quarta-feira, 28 de outubro de 2020

MIGALHAS DE PESO

Publicidade

Petrobras prossegue na venda de ativos

Paulo Yamaguchi

Há expectativa de que o Conselho de Administração da Petrobras analise a venda de pelo menos 1 ativo por mês. Até 2016, a venda de ativos está estimada em US$ 15,1 bilhões.

segunda-feira, 17 de agosto de 2015

Após o anúncio do leilão do navio-plataforma P-34, a Petrobras deve colocar à venda outros ativos, dando continuidade ao plano de desinvestimentos. Há expectativa de que o Conselho de Administração da Petrobras analise a venda de pelo menos 1 ativo por mês. Até 2016, a venda de ativos está estimada em US$ 15,1 bilhões.

Dentre os ativos, destaque para os estudos para a abertura de capital da BR Distribuidora (maior player do Brasil, possui cerca de 70% do mercado de distribuição de combustíveis - gasolina, etanol, diesel e aviação). Investidores já demonstram forte interesse nesta operação. A previsão é que o cronograma do IPO (oferta pública inicial de ações) esteja concluído até dezembro. Por outro lado, a Petrobrás não descarta a venda de participação a um investidor estratégico, apesar da preferência do mercado pelo IPO.

A área de gás natural e energia é a que mais concentra ativos em desinvestimento nesta etapa. Está na lista de ativos para a venda até o próximo ano participações da estatal em 19 distribuidoras estaduais de gás canalizado, que integram a Petrobras Gás S.A. - Gaspetro - subsidiária responsável pela distribuição de gás natural. Dentre eles, a Transportadora Associada de Gás S.A. - TAG - subsidiária integral da Gaspetro, que detém a estrutura para transporte de gás natural. A maior candidata para adquirir os ativos relacionados com a Gaspetro é a japonesa Mitsui, já sócia na própria Gaspetro e em diversas das distribuidoras estatuais.

A oferta de participações em contratos de exploração e produção, tanto no pré-sal quanto em campos maduros, principalmente no Nordeste. No pré-sal, figuram na lista as áreas de Pão de Açúcar (BMC33), Júpiter (BMS24), Carcará (BMS8) e Tartaruga Verde (BMC36), todos com contratos de concessão também estão previstos até 2016.

O plano de venda de ativos não se encerra nesta etapa. Até 2018, há previsão da Petrobras vender mais US$ 42,7 bilhões em ativos nas áreas de abastecimento, transporte e logística, além de Exploração e Produção. A venda de ativos como termoelétricas, unidades de fertilizantes e de biocombustíveis tem previsão para 2017 e 2018.

Com tantos ativos envolvendo cifras bilionárias, espera-se que as vendas sejam conduzidas dentro das melhores práticas, preço justo e plena legalidade. A necessidade de caixa não pode ser fator para desmanche ou entrega de valiosos ativos. Se há indícios de aquisições da companhia mal feitas em operações passadas, o Conselho de Administração deve estar atento a não comprometer o patrimônio da companhia em aprovar vendas em condições desfavoráveis.

____________________

*Paulo Yamaguchi é advogado da banca Tess Advogados.

Atualizado em: 17/8/2015 09:19

AUTORES MIGALHAS

Busque pelo nome ou parte do nome do autor para encontrar publicações no Portal Migalhas.

Busca

AUTORES MIGALHAS VIP

Maria Berenice Dias

Migalheira desde 2002

Gilberto Giusti

Migalheiro desde 2003

Sérgio Roxo da Fonseca

Migalheiro desde 2004

Vantuil Abdala

Migalheiro desde 2008

Gilberto Bercovici

Migalheiro desde 2007

Marília Lira de Farias

Migalheira desde 2020

Antonio Pessoa Cardoso

Migalheiro desde 2004

Miguel Reale Júnior

Migalheiro desde 2003

Jeniffer Gomes da Silva

Migalheira desde 2020

René Ariel Dotti

Migalheiro desde 2006

Roberto Rosas

Migalheiro desde 2015

Murillo de Aragão

Migalheiro desde 2018

Selma Ferreira Lemes

Migalheira desde 2005

Publicidade