domingo, 25 de outubro de 2020

MIGALHAS DE PESO

Publicidade

Nova norma do Ministério do Trabalho e Emprego para deficientes

Agora, o auditor fiscal deverá fazer parte do processo de inclusão do deficiente, da captação à adaptação.

quarta-feira, 29 de agosto de 2012

No último dia 18 foi publicada pelo Ministério do Trabalho e Emprego a instrução normativa 98 que regulamenta de forma mais objetiva e traz novidades à fiscalização quanto à inclusão das pessoas portadoras de deficiência ou beneficiários da Previdência Social reabilitados no mercado de trabalho, conforme a exigência prevista no artigo 93 da lei de 8.213/91.

A IN 98 revogou a instrução normativa 20/2001 que dispunha sobre o mesmo tema, porém de maneira limitada e que ensejava interpretações restritas, submetendo as empresas a fiscalizações de obrigação impossível sem que houvesse a contextualização entre as suas realidades e a insuficiência de profissionais habilitados no mercado.

A novidade é que fixa os procedimentos a serem seguidos pelos auditores fiscais do trabalho, uniformizando e inserindo os fiscais na participação junto às empresas desde o processo de captação da pessoa com deficiência no mercado de trabalho, sua contratação, adaptação no ambiente corporativo e eventual desligamento. O auditor agora deverá fazer parte do processo de inclusão do deficiente e não mais ficar do lado de fora, cumprindo a formalidade da fiscalização e consequente autuação, sem a conscientização e conhecimento do confronto entre a lei e a realidade.

Neste contexto, em reconhecimento de que a aplicação de multas não satisfaz a proposta social da lei, o Ministério do Trabalho prevê no artigo 16 e seguintes da IN 98 a instauração de procedimento especial para a ação fiscal, que pautado na exigência da lei de que as empresas com mais de 100 (cem) empregados devem cumprir a reserva legal, prevê prazos para o seu cumprimento que deverão ser fixados mediante termo de compromisso firmado junto a este Órgão.

A nova readequação nos níveis do conceito, treinamento e critérios da própria fiscalização para concluir quanto à desobediência do cumprimento da contratação dos deficientes ou reabilitados pela Previdência trazida pela IN 98 implica uma revisão pelas empresas quanto à postura, argumentos e fundamentos nos processos de fiscalização.

__________

* Paulo Sérgio João e Adriana Adani são sócios do escritório Paulo Sergio João Advogados

Paulo Sergio João Sociedade de Advogados

__________

Atualizado em: 28/8/2012 14:49

AUTORES MIGALHAS

Busque pelo nome ou parte do nome do autor para encontrar publicações no Portal Migalhas.

Busca

AUTORES MIGALHAS

Fernando Hugo R. Miranda

Migalheiro desde 2016

Eduardo Knesebeck

Migalheiro desde 2020

Luiz Rodrigues Wambier

Migalheiro desde 2006

Daniel Ruy

Migalheiro desde 2013

Paulo Penalva Santos

Migalheiro desde 2019

Luciana Lanna

Migalheira desde 2018

Gilson José Rasador

Migalheiro desde 2004

Gustavo Schneider

Migalheiro desde 2007

Renata Oliveira

Migalheira desde 2019

Virgínia Cotrim Nery

Migalheira desde 2011

Publicidade