terça-feira, 24 de novembro de 2020

MIGALHAS DE PESO

Publicidade

Os quarenta anos da carta aos brasileiros - Homenagem ao amigo que merece a gratidão da pátria e da cidadania

Paulo Bonavides

Aqui ficam ligeiros e singelos traços que apenas retratam, de passagem, alguns aspectos superiores da vida de Goffredo Telles Júnior enobrecida nos contributos ao Direito, à democracia, à liberdade, às letras e à Justiça.

quarta-feira, 20 de setembro de 2017

Goffredo Telles Junior configura uma tríplice personalidade espiritual: nele se congregam o jurista, o homem público, o escritor.

Cada uma dessas dimensões expressa a grandeza intelectual e moral desse cidadão a quem o Brasil tanto deve pelas sumárias razões a seguir declinadas.

Jurista, pertence à categoria dos grandes pensadores que na idade contemporânea escreveram com originalidade e profundeza sobre matéria jurídica. E fê-lo com inteira autonomia de vôo nas esferas científicas e jusfilosóficas, desenvolvendo a teoria quântica de Direito, criação sua.

Homem público, poucos fizeram ao país, na região do patriotismo, tão relevantes serviços à causa da unidade nacional e da conservação e intangibilidade das instituições democráticas quanto o Professor do Largo de São Francisco.

Da primeira assertiva, tocante à defesa do espaço e do solo, é exemplo incomparável sua presença política num dos momentos históricos mais graves de nosso passado, quando denunciou ao País o crime da internacionalização da Amazônia.

Com efeito, sendo membro do Congresso durante a segunda metade da década de quarenta, logo após a Segunda Grande Guerra Mundial, Goffredo desbaratou a conspiração legislativa dos interesses estrangeiros que nos queriam impor o famigerado Estatuto da Hiléia Amazônica, por onde se abdicava a soberania sobre a parte mais rica e considerável do território nacional, e, com as tintas da traição e da covardia, se intentava escrever o capítulo escuro duma peça que reproduzia a tragédia do México, quando este perdeu para os Estados Unidos a Califórnia e as partes mais opulentas da antiga colônia, recém-emancipada do domínio espanhol.

Da segunda assertiva, referente à defesa do regime democrático, podemos assinalar, com extrema convicção, que a fé republicana de Goffredo Telles Junior viveu seu grande momento cívico ao escrever ele a Carta aos Brasileiros.

O documento histórico, grito de consciência de uma nação que se levantava contra os opressores, clamava pela restauração da democracia e do Estado de Direito.

Título bastante para recomendar seu autor à memória e gratidão dum povo que padeceu o cativeiro de vinte anos de ditadura militar, com suas liberdades confiscadas e a voz de seus representantes emudecida pelo terror das cassações e dos atos institucionais.

Aquele Manifesto teve e tem historicamente o mesmo significado e importância da célebre entrevista de José Américo de Almeida a Carlos Lacerda em 1945; entrevista que rompeu os grilhões censórios doutra ditadura, precipitando a queda do Estado Novo.

O paraibano derrubava o despotismo civil de um caudilho; o paulista o despotismo militar duma autocracia cujas raízes eram mais profundas e mais difíceis de erradicar.

Em verdade, reverenciamos também no homenageado o memorialista da "Folha Dobrada", o escritor primoroso, o artista da palavra vernácula; sobretudo, como vimos, o restaurador da legalidade constitucional.

Nas páginas autobiográficas daquela obra encantadora se condensam impressões humanas colhidas do cotidiano, que se traduzem para o leitor numa valiosa lição de vida e de compreensão social do universo em que estamos imersos.

Há no livro um percurso existencial que vai da mocidade à idade provecta, passando pela formação acadêmica, pelo exercício da cátedra, pela ação no campo da política e das ideias, onde manteve sempre a coerência ética de seu caráter e de sua identidade, bem como a afeição às causas que entendem com o progresso, a civilização e o desenvolvimento nacional.

Nenhum catedrático desfrutou neste país tanto quanto ele a amizade e devoção de seus alunos.

Nenhum título lhe tocou mais a alma e a sensibilidade que este de amigo dos estudantes e educador de gerações.

Em suma, aqui ficam estes ligeiros e singelos traços que apenas retratam, de passagem, alguns aspectos superiores da vida de Goffredo Telles Junior enobrecida nos contributos ao Direito, à democracia, à liberdade, às letras e à Justiça.

_______________

*Paulo Bonavides é jurista brasileiro e professor.


Atualizado em: 19/9/2017 14:42

AUTORES MIGALHAS

Busque pelo nome ou parte do nome do autor para encontrar publicações no Portal Migalhas.

Busca

AUTORES MIGALHAS VIP

Cleanto Farina Weidlich

Migalheiro desde 2007

Gilberto Bercovici

Migalheiro desde 2007

Valmir Pontes Filho

Migalheiro desde 2004

Carlos Barbosa

Migalheiro desde 2019

Lenio Luiz Streck

Migalheiro desde 2005

Leonardo Quintiliano

Migalheiro desde 2019

Almir Pazzianotto Pinto

Migalheiro desde 2003

Pablo Domingues

Migalheiro desde 2017

René Ariel Dotti

Migalheiro desde 2006

Cesar de Lima e Silva

Migalheiro desde 2019

Carla Louzada Marques

Migalheira desde 2020

Publicidade