sexta-feira, 23 de outubro de 2020

MIGALHAS DE PESO

Publicidade

Média aritmética ou média logarítmica?

O Judiciário tem sentenciado sobre questões técnicas de forma incorreta, a exemplo do uso da média aritmética simples para cálculos envolvendo ruído.

sexta-feira, 17 de novembro de 2017

Recentemente a TNU - Turma Nacional de Uniformização dos Juizados Especiais Federais - reafirmou tese de que o cálculo da exposição ao agente nocivo ruído, em níveis variados, no ambiente de trabalho, deve ser feito por média aritmética simples, afastando-se a técnica de picos de ruído, para contagem de tempo de serviço especial para fins previdenciários.

Não podemos negar que excluir o método que considera somente os picos de ruído foi um avanço, uma vez que é tendenciosa a avaliação que considera somente tais picos, já que tal fatalmente conduziria a um resultado superdimensionado. Atualmente, com a disponibilização no mercado de dosímetros de ruído, inclusive por fabricantes nacionais, não se justifica a avaliação pontual de ruído e, muito menos a escolha dos picos, que representam os maiores níveis de pressão sonora numa amostragem.

No entanto, o Judiciário tem sentenciado sobre questões técnicas de forma incorreta, a exemplo do uso da média aritmética simples para cálculos envolvendo ruído. O nível de pressão sonora, expresso em dB (decibéis ou decibels), é resultado da aplicação de equação que converte pressão sonora em grandeza logarítmica. Em se tratando de grandeza logarítmica o uso da média aritmética é incorreto e, resulta em valor diferente daquele que se acreditava encontrar. Por exemplo, a média logarítmica entre 80 e 100 dB é 97 dB; bem destoante da média aritmética 90 dB.

Somente a título de curiosidade, o cálculo da média logarítmica é feito pela equação:






Onde n1, n2 e n3 são os valores em dB.

Finalmente, a decisão pode eventualmente prejudicar segurados, especialmente nas situações em que a diferença entre os níveis de pressão sonora for grande, quando então a média logarítmica tende a se aproximar do maior valor, não representando exatamente a média aritmética dos níveis de ruído.

__________

*Antonio Carlos Vendrame é engenheiro de segurança do trabalho, perito judicial, professor com experiência nas áreas de segurança, saúde e meio ambiente e diretor da Vendrame Consultores.

Vendrame Consultores Associados Ltda

Atualizado em: 16/11/2017 13:54

AUTORES MIGALHAS

Busque pelo nome ou parte do nome do autor para encontrar publicações no Portal Migalhas.

Busca

AUTORES MIGALHAS

Igor Kubaski

Migalheiro desde 2020

Luciano Benetti Timm

Migalheiro desde 2010

Ricardo Pagliari Levy

Migalheiro desde 2019

Jessica Gilbert Olenike

Migalheira desde 2020

Robson Maia Lins

Migalheiro desde 2007

Juliana Castro

Migalheira desde 2020

Guilherme Setoguti

Migalheiro desde 2012

Renato Henrique Caumo

Migalheiro desde 2006

Elaine Keller

Migalheira desde 2020

Giselle de Menezes Viana

Migalheira desde 2020

Augusto Neves Dal Pozzo

Migalheiro desde 2012

Publicidade