sábado, 16 de janeiro de 2021

MIGALHAS DE PESO

Publicidade

Paulo Bonfim - O Príncipe dos Poetas Brasileiros e Meu Amigo

Você, Paulo Bomfim, deixa uma legião de Amigos que o amaram em vida.

quinta-feira, 11 de julho de 2019

Aturdido, surpreendido e com uma dor sofrida de tristeza recebi a notícia da morte de meu querido Amigo Paulo Bomfim.

Nas homenagens deste dia 9 de Julho à Revolução Constitucionalista de 1932, Paulo Bomfim, depois de muitos anos, não estará presente. Seu amor por São Paulo era tão grande, que resolveu iniciar a sua caminhada para a Casa do Pai às vésperas do dia 9 de Julho.

t

Conhecia Paulo Bomfim por seus poemas em versos de Poeta Maior. No ano de 1988, o inesquecível Desembargador Marcos Nogueira Garcez foi eleito Presidente do Tribunal de Justiça e recebi o honroso convite para ser um de seus Juízes Auxiliares. No Gabinete da Presidência tive a honra de conhecer Paulo Bomfim, que ali exercia as funções de representar o Tribunal junto à imprensa escrita, falada e televisionada, além do cerimonial. Nossa amizade eterna foi instantânea e tínhamos amigos comuns, entre eles os inesquecíveis Professor Vicente Ráo,  Professora Esther de Figueiredo Ferraz e Saulo Ramos. Encantava-me com sua educação de berço, a beleza e a doçura de sua alma, a inteligência e de ser mestre na arte de conversar.

Em magnífica página, o meu querido Amigo José Renato Nalini, em sua apresentação de "Migalhas de Paulo Bomfim", com rara felicidade bem descreve o nosso querido Amigo:

"Prodigiosa usina de criatividade, o jovem poeta que gerou o "Antonio Triste" continua surpreendente em graça e vitalidade. A cada instante mais poeta, na singeleza de uma existência pura, despida de vaidades e infensa às excentricidades. Amigo dos Amigos, o mais autêntico bandeirante, continua a desbravar os territórios infinitos do encadeamento de verbetes a jorrar delícias auditivas de elevada qualidade musical. Quem lê Paulo Bonfim não sabe o que é solidão. Quem ouve Paulo Bonfim recarrega as baterias da esperança. Quem convive com Paulo Bonfim retempera sua crença na espécie e tem vontade de recomeçar, pois alavancado de estímulos para enfrentar a angústia dos dias".

Este é, sempre foi e sempre será o nosso querido e inesquecível Amigo Paulo Bomfim.

Paulo sabia, como poucos, jogar com as palavras, sejam em seus versos perfeitos, sejam em seus verbetes. Em rápida abordagem de seus versos e verbetes de Poeta Maior, encontrei alguns, que ficarão presentes para sempre:

"Amo, logo existo"; "O futuro tem olhos de esmeralda"; "Morrer é o murmurar da fonte"; "Às vezes escrevemos o poema, outras, somos por ele escritos"; "A erudição, quando não é uma chave para a sabedoria, enferruja"; "Nascer, o parto que a morte nos impõe"; "A geada transforma ideias verdes em cabelos brancos"; "O vento é a alma da noite./ Da noite crucificada./Que deixa sangue de estrelas./Nos braços da madrugada"; "O fundo da gaveta sempre será a ilha do tesouro"; "Um dia sumiremos do horizonte/ Como as naus que se foram sem voltar/ Que alguém nos chore na remota praia/ Quando as velas soprarem para o mar"; "De noite em noite, fomos inventando o dia"; "De saudade em saudade, chega-se ao País da Poesia".

Certa feita perguntei ao Paulo qual era o seu cargo no Tribunal e fui surpreendido com a resposta: "sou escrevente-chefe". De pronto lhe disse: "não é Você que precisa do Tribunal, é o Tribunal que precisa de Você". Era um absurdo. Recordei a ele que havia no Regimento Interno uma gratificação de serviço com outorga exclusiva do Presidente. Prometi que iria conversar com Dr. Marcos, com o intuito de corrigir a injustiça. Conversei com Dr. Marcos, que surpreso, entendeu necessário corrigir a injustiça: "Ovídio peça ao Dr. Odécio - então Secretário Geral do Tribunal - para preparar a portaria, traga-a para que a assine ainda hoje, possibilitando a sua publicação no Diário Oficial de amanhã". Paulo ao ler o Diário Oficial e ao deparar com a portaria, correu à minha sala para agradecer, antes de entrar na sala do Dr. Marcos e disse-me: "Ovídio, tenho no Tribunal amigos de velha data que nunca se preocuparam em perguntar sobre o meu cargo. Você, meu amigo há pouco tempo, se preocupou comigo". Desse dia em diante, para minha honra infinda, passou a chamar-me de "meu amigo generoso".

A história de Paulo Bomfim se confunde com a história do Tribunal de Justiça de São Paulo, as letras dos hinos do Tribunal, da Apamagis - Associação Paulista de Magistrados foram escritas por ele.

A cadeira 35 da Academia Paulista de Letras, ocupada por ele, está vazia e a Academia perdeu o seu decano.

A última vez que estive com o Paulo foi em sua sala no 2º andar do Palácio da Justiça, ao lado do Museu do Tribunal, que ajudou a reorganizar. Como sempre, fui recebido com imensa alegria e gentileza. Ficamos a conversar por longo tempo. Quando estava para sair, fez o convite para ir até a sala do Museu, completando que me levaria a outra sala que me faria "muito feliz". Fomos à sala do museu e, em seguida, à outra sala. Fiquei imensamente feliz e emocionado, pois era a "Sala Paulo Bomfim" a abrigar todas as primeiras edições de seus livros, medalhas, pertences seus - muitos deles a recordar a Revolução Constitucionalista de 1932 - títulos e homenagens por ele recebidos e o quadro do jovem Paulo Bomfim pintado em 1945 por Anita Malfatti. 

Sempre digo que a morte leva quem parte, para uma nova dimensão do Amor em sintonia com o Cristo de Amor, na lembrança e saudade daqueles que o amaram em vida. Você, Paulo Bomfim, deixa uma legião de Amigos que o amaram em vida.

Pelo que foi, por sua vida de Amor sem limites, pela beleza de sua alma, você estava maduro para o Céu!

_________________

*Ovídio Rocha Barros Sandoval, advogado do escritório Saulo Ramos Rocha Barros Sandoval Advogados, magistrado aposentado, autor de obras e artigos jurídicos, atualizador de obras clássicas do Direito brasileiro.

                                                            

Atualizado em: 10/7/2019 12:27

AUTORES MIGALHAS

Busque pelo nome ou parte do nome do autor para encontrar publicações no Portal Migalhas.

Busca

AUTORES MIGALHAS VIP

Ricardo Penteado

Ricardo Penteado

Migalheiro desde 2008
Stanley Martins Frasão

Stanley Martins Frasão

Migalheiro desde 2002
Gilberto Giusti

Gilberto Giusti

Migalheiro desde 2003
Marco Aurélio Mello

Marco Aurélio Mello

Migalheiro desde 2014
Nicole Cunha

Nicole Cunha

Migalheira desde 2021
Carla Domenico

Carla Domenico

Migalheira desde 2011
Murillo de Aragão

Murillo de Aragão

Migalheiro desde 2018
Allan de Oliveira Kuwer

Allan de Oliveira Kuwer

Migalheiro desde 2020
Guilherme Alberge Reis

Guilherme Alberge Reis

Migalheiro desde 2020

Publicidade