílvio de Salvo Venosa

Migalheiro desde 2019

Maria Berenice Dias

Migalheira desde 2002

Luis Felipe Salomão

Migalheiro desde 2014

Celso Cintra Mori

Migalheiro desde 2005

Selma Ferreira Lemes

Migalheira desde 2005

Marco Aurélio Mello

Migalheiro desde 2014

Publicidade