sexta-feira, 15 de janeiro de 2021

MIGALHAS DE PESO

Publicidade

MP 627/13 e a nova disciplina do ágio

Rodrigo Lara e Marcelo Tendolini Saciotto

A norma, dentre outros aspectos, promoveu mudanças nos critérios de reconhecimento, contabilização e dedutibilidade do ágio pago na aquisição de participações societárias.

quarta-feira, 15 de janeiro de 2014

Recentemente, com o intuito de promover a adequação da legislação tributária às regras contábeis vigentes desde a introdução do IFRS em 2008, foi publicada a MP 627/13 que, dentre outros aspectos, promoveu mudanças nos critérios de reconhecimento, contabilização e dedutibilidade do ágio pago na aquisição de participações societárias.

Nesse sentido, o ágio passou a ser mensurado pela diferença positiva entre o custo de aquisição da participação e o somatório do patrimônio líquido (PL) da investida e os seus ativos líquidos avaliados a valor justo.

Na prática, embora possa implicar na redução do valor do ágio em futuras operações, já que a regra anterior determinava que este fosse calculado pela diferença entre o PL e o custo de aquisição da participação, a alteração era esperada em função da disciplina contábil vigente desde 2008.

Além disso, o laudo de avaliação - antes apenas recomendável, haja vista a ausência de previsão legal - passou a ser obrigatório para fundamentação do ágio, devendo inclusive ser protocolado na Receita Federal ou no cartório de título e documentos.

Por sua vez, para alívio das empresas, não houve alteração substancial quanto à dedutibilidade fiscal do ágio, porém vedou-se tal possibilidade quando o ágio for gerado em operações entre partes relacionadas (conhecido também como "ágio interno"), normalmente em processos de reestruturação societária onde não há fluxo financeiro entre as empresas envolvidas.

Por fim, a MP vedou expressamente a dedutibilidade do ágio em operações de substituição de ações ou quotas de participação societária, situação verificada em grandes operações e que, inclusive, foram objeto de autuações por parte do fisco federal.

__________

* Rodrigo Lara e Marcelo Tendolini Saciotto são advogados do escritório Rayes & Fagundes Advogados Associados.






Atualizado em: 14/1/2014 14:14

AUTORES MIGALHAS

Busque pelo nome ou parte do nome do autor para encontrar publicações no Portal Migalhas.

Busca

AUTORES MIGALHAS VIP

Carla Domenico

Carla Domenico

Migalheira desde 2011
Carla Louzada Marques

Carla Louzada Marques

Migalheira desde 2020
Julio Cesar dos Santos

Julio Cesar dos Santos

Migalheiro desde 2019
Stanley Martins Frasão

Stanley Martins Frasão

Migalheiro desde 2002
Jones Figueirêdo Alves

Jones Figueirêdo Alves

Migalheiro desde 2011
René Ariel Dotti

René Ariel Dotti

Migalheiro desde 2006
Gustavo Abdalla

Gustavo Abdalla

Migalheiro desde 2019
Giselle Farinhas

Giselle Farinhas

Migalheira desde 2017
Diogo L. Machado de Melo

Diogo L. Machado de Melo

Migalheiro desde 2008
Ivo Ricardo Lozekam

Ivo Ricardo Lozekam

Migalheiro desde 2020
Ricardo Trajano Valente

Ricardo Trajano Valente

Migalheiro desde 2020
Abel Simão Amaro

Abel Simão Amaro

Migalheiro desde 2004
Carolina Amorim

Carolina Amorim

Migalheira desde 2020

Publicidade