quarta-feira, 20 de janeiro de 2021

MIGALHAS DE PESO

Publicidade

O Refis da Crise

Tiago Bizzotto

Foi publicada a lei 13.043/14, objeto da conversão da MP 651/14 que, entre outros assuntos, reabriu o prazo para a adesão dos contribuintes à anistia fiscal denominada como "Refis da Copa".

quinta-feira, 27 de novembro de 2014

No dia 14/11 foi publicada no Diário Oficial da União a lei 13.043/14, objeto da conversão da MP 651/14 que, entre outros assuntos, reabriu o prazo para a adesão dos contribuintes à anistia fiscal denominada como "Refis da Copa".

Considerando a data da publicação da lei 13.043/14, o contribuinte poderá formalizar a sua adesão à anistia fiscal em questão até o dia 28 de novembro de 2014.

Poderão ser adimplidas as dívidas tributárias e não tributárias com a União Federal e vencidas até 31/12/2013, observando as seguintes reduções das multas de ofício/mora/isolada, juros e encargos legais:

A diferença entre o "Refis da Crise" instituído por meio da lei 11.941/09 e o "Refis da Copa" das leis 12.996/14 e 13.043/14 consiste na necessidade do contribuinte realizar uma "antecipação" para formalizar a sua adesão à anistia fiscal:

  • de 5% do montante da dívida objeto do parcelamento, após aplicadas as reduções, na hipótese de o valor total da dívida ser menor ou igual a R$ 1.000.000,00 (um milhão de reais);
  • de 10% do montante da dívida objeto do parcelamento, após aplicadas as reduções, na hipótese de o valor total da dívida ser maior que R$ 1.000.000,00 (um milhão de reais) e menor ou igual a R$ 10.000.000,00 (dez milhões de reais);
  • e 15% do montante da dívida objeto do parcelamento, após aplicadas as reduções, na hipótese de o valor total da dívida ser maior que R$ 10.000.000,00 (dez milhões de reais) e menor ou igual a R$ 20.000.000,00 (vinte milhões de reais); e
  • de 20% do montante da dívida objeto do parcelamento, após aplicadas as reduções, na hipótese de o valor total da dívida ser maior que R$ 20.000.000,00 (vinte milhões de reais).

Considera-se o valor total da dívida sem as reduções dispostas na anistia fiscal. Contudo, a nova reabertura do prazo da anistia fiscal da lei 13.043/14 determina que as mencionadas antecipações não serão objeto de parcelamento, ao contrário das disposições anteriormente contidas na lei 12.996/14:

§ 4º As antecipações a que se referem os incisos I a IV do § 2o deverão ser pagas até o último dia para a opção, resguardado aos contribuintes que aderiram ao parcelamento durante a vigência da Medida Provisória nº 651, de 9 de julho de 2014, o direito de pagar em até 5 (cinco) parcelas.

Outra novidade da lei 13.043/14 é a alteração da lei de execuções fiscais (lei 6.830/80). Agora é possível que o contribuinte ofereça um Seguro Garantia para garantir o Juízo Executivo e, neste sentido, discutir os débitos exigidos por meio de Execuções Fiscais:

Art. 73. A lei no 6.830, de 22 de setembro de 1980, passa a vigorar com as seguintes alterações:

Art. 9º - Em garantia da execução, pelo valor da dívida, juros e multa de mora e encargos indicados na Certidão de Dívida Ativa, o executado poderá:
(.)
II - oferecer fiança bancária ou seguro garantia;

Art. 15 - Em qualquer fase do processo, será deferida pelo juiz:

I - ao executado, a substituição da penhora por depósito em dinheiro, fiança bancária ou seguro garantia.

Tanto a forma de contratação quanto os valores exigidos pelas instituições financeiras para a emissão de um Seguro Garantia são consideravelmente melhores quando comparadas com e expedição de uma Carta de Fiança Bancária.

Ademais, a lei 13.043/14 tornou como definitivo o Regime Especial de Reintegração de Valores Tributários para as Empresas Exportadoras e a desoneração da folha de pagamento para determinados setores da economia.

O Reintegra é um regime especial aplicável às empresas exportadoras de bens manufaturados que poderão ser ressarcidas em até 5% (cinco por cento) da receita decorrente da exportação.

A desoneração da folha de pagamento substitui a contribuição previdenciária incidente sobre a folha de salários pela receita bruta das empresas fabricantes de produtos dispostos no anexo I da lei 12.546/11 ou com as atividades determinadas no artigo 7º da lei 12.546/11, como a prestação do serviço de informática, construção civil, transporte coletivo de passageiros (rodoviário, metroviário e ferroviário), call center entre outras atividades.

________________________

*Tiago Bizzotto é coordenador do departamento de Direito Tributário da Décio Freire e Associados. Especialista em Direito Tributário pelo IBET.

Atualizado em: 26/11/2014 13:39

AUTORES MIGALHAS

Busque pelo nome ou parte do nome do autor para encontrar publicações no Portal Migalhas.

Busca

AUTORES MIGALHAS VIP

Gustavo Abdalla

Gustavo Abdalla

Informativo Migalheiro desde 2019
Antonio Pessoa Cardoso

Antonio Pessoa Cardoso

Informativo Migalheiro desde 2004
Miguel Reale Júnior

Miguel Reale Júnior

Informativo Migalheiro desde 2003
Gilberto Giusti

Gilberto Giusti

Informativo Migalheiro desde 2003
Carla Domenico

Carla Domenico

Informativo Migalheira desde 2011
Justiliana Sousa

Justiliana Sousa

Informativo Migalheira desde 2020
Selma Ferreira Lemes

Selma Ferreira Lemes

Informativo Migalheira desde 2005
Carlos Barbosa

Carlos Barbosa

Informativo Migalheiro desde 2019
Nicole Cunha

Nicole Cunha

Informativo Migalheira desde 2021
Fabricio Soler

Fabricio Soler

Informativo Migalheiro desde 2018

Publicidade