quarta-feira, 28 de outubro de 2020

MIGALHAS DE PESO

Publicidade

A Dualismo só nos atrasa

Bons tempos aqueles que Cazuza cantava, que o mau burguês queria abandonar o país com uma pasta de dólares. Hoje ele foge pros Esteites/USA, impune, com a anuência da justiça, após "ganhar" bilhões.

quinta-feira, 25 de maio de 2017

Vejo pessoas pregando que estão do lado do bem, mas esse discurso do dualismo é muito pobre. Ele já foi dos de vestes azuis contra as de vermelhas, os brasileiros do "bem", contra os do "mal". Agora virou nós (o povo), contra o banditismo político (presente nos três poderes da República). Como se aqueles e aquelas que estão dentro do Congresso Nacional tivessem vindo de Marte. Eles e elas representam o que é a nossa sociedade, com todos seus defeitos e qualidades e foram colocados lá pelo voto direto.

Eu mesmo tenho minha parcela de culpa, pois sempre votei por ideologia, porém na eleição de 2014 resolvi votar, para Deputado Federal, sem levar em conta esse componente. Votei num conhecido e consegui muitos votos para ele. Paguei e pago um preço muito alto pelo péssimo voto que dei.

Representando-me, lá no Congresso, esse político, de carreira, votou favorável ao golpe parlamentar, mesmo sua região, Água Preta, interior de Pernambuco, tendo sido beneficiada fortemente no governo que ele, com seu voto, ajudou a derrubar; votou contra os trabalhadores aprovando a "reforma" trabalhista, que retira direitos fundamentais e conquistados, a duras penas, pela classe trabalhadora.

E, pelo andor da carruagem deve votar favorável à "reforma" da previdência, aquele projeto que põe a culpa na classe trabalhadora pelos desvios de dinheiro público e ajuda aos mais abastados, tirando-lhes, na prática, o direito à aposentadoria.

Tudo isso é claro com o aval do mercado financeiro, dos economistas de plantão e da mídia em geral que, por sinal, recebe uma verdadeira fortuna pra convencer o povo que pagar essa conta é o melhor para todos, pois, o Brasil voltará a crescer graças ao "ajuste" fiscal.

"Ajuste" apenas para o trabalhador já que, os do andar de cima, juntamente com bancos e outros setores serão anistiados de suas dívidas bilionárias e terão suas aposentadorias, nababescas, garantidas.

É assim que funciona o tal ajuste fiscal das contas públicas, nesse país onde suspeitas são provas e provas são tratadas como meros deslizes, numa conversa surreal entre o atual mandatário do Executivo Federal e um delator vil e esperto, fazendo qualquer líder de quadrilha, no crime organizado, se sentir um amador.

Bons tempos aqueles que Cazuza cantava, que o mau burguês queria abandonar o país com uma pasta de dólares. Hoje ele foge pros Esteites/USA, impune, com a anuência da justiça, após "ganhar" bilhões.

Mas, voltando ao dualismo, está na hora de parar com ele e irmos às ruas lutar, não apenas por DIRETAS JÁ, mas, sobretudo, para tornarmos esse país uma REPÚBLICA que tenha um Executivo, Legislativo, Judiciário, Tribunal de Contas, Ministério Público, que renunciem aos privilégios e juntos ao povo se submetam aos princípios Republicanos, enterrando de vez a maldita lei de Gerson, onde o importante é levar vantagem em tudo, Certo?

_______________

*Marcondes Araújo é graduado em História, Direito e pós graduado em Direito Processual.


Atualizado em: 25/5/2017 07:27

AUTORES MIGALHAS

Busque pelo nome ou parte do nome do autor para encontrar publicações no Portal Migalhas.

Busca

AUTORES MIGALHAS VIP

Jones Figueirêdo Alves

Migalheiro desde 2011

Valmir Pontes Filho

Migalheiro desde 2004

Murillo de Aragão

Migalheiro desde 2018

Anna Carolina Venturini

Migalheira desde 2014

Sílvio de Salvo Venosa

Migalheiro desde 2019

Lenio Luiz Streck

Migalheiro desde 2005

Gilberto Bercovici

Migalheiro desde 2007

Antonio Pessoa Cardoso

Migalheiro desde 2004

Gilberto Giusti

Migalheiro desde 2003

Carla Domenico

Migalheira desde 2011

Ricardo Penteado

Migalheiro desde 2008

Marco Aurélio Mello

Migalheiro desde 2014

Gustavo Binenbojm

Migalheiro desde 2005

Publicidade