sábado, 16 de janeiro de 2021

MIGALHAS DE PESO

Publicidade

Fisco Federal disciplina a possibilidade de anular débito

PF tratou da possibilidade da própria administração pública analisar e deixar de cobrar determinados débitos tributários.

quinta-feira, 6 de novembro de 2014

A Receita Federal, por meio de parecer recentemente publicado, dispôs sobre a possibilidade da própria administração pública analisar e deixar de cobrar determinados débitos tributários, evitando muitas vezes discussões judiciais.

Isto porque, é comum que o fisco aponte e cobre débitos visivelmente indevidos, ou ainda, fruto de erros no preenchimento de declarações por parte do contribuinte.

Em situações de débitos indevidos, onde se observa a inconsistência do ato de lançamento fiscal, verifica-se a possibilidade da administração pública efetuar procedimento denominado neste parecer como "retificação de ofício", e que diz não se confundir com o procedimento de "revisão de ofício".

O parecer faz distinção entre a retificação e a revisão. A primeira seria aplicável aos casos de declarações com erros em que esteja esgotada a possibilidade de defesa administrativa. No procedimento de revisão, só é possível a reanálise pelo fisco na hipótese de contencioso administrativo.

Ou seja, com esse entendimento exposto no parecer, é reconhecida a possibilidade de que, mesmo após finalizado o processo administrativo, em situações como a de impossibilidade de comprovação quando apresentação de defesa, o contribuinte provoque nova análise pelo Fisco do débito tributário que consta como cobrança.

Outra boa notícia é que essa possibilidade de revisão administrativa, fora do processo administrativo contencioso, pode ser feita mesmo na hipótese de ocorrer débito do processo judicial em paralelo.

A importância desse parecer para os contribuintes é que reforça entendimento de que o erro não pode provocar a cobrança de débito tributário, permitindo com que os auditores da Receita Federal tenham instrumento normativo emitido pelo próprio fisco para sistematizar a baixa ou a diminuição do débito.

Além disso, também o parecer traz a possibilidade do contribuinte restituir débitos indevidamente pagos, ou ainda, trazer maior valor de créditos a compensar, caso tenham sido indevidamente pagos/amortizados mediante erro do contribuinte.

____________________

*Fernando Grasseschi Machado Mourão é sócio da divisão do Contencioso do escritório Braga & Moreno Consultores e Advogados.

Atualizado em: 5/11/2014 13:08

AUTORES MIGALHAS

Busque pelo nome ou parte do nome do autor para encontrar publicações no Portal Migalhas.

Busca

AUTORES MIGALHAS VIP

Vantuil Abdala

Vantuil Abdala

Migalheiro desde 2008
Cleanto Farina Weidlich

Cleanto Farina Weidlich

Migalheiro desde 2007
Abel Simão Amaro

Abel Simão Amaro

Migalheiro desde 2004
Fabricio Soler

Fabricio Soler

Migalheiro desde 2018
Guilherme Alberge Reis

Guilherme Alberge Reis

Migalheiro desde 2020
Ricardo Alves de Lima

Ricardo Alves de Lima

Migalheiro desde 2020
Márcio Aguiar

Márcio Aguiar

Migalheiro desde 2020
Sílvio de Salvo Venosa

Sílvio de Salvo Venosa

Migalheiro desde 2019
Roberto Rosas

Roberto Rosas

Migalheiro desde 2015
Gilberto Giusti

Gilberto Giusti

Migalheiro desde 2003
Edvaldo Barreto Jr.

Edvaldo Barreto Jr.

Migalheiro desde 2020
Carla Domenico

Carla Domenico

Migalheira desde 2011

Publicidade