quinta-feira, 29 de outubro de 2020

MIGALHAS DE PESO

Publicidade

CARF abre importante precedente em tributação de SCPs

Acórdão diverge do entendimento da Receita Federal.

quarta-feira, 17 de outubro de 2018

A Sociedade em Conta de Participação ("SCP") é uma alternativa para captação de recursos para investimentos. Ela é formada por dois tipos de sócios: o ostensivo e o participante. A responsabilidade civil pelos negócios jurídicos, apuração e recolhimento dos tributos é do sócio ostensivo, que responde por todas obrigações da sociedade perante terceiros.

A Receita Federal, por meio de Solução de Consulta em 19/09, esclareceu que, quando o sócio participante exerce atividade constitutiva do objeto social, desnatura-se a sociedade, de tal forma que os valores recebidos por esse sócio, a título de participação nos negócios, devem ser tributados como Receita da sua atividade principal. Não se aplica, portanto, a isenção prevista para a distribuição de lucros.

Neste caso concreto, o contrato de constituição da SCP previa a atuação subsidiária do sócio participante, e a Receita entendeu que tal disposição desrespeita a forma jurídica determinada na legislação, desconsiderando a condição de sócio participante e determinando sua tributação como prestador de serviço.

Por outro lado, em sentido diametralmente oposto, o CARF - órgão responsável pelo julgamento administrativo de matérias fiscais - em julgamento de caso similar, havia entendido que não há vedação expressa no ordenamento à participação do sócio investidor nas atividades empresariais. Concluiu, em acórdão de 14/08, que as consequências jurídicas da sua atuação se restringem à responsabilidade solidária perante terceiros em relação às atividades que praticou, sem qualquer reflexo, portanto, na tributação usual da SCP e da distribuição dos lucros do negócio.

Sendo assim, eventual sócio participante de SCP que seja autuado pela Receita Federal, em decorrência da Solução de Consulta acima mencionada, poderá, a depender da situação, se valer da impugnação administrativa para anular o lançamento fiscal, baseando-se no importante precedente do CARF.

__________

 

*Roberto Junqueira de Souza Ribeiro é sócio do escritório Duarte Garcia, Serra Netto e Terra - Sociedade de Advogados.

Atualizado em: 25/9/2019 15:53

AUTORES MIGALHAS

Busque pelo nome ou parte do nome do autor para encontrar publicações no Portal Migalhas.

Busca

AUTORES MIGALHAS VIP

Valmir Pontes Filho

Migalheiro desde 2004

René Ariel Dotti

Migalheiro desde 2006

Celso Cintra Mori

Migalheiro desde 2005

Marília Lira de Farias

Migalheira desde 2020

Sílvio de Salvo Venosa

Migalheiro desde 2019

Lenio Luiz Streck

Migalheiro desde 2005

Sérgio Roxo da Fonseca

Migalheiro desde 2004

Maria Berenice Dias

Migalheira desde 2002

Selma Ferreira Lemes

Migalheira desde 2005

Publicidade