quarta-feira, 25 de novembro de 2020

MIGALHAS DE PESO

Publicidade

Building Information Modeling: comentários ao decreto 9.377/18

Kelly Ribeiro Felix de Souza e Helena Gouvêa de Paula Hocayen

Através de sua tecnologia integrada e colaborativa, o BIM envolve sistemas que estimam com maior exatidão as especificidades técnicas e despesas do projeto.

sexta-feira, 29 de março de 2019

O Building Information Modelling (BIM) ou Modelagem de Informação da Construção é um modelo digital de alta precisão que tem por finalidade o desenvolvimento de projetos de forma integrada e colaborativa. O método tem como objetivo aperfeiçoar projetos e empreendimentos, desde sua concepção até sua conclusão, por meio de ferramentas digitais que viabilizam maior verossimilhança e embasamento ao projeto.

Através de sua tecnologia integrada e colaborativa, o BIM envolve sistemas que estimam com maior exatidão as especificidades técnicas e despesas do projeto. Consequentemente, é capaz de reduzir os custos e otimizar tempo e serviços aplicados, além de identificar, de forma antecipada, potenciais riscos e impasses à execução do planejamento.

Por ser de grande utilidade nas contratações públicas, o decreto 9.377, de 17 de maio de 2018, institui a Estratégia Nacional de Disseminação do Building Information Modelling no Brasil - Estratégia BIM BR, que estabelece um plano para a difusão da modelagem de informação no país.

Nesse sentido, além de fomentar o desenvolvimento do setor de construção, a Estratégia BIM BR tem como finalidade basilar a implementação da Modelagem de Informação em todas as contratações de obras públicas, desde a elaboração de projetos na fase licitatória até a manutenção do empreendimento após sua conclusão.

Para tal, o Livreto da Estratégia BIM BR, elaborado pelo Governo Federal, propõe um cronograma de implementação do BIM nas contratações públicas, que passarão a ser exigidas a partir de 2021 e deverão estar integralmente implementadas até 2028, como demonstrado a seguir:

  • 2021: Será exigida em projetos de arquitetura e engenharia para novas construções, ampliações ou reabilitações, quando consideradas de grande relevância para a disseminação do BIM;
  • 2024: Será proposto que seja aplicado, no mínimo, nas atividades previstas na primeira fase e, de modo adicional, na orçamentação, no planejamento da execução e na atualização de suas informações como construído ("as built");
  • 2028: Abrange todo o ciclo de vida da obra, incluindo, ainda, as atividades pós-obra. Nesta fase, o BIM será aplicado, no mínimo, nas novas construções, reformas, ampliações ou reabilitações (quando consideradas de média ou grande relevância), nos usos previstos na primeira e na segunda fases e, além disso, nos serviços de gerenciamento e de manutenção do empreendimento após sua conclusão.

Como se vê, a implementação do BIM nas contratações públicas poderá ser de grande utilidade, se de fato constituir uma evolução dos parâmetros de custo e técnica para avaliação das contratações públicas.

________

*Kelly Ribeiro Felix de Souza é advogada do escritório Manesco, Ramires, Perez, Azevedo Marques Sociedade de Advogados.

 

*Helena Gouvêa de Paula Hocayen é advogada do escritório Manesco, Ramires, Perez, Azevedo Marques Sociedade de Advogados.

Atualizado em: 28/3/2019 12:22

AUTORES MIGALHAS

Busque pelo nome ou parte do nome do autor para encontrar publicações no Portal Migalhas.

Busca

AUTORES MIGALHAS VIP

Valmir Pontes Filho

Migalheiro desde 2004

Celso Wanzo

Migalheiro desde 2019

Luis Felipe Salomão

Migalheiro desde 2014

Scilio Faver

Migalheiro desde 2020

Sérgio Roxo da Fonseca

Migalheiro desde 2004

Italo Bondezan Bordoni

Migalheiro desde 2019

Selma Ferreira Lemes

Migalheira desde 2005

Cleanto Farina Weidlich

Migalheiro desde 2007

Ricardo Penteado

Migalheiro desde 2008

Lenio Luiz Streck

Migalheiro desde 2005

Carolina Amorim

Migalheira desde 2020

Antonio Pessoa Cardoso

Migalheiro desde 2004

Gilberto Giusti

Migalheiro desde 2003

Publicidade