quarta-feira, 25 de novembro de 2020

MIGALHAS DE PESO

Publicidade

Parceiros

Os parceiros atuam como se o plural que são se resumisse ao singular em que resultam.

sexta-feira, 7 de fevereiro de 2014

Muito se tem cantado, e mais ainda se cantará, louvando a amizade, a parceria afetiva e de sonhos entre irmãos ou camaradas.

Esta palavra - camarada - tanto serve para designar companheiros de armas, infantaria, (por exemplo, avante, camaradas...) quanto para definir aquele ou aquela com quem se divide a cama.

Muitas parcerias têm rendido bons resultados quando somam talento com sentimento, inspiração romântica e paixão amorosa com canção.

Os parceiros atuam como se o plural que são se resumisse ao singular em que resultam.

Nas canções mais que nos discursos, há perfeita sintonia entre sons e palavras, melodia e poesia.

Qual parceria não sendo a de Tom e Vinicius faria "Chega de Saudade"?  "Pra Dizer Adeus" de Torquato não teria sido de bom acabamento se o Edu não a completasse com os versos da segunda parte e os acordes gerais.

Há casos de autor parceiro de si mesmo - Chico Buarque não seria por um bom tempo o Julinho da Adelaide driblando a censura do regime militar se depois de algumas provocações não tivessem os espiões do regime descoberto que o neguinho filho da preta Adelaide era também, ao mesmo tempo, o filho de D. Maria Amélia e do Professor Sergio Buarque.

("Acorda amor/ Não é mais pesadelo nada / Tem gente já no vão de escada /Fazendo confusão, que aflição / São os homens / E eu aqui parado de pijama / Eu não gosto de passar vexame / Chame, chame, chame /Chame o ladrão, chame o ladrão / (...)"

Niemayer morreu como sinônimo de Brasília, mas foi a sua parceria com Lúcio Costa que lhe ensejou os espaços arquitetônicos que soube preencher com inspiração e talento.

Perón, na Argentina, teria chegado aonde se mantém até hoje sem a parceria destemida de Evita? E Fidel sem Che até onde teria ido? Chitãzinho sem Chororó? Obama sem a Michelle?

Na política por estas paragens, as parcerias têm sido mais deletérias que saudáveis.

A parceria de Vitorino com todos os Presidentes da Republica, civis ou militares, fazendo moeda de troca com os votos dos Deputados e Senadores que encabrestava no Congresso lhe rendeu poder e os desmandos de uma oligarquia que de uma só vez atrasou o Maranhão em exatos 20 anos. Minha geração indignada achava que 20 anos era muita coisa.

O coronelismo daqueles tempos deitou raízes rios adentro e terras afora. Todo aprendiz de coronel da política começa seu curso com gargarejos de intolerância, exercícios de egocentrismo e atitudes de arrogância.

Os falsos profetas parecem não gostar de parcerias entre si. Eles preferem a ação solitária no estelionato, a camaradagem de si para si mesmo na pilhagem, a parceria com a mentira, - ela, a mentira, argamassa do caos.

__________

Edson Vidigal é ex-presidente do STJ e professor de Direito na UFMA.

Atualizado em: 6/2/2014 14:01

AUTORES MIGALHAS

Busque pelo nome ou parte do nome do autor para encontrar publicações no Portal Migalhas.

Busca

AUTORES MIGALHAS VIP

Pedro Dalese

Migalheiro desde 2020

Guershom David

Migalheiro desde 2020

Abel Simão Amaro

Migalheiro desde 2004

Marco Aurélio Mello

Migalheiro desde 2014

Márcio Aguiar

Migalheiro desde 2020

Pablo Domingues

Migalheiro desde 2017

Gisele Nascimento

Migalheira desde 2017

Douglas Lima Goulart

Migalheiro desde 2020

Sérgio Roxo da Fonseca

Migalheiro desde 2004

Scilio Faver

Migalheiro desde 2020

Lilia Frankenthal

Migalheira desde 2020

Publicidade