quinta-feira, 22 de outubro de 2020

MIGALHAS DE PESO

Publicidade

Breves notas sobre a tributação do serviço de transporte de mercadorias destinadas à Zona Franca de Manaus

Rafael Luiz Ceconello e Daniela de Oliveira Almeida

O transporte de produtos destinados à exportação é imune à tributação, visto que é alcançado pela imunidade constitucional, mesmo que executado dentro do território nacional. Esse benefício alcança todas as pessoas que tornam possível a exportação de um produto industrializado. Explicitando, temos que o serviço de transporte em tela é mera atividade-meio, necessária à concretização da exportação, devendo, por isso, receber o mesmo tratamento tributário a ela dispensada.

quarta-feira, 23 de agosto de 2006


Breves notas sobre a tributação do serviço de transporte de mercadorias destinadas à Zona Franca de Manaus

 

Rafael Luiz Ceconello*

 

Daniela de Oliveira Almeida*

 

O transporte de produtos destinados à exportação é imune à tributação, visto que é alcançado pela imunidade constitucional, mesmo que executado dentro do território nacional. Esse benefício alcança todas as pessoas que tornam possível a exportação de um produto industrializado. Explicitando, temos que o serviço de transporte em tela é mera atividade-meio, necessária à concretização da exportação, devendo, por isso, receber o mesmo tratamento tributário a ela dispensada.

 

O Decreto Lei 288/67 (clique aqui) dispõe que a exportação de mercadorias de origem nacional para consumo ou industrialização na Zona Franca de Manaus - ZFM, ou reexportação para o estrangeiro, será para todos os efeitos fiscais, constantes da legislação em vigor, equivalente a uma exportação brasileira para o estrangeiro.

 

Portanto, a legislação tributária nacional equipara as vendas com destino a ZFM - área de livre comércio - a exportações, ou seja, nessas operações é como se a mercadoria estivesse sendo exportada. Assim, a mesma incidência tributária nos casos de exportação deve ser considerada.

 

Esse "benefício fiscal" está previsto na atual Constituição Federal de 1988, que através dos Atos das Disposições Transitórias, manteve a Zona Franca de Manaus com suas características de área livre de comércio, de exportação e importação, e de incentivos fiscais.

 

Visto que a Constituição determina que não incide ICMS sobre as operações que destinem mercadorias para o exterior, nem sobre serviços prestados a destinatários no exterior, bem como assegura a manutenção e o aproveitamento do crédito do imposto cobrado nas operações e prestações anteriores e que as operações com destino a ZFM, para fins fiscais, são equiparadas à exportação. Desta forma, temos que o serviço de transporte de mercadorias destinadas a ZFM não são tributados pelo ICMS.

 

A própria Lei Complementar do ICMS, editada em 1996, estipula a não-incidência desse imposto na prestação de serviços de transporte de mercadorias destinadas à exportação, em plena afinidade com a Constituição. Tratando-se, portanto, de prestação de serviço de transporte de mercadorias destinado à exportação ou a zona franca de Manaus, não há que se falar em incidência do imposto, pois, nesses casos, a prestação de serviço de transporte é de natureza internacional, onde a mercadoria tem como destinatário estabelecimento localizado em outro país ou, no caso da ZFM, uma zona de livre comércio - equiparada a um território externo.

 

Temos assim que o transporte, no território nacional, de produtos industrializados destinados à exportação é imune à tributação por meio do ICMS. Uma vez que operações com destino a ZFM são tratadas como exportações, que não poderia ser de outra maneira, visto a nítida intenção do legislador constituinte em desenvolver social e economicamente a região Norte, em especial, a chamada Zona Franca de Manaus, através de benefícios fiscais.

 

Tal entendimento permite às transportadoras o não pagamento dos impostos, referentes aos serviços de transporte de carga para a Zona Franca de Manaus e a respectiva manutenção do crédito fiscal. A maioria dos Estados não entende dessa forma, efetuando a leitura da mesma legislação de forma distinta, não tendo assim o entendimento acima narrado. Portanto a busca desse benefício fiscal através da Justiça é de grande valia para as empresas de transporte e seus contratantes/clientes.

_________________

*Advogados do escritório Vigna Advogados Associados









_________________

Atualizado em: 21/8/2006 15:56

AUTORES MIGALHAS

Busque pelo nome ou parte do nome do autor para encontrar publicações no Portal Migalhas.

Busca

É Autor Migalhas? Faça seu login aqui

AUTORES MIGALHAS

Mariana Benfati

Migalheira desde 2020

Sílvia Fráguas

Migalheira desde 2005

Flávio Cheim Jorge

Migalheiro desde 2009

Rodolfo Tamanaha

Migalheiro desde 2020

Lama Ibrahim

Migalheira desde 2020

Ariadne Lopes

Migalheira desde 2019

Giulia Rios

Migalheira desde 2020

Sylvie Boëchat

Migalheira desde 2013

Márcia Glomb

Migalheira desde 2020

Thais Maia

Migalheiro desde 2020

Publicidade