quinta-feira, 21 de janeiro de 2021

MIGALHAS DE PESO

Publicidade

O fechamento da fronteira com a Venezuela e a dignidade da pessoa humana

Trata-se, portanto, na preocupação do Judiciário em assegurar a dignidade dos indivíduos, assim como na compreensão de que nenhum Estado consegue sobreviver isoladamente, sem se preocupar com os demais países.

sexta-feira, 5 de outubro de 2018

O estado de Roraima ingressou recentemente perante o STF com tutela provisória na Ação Cível Originária 3.121 objetivando, dentre outros pontos, "compelir a União a fechar temporariamente a fronteira entre o Brasil e a Venezuela ou limitar o ingresso de imigrantes venezuelanos no Brasil".

Para tanto argumenta-se que o descontrole nas fronteiras estaria lhe trazendo excessivo encargo, na medida em que não teria recebido recursos complementares da União para auxiliar no atendimento de significativo número de refugiados venezuelanos.

A liminar foi indeferida pela ministra Rosa Weber, que se valeu, dentre outros argumentos, à necessidade da dignidade da pessoa humana, previsto no artigo 4º, II, da Constituição Federal de 1988. Além disso, defendeu-se que ". imigrantes irregulares com frequência são pessoas em situação de vulnerabilidade que fazem jus à proteção geral conferida pelos instrumentos basilares de proteção dos direitos humanos, aplicáveis a toda e qualquer situação de fluxo migratório irregular."

Maria Celina Bodin de Moraes assevera que o princípio da dignidade da pessoa humana está compreendido nos seguintes pontos: "(.) i) o sujeito moral (ético) reconhece a existência dos outros como sujeitos iguais a ele, ii) merecedores do mesmo respeito à integridade psicofísica de que é titular; iii) é dotado de vontade livre, de autodeterminação; iv) é parte do grupo social, em relação ao qual tem a garantia de não vir a ser marginalizado." Ou seja, aludido princípio consiste, de acordo com o entendimento de Carlos Alberto Menezes Direito e de Sérgio Cavalieri Filho, na "base de todos os valores morais, a síntese de todos os direitos do homem.".

Trata-se, portanto, na preocupação do Judiciário em assegurar a dignidade dos indivíduos, assim como na compreensão de que nenhum Estado consegue sobreviver isoladamente, sem se preocupar com os demais países.

 

(STF - ACO 3121. Processo: 0069076-95.2018.1.00.0000. Origem: RR - Roraima; Relator Atual: Min. Rosa Weber.)

__________

*José Roberto Trautwein é advogado do Escritório Professor René Dotti.

 

Atualizado em: 24/9/2019 18:19

AUTORES MIGALHAS

Busque pelo nome ou parte do nome do autor para encontrar publicações no Portal Migalhas.

Busca

AUTORES MIGALHAS VIP

Sérgio Roxo da Fonseca

Sérgio Roxo da Fonseca

Informativo Migalheiro desde 2004
Cesar de Lima e Silva

Cesar de Lima e Silva

Informativo Migalheiro desde 2019
Stanley Martins Frasão

Stanley Martins Frasão

Informativo Migalheiro desde 2002
Anna Carolina Venturini

Anna Carolina Venturini

Informativo Migalheira desde 2014
Nicole Cunha

Nicole Cunha

Informativo Migalheira desde 2021
Ivan Esteves Barbosa

Ivan Esteves Barbosa

Informativo Migalheiro desde 2020
Luis Felipe Salomão

Luis Felipe Salomão

Informativo Migalheiro desde 2014
Gisele Nascimento

Gisele Nascimento

Informativo Migalheira desde 2017
Quésia Falcão de Dutra

Quésia Falcão de Dutra

Informativo Migalheira desde 2019
Murillo de Aragão

Murillo de Aragão

Informativo Migalheiro desde 2018
Rogério Pires da Silva

Rogério Pires da Silva

Informativo Migalheiro desde 2005
Bruno Emanuel S Learte

Bruno Emanuel S Learte

Informativo Migalheiro desde 2021

Publicidade