terça-feira, 24 de novembro de 2020

MIGALHAS DE PESO

Publicidade

Como sofrem os aposentados e pensionistas...

Em relação aos pensionistas legatários deveria ter sido observado o princípio de que valem as regras em vigor na data do falecimento do funcionário público, apesar do STF ter determinado a inconstitucionalidade da lei que instituiu essas pensões.

terça-feira, 7 de março de 2017

Desde o ano retrasado os indícios de que o "des"governo do Estado do RJ não cuidava do dinheiro público vieram se comprovando, primeiro porque o Estado já vinha devendo o 13º de seus segurados referente ao ano de 2.015; depois porque, logo em abril, o governo decidiu que aposentados e pensionistas cujos benefícios líquidos fossem superiores a R$2 mil não receberiam nenhum centavo; a seguir, porque o Governo RJ entendeu de engendrar caça às pensionistas filhas solteiras e às legatárias alegando que fazia "pente-fino" para cortar possíveis fraudes nas pensões; no final de 2.016, porque lançou o famoso "pacote das maldades" para reduzir salários, aposentadorias, pensionamentos, cortar benefícios previdenciários e aumentar tributos, e ultimamente (2.017), incitando o MP à investigar a solteirice das pensionistas e denunciar os casos de união estável para cancelamento de pensões.

É absurdo, mas é óbvio que os nossos governantes tentam repassar a conta do descuido e da falta de profissionalismo dos atos governamentais que têm praticado, para cada um de nós cidadãos, e especialmente para os aposentados e pensionistas, tudo em total desacordo com as determinações da nossa CF.

Com relação à problemática praticada em desfavor dos inativos e pensionistas RJ, felizmente, cumprindo seu papel de prestação de assistência jurídica gratuita para os cidadãos carentes de recursos e que dela necessitem, a Defensoria Pública impetrou Mandado de Segurança e conseguiu liminar no sentido de confiscar o valor integral para pagamento de todos os aposentados e pensionistas no mês de abril/16.

Quanto às filhas solteiras pensionistas, as notícias dos jornais confirmaram que até 2012 aproximadamente 32 mil pensionamentos de filhas solteiras que "estariam irregulares", foram cortados, à conta de uma lei criada pelo governo Garotinho que restringia o pagamento das pensões até os 21 anos de idade para as filhas solteiras e/ou os 24 anos, no caso de estarem cursando universidade, entretanto, vale esclarecer, a nova lei Estadual só poderia extinguir as pensões dos pensionistas cujo o antigo servidor público tivesse falecido depois da sua entrada em vigor (em 1999).

Ademais, quanto à problemática da possibilidade de união estável dos pensionistas, vale lembrar que a lei do Estado do RJ trata do fim da pensão nos casos de óbito e casamento. E casamento não é união estável. Confiemos que o MP esteja atento para essa questão !!!

Continuando, em relação aos pensionistas legatários também deveria ter sido observado o princípio de que valem as regras em vigor na data do falecimento do funcionário público, ou seja, apesar do STF ter determinado a inconstitucionalidade da lei que instituiu essas pensões, os legatários que iniciaram seu pensionamento antes de 1988 têm sim esse direito incorporado ao seu patrimônio e não poderiam ter seus pensionamentos cancelados.

Vale deixar claro, ainda, a legislação é clara no sentido de que, decorridos 5 anos do ato administrativo que instituiu a pensão ou a aposentadoria, salvo os casos em que houver fraude anteriormente verificada, o governo não pode rever o que admitiu e instituiu mediante criterioso procedimento.

Ora, esses proventos/benefícios habitualmente representam a única fonte de renda dos aposentados e pensionistas, fruto de regulares recolhimentos feitos nos contracheques dos antigos funcionários públicos, e não podem faltar simplesmente porque o Estado está desorganizado, pois, dessa forma, estar-se-ia infringindo um dos Princípios Constitucionais mais importantes, o da dignidade da vida humana.

Aposentados e pensionistas do Estado do RJ, até mesmo os servidores da ativa, vêm sofrendo das mazelas da má administração do dinheiro público há muito tempo à conta dessa trapalhada patrocinada pelo "des"governo RJ, portanto, existe a possibilidade de ingressarem no Judiciário com pedido de indenização material e moral devido a essas infelizes ocorrências, especialmente porque o atraso dos recebimentos tem ocasionado endividamento e excessivo comprometimento da renda de milhares de famílias de servidores públicos do nosso Estado.
__________

*Luciana G. Gouvêa é advogada atuante no RJ e nos Tribunais Superiores. Diretora Executiva da Gouvêa Advogados Associados - GAA. Organizadora da webtv TV Nossa Justiça. Pós graduada em Neurociências Aplicadas à Aprendizagem (UFRJ) e em Finanças com Ênfase em Gestão de Investimentos (FGV). Coach. Especialista em Mediação e Conciliação de conflitos.

Atualizado em: 7/3/2017 08:51

AUTORES MIGALHAS

Busque pelo nome ou parte do nome do autor para encontrar publicações no Portal Migalhas.

Busca

AUTORES MIGALHAS VIP

Rogério Pires da Silva

Migalheiro desde 2005

Almir Pazzianotto Pinto

Migalheiro desde 2003

Ricardo Trajano Valente

Migalheiro desde 2020

Renato da Fonseca Janon

Migalheiro desde 2017

Cleanto Farina Weidlich

Migalheiro desde 2007

Stanley Martins Frasão

Migalheiro desde 2002

Lenio Luiz Streck

Migalheiro desde 2005

Letícia Baddauy

Migalheira desde 2020

Teresa Arruda Alvim

Migalheira desde 2006

Gustavo Abdalla

Migalheiro desde 2019

Jones Figueirêdo Alves

Migalheiro desde 2011

Valmir Pontes Filho

Migalheiro desde 2004

Publicidade