terça-feira, 27 de outubro de 2020

MIGALHAS DE PESO

Publicidade

A lei 13.874/19 (estatuto da liberdade econômica) e as significativas mudanças na consolidação das leis trabalhistas

As alterações, segundo o governo - que propôs a medida provisória -, visam o desenvolvimento e o crescimento econômicos do País.

segunda-feira, 30 de setembro de 2019

No último dia 20/09/19 foi sancionada e convertida em lei (lei 13.874/19) a chamada medida provisória da liberdade econômica, a qual trouxe significativas mudanças na Consolidação das Leis Trabalhistas.

A primeira mudança diz respeito à criação da CTPS DIGITAL, a ser emitida pela Secretaria de Trabalho do Ministério da Economia, contendo o número do Cadastro de Pessoas Físicas (CPF) como identificação única do empregado, dispensando que o empregado emita recibo de entrega da CTPS.

Além disso, de acordo com o § 7º do art. 29 da CLT (incluído pela nova lei), os registros eletrônicos gerados pelo empregador nos sistemas informatizados da CTPS em meio digital equivalem às anotações a que se referem a CLT. No caput deste mesmo artigo, mudou-se o prazo para realização das mencionadas anotações, prevendo-se o prazo de 5 (cinco) dias, que antes eram de 48 (quarenta e oito) horas.

Ademais, houve mudança legal no que tange ao controle de horário do trabalhador, pois a nova redação dada ao § 2º do art. 74 da CLT estipula a obrigatoriedade dos estabelecimentos com mais de 20 (vinte) empregados - e não mais 10 (dez) - a promoverem anotação da hora de entrada e de saída, em registro manual, mecânico ou eletrônico, conforme instruções expedidas pela Secretaria Especial de Previdência e Trabalho do Ministério da Economia, sendo permitida a pré-assinalação do período de repouso.

Outra mudança é relativa ao controle de ponto por exceção, caracterizado pelo meio do qual o empregador efetua o controle apenas da jornada extraordinária. Portanto, a partir da vigência da nova lei, permite-se que sejam anotadas apenas as horas extras, ressaltando-se a necessidade de autorização para tal prática, mediante acordo individual escrito, convenção coletiva ou acordo coletivo de trabalho. 

Tais alterações, segundo o governo - que propôs a medida provisória -, visam o desenvolvimento e o crescimento econômicos do País, sobretudo a partir de modernização e simplificação de procedimentos anteriormente estipulados em lei e utilização de tecnologia para diminuir a complexidade, dualidade e desarmonia de informações. 

Por fim, é importante ressaltar que a mencionada lei entrará em vigor a partir da data de sua publicação, tendo como justificativa de que a necessidade da vigência imediata se dá pelo interesse público. 

________________________

*Gabriel Junqueira Sales é advogado da Vargas Simões Advogados

t

Atualizado em: 30/9/2019 12:50

AUTORES MIGALHAS

Busque pelo nome ou parte do nome do autor para encontrar publicações no Portal Migalhas.

Busca

AUTORES MIGALHAS VIP

Murillo de Aragão

Migalheiro desde 2018

Jones Figueirêdo Alves

Migalheiro desde 2011

Valmir Pontes Filho

Migalheiro desde 2004

Júlio César Bueno

Migalheiro desde 2004

Luis Felipe Salomão

Migalheiro desde 2014

Gilberto Giusti

Migalheiro desde 2003

Miguel Reale Júnior

Migalheiro desde 2003

Stanley Martins Frasão

Migalheiro desde 2002

Almir Pazzianotto Pinto

Migalheiro desde 2003

Anna Carolina Venturini

Migalheira desde 2014

Publicidade