quinta-feira, 26 de novembro de 2020

MIGALHAS DE PESO

Publicidade

Marina e Campos

Em 5/10, foi lançada uma nova razão política, Marina&Campos, aliança que pareceu a muitos surpreendente e imprevisível. Mas para quem lê nas entrelinhas do noticiário trata-se de um acontecimento dos mais lógicos e previsíveis.

quinta-feira, 10 de outubro de 2013

No dia 5 de outubro próximo passado, um sábado de primavera encoberto, foi lançada uma nova razão política, Marina&Campos, aliança que pareceu a muitos surpreendente e imprevisível.

Como assim? Para quem lê nas entrelinhas do noticiário político trata-se de um acontecimento dos mais lógicos e previsíveis.

Em primeiro lugar, o espaço da oposição estava vazio faz muito tempo. A oposição capitaneada pelo PSDB, com sua divisão interna, falta de vigor e nitidez de posições, sempre foi mais nominal do que real. Pois a união entre Marina e Campos teve por efeito, antes de qualquer outra coisa, a virtude de constituir uma oposição digna deste nome, formada por políticos experimentados e programáticos, bons comunicadores, preenchendo um vácuo que era a negação desse contraditório sem o qual não existe vida política. A candidata oficial detinha praticamente o monopólio da visibilidade diária e obstinada, a posse exclusiva da máquina do governo com sua influência irresistível, sua propaganda, seus meios de pressão, além do tão propalado "carisma" do ex-presidente e criador da atual presidente. Agora, as forças estão equilibradas, com os 26% de votos de Marina na última disputa, seu prestígio e experiência de brava lutadora, aliada à popularidade de Eduardo Campos no nordeste.

Em segundo lugar, a aliança Marina&Campos teve o condão imediato de arrebatar das unhas ávidas dos velhos caciques e de seus astutos cupinchas, os marqueteiros, a direção dos rumos da eleição, que agora voltou ao seu leito natural, que é a opinião pública, a sociedade, o povo, na sua maioria já descrente da política e dos políticos. Agora o eleitorado cria nova vida, livre da pressão demagógica dos caciques empedernidos e dos marqueteiros mercenários, os Santanas da vida, responsáveis pela degeneração da política na preocupação com as próximas eleições e não com as próximas gerações. Agora, a população que acorreu às ruas em junho de 2013 volta a acreditar na política e tem em quem votar.

Nestes dois itens se resume a novidade trazida por essa nova aliança, que a maioria dos observadores e cientistas políticos, baratinados e prisioneiros de suas bitolas intelectuais se recusam a admitir.

_____________

* Gilberto de Mello Kujawski é procurador de Justiça aposentado, escritor e jornalista.

Atualizado em: 8/10/2013 16:04

AUTORES MIGALHAS

Busque pelo nome ou parte do nome do autor para encontrar publicações no Portal Migalhas.

Busca

AUTORES MIGALHAS VIP

Guershom David

Migalheiro desde 2020

Abel Simão Amaro

Migalheiro desde 2004

Leonardo Quintiliano

Migalheiro desde 2019

Luciane Bombach

Migalheira desde 2019

Letícia Baddauy

Migalheira desde 2020

Gisele Nascimento

Migalheira desde 2017

Carla Louzada Marques

Migalheira desde 2020

Márcio Aguiar

Migalheiro desde 2020

Renato de Mello Almada

Migalheiro desde 2008

Carolina Amorim

Migalheira desde 2020

Carla Domenico

Migalheira desde 2011

Lenio Luiz Streck

Migalheiro desde 2005

Publicidade