sábado, 28 de novembro de 2020

MIGALHAS DE PESO

Publicidade

Convênio com a União facilita a fiscalização do Imposto sobre Heranças e Doações em São Paulo

Cruzamento entre os dados fornecidos pela RFB e as informações sobre os pagamentos do ITCMD, via CPF do contribuinte, facilmente constata a falta ou o recolhimento inferior ao devido.

segunda-feira, 22 de fevereiro de 2016

O Estado de São Paulo tem conseguido impulsionar sua arrecadação sem alterar a alíquota vigente (4%) do Imposto sobre Transmissão Causa Mortis e Doações (ITCMD).

O Estado entende que a intensificação na fiscalização é ferramenta mais eficaz do que aumentar a alíquota. Com isso, por meio de convênio firmado com a União, a Fazenda Estadual recebe informações constantes do quadro "Rendimentos isentos e não tributáveis", linha "Transferências patrimoniais - doações e heranças", da base de dados das Declarações do IR das pessoas físicas enviadas à Receita Federal do Brasil (RFB).

O cruzamento entre os dados fornecidos pela RFB e as informações sobre os pagamentos do ITCMD, via CPF do contribuinte, facilmente constata a falta ou o recolhimento inferior ao devido. Nesses casos, a Fazenda autua o contribuinte pela ausência ou por recolhimento a menor do ITCMD.

A RFB libera paulatinamente as informações de sua base de dados. Nos últimos dois anos, a fiscalização recaiu apenas sobre as declarações enviadas nos anos de 2009 e de 2010, haja vista que a cobrança pode ser realizada até cinco anos após o recebimento da doação.

Mais de 50 mil contribuintes já foram fiscalizados e cerca de R$ 150 milhões foram arrecadados com a cobrança do ITCMD sobre doações passadas. Ressalte-se que sobre o valor do tributo há incidência de multa e de juros moratórios. A partir deste mês de fevereiro, a Fazenda paulista deve receber nova remessa de informações da RFB.

Dessa forma, o donatário, contribuinte que recebeu as doações em 2015, deve ficar atento quando for preencher a sua declaração do IR deste ano. Se ainda não recolheu o ITCMD sobre alguma doação recebida no ano passado, deve fazê-lo para que não seja apanhado pela fiscalização, quando então ficará sujeito ao tributo acrescido de juros e multas.

Vale lembrar, por fim, que embora as doações sejam isentas de tributação até o valor correspondente a 2.500 UFESP (a unidade fiscal do Estado de SP), ainda assim elas devem ser informadas nas declarações do IR. Para 2015, estavam isentas as doações até R$ 53.125,00; para 2016, até R$ 58.875,00.

_________

*Gustavo Denis Centeno Biglia é advogado sênior da Divisão de Consultoria Societária do escritório Braga & Moreno Consultores e Advogados.

Atualizado em: 19/2/2016 15:17

AUTORES MIGALHAS

Busque pelo nome ou parte do nome do autor para encontrar publicações no Portal Migalhas.

Busca

AUTORES MIGALHAS VIP

Jocineia Zanardini

Migalheira desde 2020

Diogo L. Machado de Melo

Migalheiro desde 2008

Cleanto Farina Weidlich

Migalheiro desde 2007

Gisele Nascimento

Migalheira desde 2017

Scilio Faver

Migalheiro desde 2020

Italo Bondezan Bordoni

Migalheiro desde 2019

Marco Aurélio Mello

Migalheiro desde 2014

Ricardo Alves de Lima

Migalheiro desde 2020

Guershom David

Migalheiro desde 2020

Marília Lira de Farias

Migalheira desde 2020

Publicidade