sexta-feira, 15 de janeiro de 2021

MIGALHAS DE PESO

Publicidade

Patente de 2º uso

"Alegam os requerentes desse tipo de patente que o 2º uso se refere ao mesmo medicamento usado para o tratamento de outra enfermidade".

quinta-feira, 20 de junho de 2013

Muito se tem discutido a matéria de patentes de 2º uso na área farmacêutica.

Alegam os requerentes desse tipo de patente que o 2º uso se refere ao mesmo medicamento (a mesma formulação) usado para o tratamento de outra enfermidade.

Onde estaria a diferença?

Na indicação terapêutica, ou seja, na bula. Sem bula, o medicamento é o mesmo.
Daí a discussão surgir na área farmacêutica, já que o medicamento não pode ser vendido sem bula.

Seria o caso de direito autoral sobre a bula?

Evidentemente, quem compra um martelo pode usá-lo para bater bife, em lugar de usá-lo para bater pregos. Isso é possível porque o 2º uso não está escrito na bula do martelo. Esse utensílio não tem indicação terapêutica...

Exemplo recente e menos fantasioso pode ser retirado da AC 9070658-28.2002.8.26.0000 do TJ/SP, em acórdão da lavra do eminente Des. Enio Zuliani (relator) proferido em apelação de Júlio Diniz Fraguete Xavier e Vitor Hugo Xavier (apelantes) em face de FPF - Federação Paulista de Futebol (apelada).

A ementa do acórdão proferido aos 22/9/2011 pela 4ª. câmara de Direito Privado do TJ/SP tem o seguinte teor:

"Autores que pretendem proteção de exclusividade de invento (spray de tinta que árbitros de futebol utilizam para sinalizar, na grama, as penalidades de jogo) - INPI que negou a patente requerida por falta do requisito criatividade ou novidade (art. 13, da lei 9.279/96) - Apetrecho que não constitui invento, mas, sim, ideia de utilização prática de dispositivo comum - Improcedência mantida - Não provimento."

Importante assinalar o seguinte trecho do voto do Des. Zuliani:

"O spray é ferramenta comum para o serviço de pintura e desenho e não há qualquer invento em aproveitar a sua função para demarcar território das arenas futebolísticas com o propósito de fixar o local exato para colocar a bola a ser chutada ou para estabelecer a linha de barreira dos jogadores que protegem o gol. A ideia de utilizar isso no campo de grama foi brilhante e serviu para corrigir um problema crônico da arbitragem, o que não significa invento digno de patente ou de privilégio, como pretenderam os autores".

Diferente seria se uma indústria de spray o colocasse no mercado com bula, expressamente indicando o novo uso do spray. Caso contrário, os titulares dessa esdrúxula patente deveriam estar presentes em todos os jogos de futebol, munidos de competente mandado judicial para apreender o spray tão logo o árbitro o utilizasse para o novo uso...

_____________

* Newton Silveira é advogado do escritório Newton Silveira, Wilson Silveira e Associados - Advogados.


Atualizado em: 19/6/2013 15:03

AUTORES MIGALHAS

Busque pelo nome ou parte do nome do autor para encontrar publicações no Portal Migalhas.

Busca

AUTORES MIGALHAS VIP

Jeniffer Gomes da Silva

Jeniffer Gomes da Silva

Migalheira desde 2020
Italo Bondezan Bordoni

Italo Bondezan Bordoni

Migalheiro desde 2019
Marília Lira de Farias

Marília Lira de Farias

Migalheira desde 2020
Gisele Nascimento

Gisele Nascimento

Migalheira desde 2017
Ricardo Alves de Lima

Ricardo Alves de Lima

Migalheiro desde 2020
Gustavo Binenbojm

Gustavo Binenbojm

Migalheiro desde 2005
Giselle Farinhas

Giselle Farinhas

Migalheira desde 2017
Ana Paula Caodaglio

Ana Paula Caodaglio

Migalheira desde 2016
Agnaldo Bastos

Agnaldo Bastos

Migalheiro desde 2018

Publicidade